Destaques

ads slot

Unidos pela Vida lança Campanha Sinais Que Importam para incentivar o diagnóstico precoce da fibrose cística



O Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística lança no próximo domingo (dia 3), na televisão, a campanha Sinais que Importam, para alertar sobre a importância do diagnóstico precoce da fibrose cística (FC), doença rara e ainda sem cura, que atinge em especial os sistemas respiratório e digestivo das pessoas. Setembro é o mês nacional de conscientização da FC e, além dos vídeos na tevê, a campanha destacará peças e materiais em todos os demais veículos de comunicação, redes sociais, mobiliários urbanos, sistema de transporte público, unidades de saúde, hospitais e maternidades.

As pessoas recebem notificações todo o dia, dos mais variados lugares. Muitas delas não trazem algo significativo, mas algumas são realmente muito importantes. Já prestou atenção às notificações e avisos que são enviados por seu próprio corpo, ou mesmo de seus filhos pequenos? Alguns desses sinais podem ajudar a identificar uma doença que as pessoas possam estar sofrendo sem nenhum conhecimento.

Diagnosticar com antecedência uma doença e realizar seu tratamento adequado, principalmente ainda no início, pode salvar várias vidas. Este é o objetivo da campanha Sinais Que Importam, que busca identificar o mais cedo possível a fibrose cística (FC). Os principais sintomas dessa enfermidade são: suor mais salgado que o normal, pneumonias frequentes, tosse crônica, diarreia e dificuldade para ganhar peso e estatura – a pneumonia e a diarreia, inclusive, são causas de mortalidade infantil de acordo com os relatórios da Unicef; os demais sintomas podem ser facilmente confundidos com os de outras doenças, por isso é importante o diagnóstico precoce.

“É importante não deixar passar os sinais que são vitais para a nossa boa saúde. A fibrose cística pode ser diagnosticada com grande antecedência e, se tomadas todas as precauções necessárias, pode-se aumentar a qualidade de vida e a sobrevida de quem tem a doença”, destaca Verônica Stasiak Bednarczuk de Oliveira, fundadora e diretora geral do Unidos pela Vida, que foi diagnosticada com FC aos 23 anos. Ela é também psicológa e membro do Grupo Brasileiro de Estudos de Fibrose Cística.

Entre as doenças raras, a FC é uma das mais comuns. No Brasil, a incidência é de 1 a cada 10 mil nascidos vivos – como, atualmente, existem apenas 4 mil pessoas em tratamento da doença no país, há milhares de pacientes subdiagnosticados ou que não sabem que têm FC. 

O casal Viviane Machado e Marco Meyer descobriu que sua filha Marina, atualmente com 7 anos, tinha fibrose cística logo após o nascimento, com o teste do pezinho. “Não conhecíamos a doença e nos assustamos muito no começo, pois não há cura. Mas fomos atrás de informações para o melhor tratamento. Hoje, a Marina tem acompanhamento médico e vive uma vida normal, como toda criança. Por isso, é importante diagnosticar o mais cedo possível a doença, para não agravar os sintomas e evitar sequelas”, confirma Viviane.

A família participa dos materiais de divulgação da campanha Sinais Que Importam, que conta com o apoio da Arte Lux Produções, Jamute Produtora de Áudio e Gas Rocket Comunicação. Mais informações no sitewww.sinaisqueimportam.com.br.

Especial


Colunistas