Destaques

ads slot

Diversão total dá o tom de Thor: Ragnarok - Filmes, por Rudney Flores


A terceira aventura de Thor nos cinemas é recheada de humor e cenas de aventura e ação.
Crédito da foto: Divulgação Disney.


O que os trailers já adiantavam foi confirmado no lançamento: Thor: Ragnarok, maior estreia nos cinemas mundias nesta semana, é o melhor filme do Deus do Trovão. A produção comandada pelo neozelandês Taika Waititi (O Que Fazemos nas Sombras) investe de peito aberto na comédia rasgada, sendo a mais divertida do Universo Marvel ao lado dos dois filmes Guardiões da Galáxia.

Após duas produções irregulares – Thor (2011) e Thor: Mundo Sombrio (2013) –, as aventuras do asgardiano tomam um rumo do escracho, mas sem esquecer as elaboradas cenas de batalha e aventura, tradicionais nos filmes baseados nos personagens da Casa das Ideias (como é conhecida a editora criada pelo venerado Stan Lee).

Na história, Thor (Chris Hemsworth) tenta evitar o Ragnarok, a destruição de Asgard, sua terra natal ameaçada pela irmã Hela (Cate Blanchett, vencedora do Oscar de melhor atriz por Blue Jasmine), até então desconhecida do herói. Para o confronto, ele conta com o apoio de Hulk/Bruce Banner (Mark Ruffalo), do irmão-vilão Loki (Tom Hiddleston), de Valkyrie (Tessa Thompson, de Creed – Nascido para Lutar), guerreira protetora da terra mágica, e Heimdall (Idris Elba), responsável pelo portal Bifrost – Odin (Anthonhy Hopkins) e Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch) têm participações curtas, mas importantes.

A trama ainda apresenta novos e engraçados personagens como o Grandmaster (Jeff Goldblum, de Jurassic Park) e o gladiador Korg (com voz dublada pelo próprio diretor Waititi), além de uma participação surpresa e hilária de Matt Damon (Jason Bourne) e, claro, a tradicional ponta de Stan Lee.

O que se vê na tela é um grupo de atores se divertindo a valer, com um texto bem-humorado, muito inspirado e nonsense – é uma tirada engraçada atrás da outra, principalmente com Thor e Hulk; tem até um portal chamado Ânus do Demônio. A Marvel se aprimora mais a cada filme e sabe atender todas as expectativas do público – fica cada vez mais difícil para a concorrência ao menos tentar se aproximar (confira o trailer do futuro Liga da Justiça, da Warner/DC, que passa antes de Thor em alguns cinemas, e confira que a tarefa é quase impossível). Como em toda produção Marvel, há cenas pós-créditos. Cotação: Ótimo.

Trailer de Thor: Ragnarok



Blanchett e Godard

Além de Thor: Ragnarok, Cate Blanchett também aparece na programação de cinema de Curitiba em Manifesto, que estreia apenas no Espaço Itaú. O filme do diretor Julian Rosefeldt apresenta 13 manifestos consagrados mundialmente, incluindo movimentos artísticos como o dadaísmo e a pop art e autores como os diretores Lars Von Trier (Dogma 95) e Jim Jamursh (Nada É Original). Todos o os textos são declamados por Blanchett encarnando 13 personas completamente diferentes, mostrando toda a sua versatilidade e talento como intérprete.

Trailer de Manifesto


Também em cartaz apenas no Espaço Itaú, O Formidável é o novo filme do diretor francês Michel Hazanavicius, responsável pelo sucesso O Artista, vencedor de cinco Oscars. A produção tem como personagem central o cultuado cineasta Jean-Luc Godard, vivido por Louis Garrel (Os Sonhadores), e retrata o período em que ele filmou A Chinesa, quando conhece e se apaixona pela atriz Anne Wiazemsky (Stacy Martin, de Ninfomaníaca Vol. 1 e 2).

Trailer de O Formidável



Garganta Profunda

Mark Felt: O Homem que Derrubou a Casa Branca, que estreia em várias salas na capital paranaense, retrata a história de Deep Throat (Garganta Profunda), codinome do vice-presidente do FBI que foi principal informante do célebre Caso Watergate, que levou o presidente americano Richard Nixon a renunciar em 1974.

