Destaques

ads slot

Fotógrafa chinesa discute filosofia e cultura oriental em mostra na Bienal de Curitiba



A fotógrafa chinesa Chen HuiLi assina a exposição “Onde se acumula o pó”, que começa nesta quinta-feira (28) e integra a Bienal Internacional de Curitiba. Já o coletivo Brutas participam do evento com a mostra "Assuntos Brutos", que entra em cartaz no dia 2 de novembro. As exposições acontecem na Galeria Ponto de Fuga, em Curitiba.





A filosofia e culturas orientais retratadas em feotografias em preto e branco. É assim que a artista chinesa Chen HuiLi propõe rediscutir as questões do seu país de origem. A exposição “Onde se acumula o pó”, que abre hoje na Galeria Ponto de Fuga, integra a Bienal internacional de Curitiba e fica em cartaz até 25 de fevereiro de 2018.

“A exposição segue a temática proposta pelo evento este ano. É um trabalho delicado e singular, e dispô-los ao público curitibano é um privilégio”, afirma Milena Costa de Souza, curadora da mostra.

“Onde se acumula o pó” traz imagens minimalistas, em sua maioria de espaços abertos e exteriores. O grafismo da luz e da sombra remetem à escrita oriental. A passagem do tempo, a memória e o sentimento de nostalgia habitam as fotografias de Chen e as imagens nos convidam à contemplação, estabilidade e calmaria.
 

A ARTISTA - Chen HuiLi (1954) é chinesa nascida em Taichung, Taiwan. Em 1972, aos 17 anos, migrou para o Brasil e viveu por quatro anos em São Paulo. Em 1976 a família decidiu mudar para Curitiba em busca de melhores oportunidades. Sua formação intelectual transita entre a literatura, as artes visuais e a fotografia. Recentemente lançou a publicação “A Morada da Neve”. Da sua experiência como expatriada e sua vivência no Brasil e nos outros países nasceu uma fotógrafa multicultural. Em sua produção fotográfica transparece tanto a quietude da estética oriental como a vivacidade da cultura ocidental.


BRUTAS – A Galeria Ponto de Fuga recebe mais uma mostra da Bienal Internacional de Curitiba. A mostra “Assuntos Brutos” traz obras de cinco artistas que compõem o coletivo Brutas: Erica Storer (1992), Estelle Flores (1988), Gio Soifer (1991), Jéssica Luz (1992) e Pac Calory (1991), que desde 2015 se reúne para dialogar sobre processos artísticos. As ações do coletivo trabalham com conceitos como rede, troca, abrigo, trilha e ainda, intrinsecamente, paisagem e território. Como resultado, as pesquisas realizadas pelo grupo se desdobram em fotografias, desenhos, vídeos e em publicações.


GALERIA - A Galeria Ponto de Fuga abriga produções de arte contemporânea, com atenção especial para a linguagem fotográfica, publicações e impressos. Além disso, o local é palco de eventos culturais com o objetivo de reunir a comunidade artística local e convidar o público para o diálogo. Anexo à galeria funcional o bar e bistrô Ginger.



SERVIÇO
1. Onde se acumula o pó
Artista Huili Chen
Data de abertura: 28 de setembro à 19 de outubro
Visitação: Terça à Sábado das 16h às 20h

2. Assuntos Brutos
Brutas Coletivo (Erica Storer, Pac Calory, Jéssica Luz, Gio Soifer e Estelle Flores)
Data de abertura: 2 de novembro à 2 de dezembro
Visitação: Terça à Sábado das 16h às 20h

Local: Galeria Ponto de Fuga. Rua Saldanha Marinho, 1220
Entrada Franca

Especial


Colunistas

Menu