Destaques

ads slot

Tom Cruise vive história real de traficante de drogas em Feito na América - Filmes, por Rudney Flores


O piloto Barry Seal (Cruise) se envolve com a CIA e o Cartel de Medellín em Feito na América.
Crédito da Foto: David James/Divulgação Universal Pictures

O que a CIA, o cartel de Medellín, rebeldes nicaraguenses e o caso Irã-Contras têm em comum? Tudo, a partir de um personagem real chamado Barry Seal, interpretado por Tom Cruise em Feito na América, principal estreia nos cinemas do Brasil nesta semana. O filme, dirigido por Doug Liman (A Identidade Bourne), apresenta a história baseada na vida do piloto comercial de avião que é convocado pela CIA para um serviço secreto e acaba virando um dos maiores traficantes de drogas do mundo.

No final dos anos 1970, Barry, entendiado com a carreira numa companhia aérea americana, aceita se embrenhar nas selvas da América Central para fazer fotografias aéreas de acampamentos secretos de guerrilheiros treinados por comunistas. Em pouco tempo, ele é cooptado por um ainda iniciante Cartel de Medellín e acaba sendo envolvido no envio de armas e no treinamento dos nicaraguenses contra o governo dos sandinistas, que os Estados Unidos pretendiam derrubar. A trama também avança até o famoso caso Irã-Contras (envio ilegal de armas dos EUA para o Irã para financiar os contra nicaraguenses), que marcou o segundo governo do presidente Ronald Reagan, em 1986.

O tom do filme de Liman é satírico, semelhante a recentes sucessos como O Lobo de Wall Street, de Martin Scorsese, e A Grande Aposta, de Adam McKay, que também são baseados em fatos reais. Do filme de Scorsese, há toda a farra que uma grande quantidade de dinheiro permite fazer, mas sem as mesmas libertinagens do personagem de Leonardo DiCaprio, pois o Barry de Tom Cruise é um cara muito fiel à esposa. Já da produção comandada por McKay, há a intricada trama com diversos personagens e situações envolvidos.

A diversão aparece principalmente com as hilárias dificuldades de Barry em dar conta de tanto dinheiro que entra e não consegue lavar (legalizar), chegando até a enterrar boa parte dele, e na incompreensível capacidade do governo americano de fazer besteira e ser engando em diversas oportunidades. Faltou apenas se aprofundar mais no personagem central, mostrar suas motivações, o que pensava de tudo o que estava acontecendo – no filme, Barry vai narrando os fatos incríveis da sua vida, da qual parece ser um mero passageiro. Cotação: Bom.

Trailer de Feito na América


Nacionais

Aly Muritiba, diretor baiano radicado na capital paranaense, lança nesta semana o documentário A Gente, baseado na rotina da Equipe Alfa, responsável pela custódia de mais de mil condenados de uma penitenciária brasileira – o próprio Muritiba chegou a exercer a mesma profissão por sete anos. O filme estreia no Cine Guarani, da Fundação Cultural de Curitiba, no Espaço Itaú e nos cinemas Cine Plus.

O diretor tem no currículo obras premiadas em festivais nacionais e internacionais como os curtas-metragens A Fábrica (2011) e O Pátio (2013) e o longa-metragem Para Minha Amada Morta (2015).

Trailer de A Gente



No Cineplex Batel, dentro da sessão Vitrine, projeto de lançamento de filmes brasileiros, estreia As Duas Irenes, do diretor goiano Fabio Meira. A história fala de Irene (Priscila Bittencourt), filha do meio de uma família tradicional do interior de Goiás, que um dia descobre que o pai (Marco Ricca) teve uma filha fora do casamento, também chamada Irene (Isabela Torres) e da mesma idade que ela.

A Irene original inicialmente se revolta com a descoberta, mas resolve se aproximar da meia-irmã, com quem acaba tendo uma relação de muita cumplicidade.

Trailer de As Duas Irenes



Outras estreias

A programação do Espaço Itaú destaca também a estreia de dois dramas esta semana. Lady Macbeth, de William Oldroyd, conta a história de Katherine (Florence Pugh), presa a um casamento de conveniência com Boris Macbeth (Christopher Fairbank). Ela se envolve em uma trama de assassinatos quando passa a ter um caso extraconjugal com um empregado de sua propriedade.

Já Columbus, marca a estreia do diretor sul-coreano Kogonada em longa-metragem. A produção é estrelado por John Cho (o Sulu da nova série Star Treknos cinemas), que vive Jin, um arquiteto que vai visitar o pai que está doente na cidade de Columbus, no estado de Indiana (EUA). Ele conhece a jovem Casey (Haley Lu Richardson) e passa a conviver e conversar com ela em meio às construções modernistas da cidade norte-americana.

Trailer de Columbus



A série de filmes de terror lançados nas últimas semanas (Anabelle 2 e It – A Coisa) segue com Amityville: O Despertar, que tem no elenco Jennifer Jason Leigh (indicada ao Oscar de atriz coadjuvante por Os Oito Odiados). Ela interpreta uma mãe que muda com os filhos para uma casa na cidade de Amityville, onde foi cometido um grande crime em 1976.

Como sempre nas histórias de terror, não demora muito para os jovens moradores perceberem que há algo muito estranho no local, desde as tradicionais portas e janelas que se abrem e fecham sem motivos aparentes às assustadoras aparições de entes malignos.

Trailer de Amityville: O Despertar



A animação O Que Será de Nozes 2 traz novamente as confusões de um grupo de esquilos na cidade grande. Dessa vez, eles pretendem roubar uma loja de nozes para armazenar e ter seu alimento preferido durante o inverno. O original conta com as vozes de atores conhecidos como Halle Berry, Katherine Heigl e Jackie Chan.

Recentemente, tem sido lançados no Brasil várias produções de temática religiosa e moral – o de maior sucesso é A Cabana. O novo filme do gênero a chegar em Curitiba é Em Defesa de Cristo, que tem no elenco Faye Dunaway (Bonnie e Clyde – Uma Rajada de Balas). Na história, um jornalista ateu passará por um embate de crenças quando decide investigar o Cristianismo.

20 Anos

A Rede Cinemark celebra 20 anos de atividades no Brasil com um festival de filmes de sucesso lançados originalmente em 1997. Nesta primeira semana, estão programados: Titanic, de James Cameron; Jackie Brown, de Quentin Tarantino; O Mentiroso, de Tom Shadyac, com Jim Carrey; a animação Hércules, da Disney; e os nacionais Pequeno Dicionário Amoroso, de Sandra Werneck, e O Que É Isso Companheiro?, de Bruno Barreto, indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro.



Filmes, por Rudney Flores


Especial


Colunistas