Felt, vivido Liam Neeson (A Lista de Schindler), é a principal fonte dos premiados jornalistas Bob Woodward e Carl Bernstein, que revelaram espionagens feitas a mando do republicano Nixon no escritório do opositor Partido Democrata, na capital Washington. A produção é dirigida por Peter Landesman (Um Homem Entre Gigantes).

Trailer de Mark Felt: O Homem que Derrubou a Casa Branca



Outras estreias

Com sessões apenas no Cinepólis, Pelé – O Nascimento de uma Lenda, de Jeff e Michael Zimbalist, conta a história do Rei do Futebol da infância até a consagração na Copa do Mundo da Suécia, em 1958, quando tinha apenas 17 anos. O filme conta com vários atores brasileiros, entre eles Seu Jorge (Cidade de Deus) como Seu Dondinho, pai de Pelé, Milton Gonçalves (Carandiru) e André Mattos (Tropa de Elite 2).

A animação Missão Cegonha, de Toby Genkel e Reza Memari, conta a história do pardal Rick, criado por uma família de cegonhas e que pensa ser uma cegonha. A verdade sobre sua origem aparece quando seus pais adotivos e o meio-irmão revelam que seu porte não suporta a viagem longa que irão fazer até a África do Sul. Para provar que é sim uma cegonha, Rick decide ir ao continente africano e, na jornada, conta com a ajuda da coruja Olga e do periquito Kiki.


Especiais

A produção A Guerra dos Sexos estreou semana passada em várias praças brasileiras, mas não em Curitiba. O filme dirigido por Jonathan Dayton e Valerie Faris (dupla do sucesso Pequena Miss Sunshine), ainda não chega à programação normal da capital paranaense esta semana e tem apenas uma única sessão na próxima terça-feira (dia 31), às 14 horas, no Espaço Itaú, dentro do projeto Sessão Itaú Viver Mais, destinada ao público da melhor idade, com debate após a projeção.

O filme descreve o histórico confronto de tênis ocorrido em 1973 entre Billie Jean King, uma das melhores jogadores da história, e Bobby Riggs, grande campeão aposentado das quadras, vividos respectivamente por Emma Stone (Oscar de melhor atriz por La La Land) e o comediante Steve Carrell (O Virgem de 40 Anos).

Fanfarrão e autointitulado porco chauvinista, além de apostador inveterado, Riggs, em troca de muito dinheiro para a época, desafia a tenista americana para um embate homem x mulher, uma verdadeira batalha dos sexos. Vivendo um momento tumultuado na carreira e na vida pessoal, Billie Jean exita em aceitar o confronto – ela está completamente engajada na causa de melhores premiações nos torneios femininos, além de ter que lidar com um inesperado romance com outra mulher, que revela sua verdadeira sexualidade.

A produção, com direção convencional e pouco inventiva, tem como destaque as boas atuações de Emma Stone e Carrell – ela mostrando cada vez mais evolução e segurança na interpretação e ele atuando em campo mais do que conhecido. Cotação: Bom.

Trailer A Guerra dos Sexos


O Cinemark Mueller destaca a partir deste sábado (dia 28) o Festival Halloween, com quatro filmes de terror clássicos para marcar o Dia das Bruxas, celebrado no dia 31 de outubro nos Estados Unidos. Estão programados: O Exorcista (versão de 1973), de William Friedkin, no sábado, às 23 horas; Drácula de Bram Stoker (1992), de Francis Ford Coppola, no domingo, às 21 horas; O Iluminado (1980), de Stanley Kubrick, na segunda-feira, às 21 horas; e Sexta-Feira 13 (1980), de Sean S. Cunningham, na terça-feira, às 21 horas.
Jack Nicholson estrela O Iluminado, um dos destaques do Festival Halloween do Cinemark.
Credito da foto: Divulgação/Warner Bros.

Já a sessão Clássicos Cinemark, também no Cinemark Mueller, programa para a próxima terça, às 20 horas, o vencedor de cinco Oscars Coração Valente (1995), de Mel Gibson.



Especial


Colunistas