Destaques

ads slot

Cave Colinas de Pedra: espumantes também são referência no inverno


Espumante pode e deve ser uma opção nos dias frios

         
   Muito se fala no inverno dos vinhos tintos que garantem um sabor mais forte ao paladar, ideal para acompanhar as comidas típicas da estação, desde sopas com pães até carnes grelhadas e massas. É quase instintivo pensar durante o inverno em bebidas que remetem ao frio. Mas engana-se quem pensa que espumantes ou vinhos frisantes são indicados apenas para o verão.  Essa lenda deve-se talvez à ideia que na praia ou em dias quentes e ao ar livre, champanhes, cavas, proseccos ou outros tipos de espumantes fazem sucesso justamente porque são considerados bebidas mais refrescantes, sendo preferencialmente tomadas em temperaturas mais baixas, chegando até a 5º C.
            E essa fama faz com que muitas pessoas deixem os espumantes de lado quando as temperaturas caem, principalmente no sul do país. Pensando em desmistificar esse conceito a Cave Colina de Pedra mostra aos clientes que os espumantes também podem fazer parte da adega durante o inverno. Eles podem ser servidos como acompanhamentos ou sozinhos, seja para uma ou mais pessoas. "Estamos há dois anos no mercado local e temos visto muitas famílias que nos visitam e mudam essa mentalidade de que nos dias frios apenas vinho tinto combina", diz Rafaelle Portugal, sócio-proprietário da Cave Colinas de Pedra, localizada em Piraquara (PR).
            Saber apreciar um espumante exige o conhecimento de algumas características, pois a harmonização vai além de despertar as papilas gustativas. Os espumantes da Cave por exemplo, Nature, Brut, Extra Brut, Brut Rosé, Moscatel e Moscatel Rosé, organizados em ordem crescente, dizem respeito quanto aos açúcares que estão presentes nessas bebidas. Ou seja, o Nature é o mais seco enquanto o Doce é aquele que possui mais açúcar e costuma ser mais indicado para acompanhar sobremesas.

            O Tunnel Nature não possui adição de açúcar, proporcionando assim uma degustação com destaque dos seus aromas naturais. De cor amarelo-palha, com reflexos esverdeados. Perlage intenso, com bolhas pequenas e persistentes. Aromas de médio ataque, muito fresco, com leveduras, tostados, mel e frutas secas com damasco e amêndoas. Paladar encorpado, com acidez equilibrada, bastante seco. Vinho Base: Aproximadamente 80% Chardonnay e 20% Pinot Noir com tempo mínimo de maturação em cave de 24 meses. Já o Tunnel Brut possui cor amarelo-palha, com reflexos esverdeados. Sua perlage é fina e persistente. No olfato delicada mistura de frutas secas como damasco e amêndoa, com acidez agradável e boa persistência. Vinho base: Aproximadamente 80% Chardonnay e 20% Pinot Noir. Já o Tunnel Extra Brut possui a mesma coloração com perlage fina e persistente.

            Já o Brut Rosé como o nome sugere, possui coloração rosada com reflexos alaranjados, resultante de um longo período de guarda. No olfato, destacam-se aromas de mel, compota de figo e rosas. Apresenta excelente textura, com acidez equilibrada com gosto marcante e agradável. Vinho base: 100% Pinot Noir com tempo de maturação em Cave de 24 meses. O Moscatel possui aroma frutado e floral, característica do varietal. Apresenta coloração amarelo-palha, com reflexos esverdeados e paladar macio e delicado, com equilibrada doçura e acidez. E o Tunnel Moscatel Rosé resultado das variedades Moscato Branco, Moscato Giallo e Moscato de Hamburgo, oferece uma tonalidade levemente rosada ao espumante, elaborado pelo Método Asti. Apresenta perfeito equilíbrio entre acidez e açúcar, contendo aromas e sabores que lembram frutas e florais...

            A diferença dos espumante Tunnel, também está na maneira com que são produzidos, gerando resultados diversos e adequados para cada garrafa. O método da Cave Colinas de Pedra é o mais tradicional ou Champenoise, que é mais encorpado, com aromas oxidativos e envelhecidos, uma vez que tem a segunda fermentação na própria garrafa. Ele acompanha perfeitamente os pratos mais elaborados, sendo um dos mais indicados para o inverno. "Por isso nosso cardápio na Cave prioriza pratos quentes e elaborados, tradicionais do Estado. Assim na própria visita os clientes comprovam que o espumante não só combina com o inverno, como com a gastronomia que vendemos aqui", explica Rafaelle.
            Para explicar ainda mais, a técnica Charmat tem uma estrutura mais leve, pois faz a segunda fermentação em grandes autoclaves. Isso resulta numa bebida menos encorpada e mais simples, indicada para acompanhar petiscos e outros alimentos suaves. Já Moscatel, que não é envelhecido na Cave Colinas de Pedra, mas existe para venda, tem sua produção inspirada num método criado na região de Asti, na Itália. É um espumante bastante aromático e com sabor mais doce, perfeito para o acompanhamento de sobremesas à base de frutas, inclusive para acompanhar fondues, famosos e bastante apreciados nesta época do ano.
            O Demi-Sec é o meio termo entre os espumantes Moscatel e o Brut Seco, sendo uma excelente opção para harmonizar com aves – como perus –, e outros acompanhamentos agridoces. E o Prosecco é um espumante mais cítrico que apresenta leveza e descontração, de origem italiana, indicado principalmente para pratos mais leves.

Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu