Destaques

ads slot

Cauã Reymond comanda elenco de Não Devore Meu Coração - Filmes, por Rudney Flores


Reymond estrela filme que se passa na fronteira do Brasil com o Paraguai.
Crédito da Foto: Glauco Firpo


Há muitos anos, a produção nacional de cinema tem se mostrado bem diversificada, tanto na temática como no retrato das várias regiões do país. Apesar de ficarem escondidos em meio a tantos lançamentos de bobas comédias televisivas, que invadem cada vez mais a programação, há sim filmes brasileiros interessantes sendo apresentados, mas que passam como cometas pelas salas, ficando em cartaz muitas vezes apenas uma semana nas cidades, com apenas uma sessão em várias oportunidades.

Um exemplo dessa diversidade chega esta semana na programação de Curitiba com Não Devore Meu Coração, que tem sessões não Espaço Itaú e no Cinesystem do Shopping Cidade – numa novidade recente muito bem vinda, uma sala localizada em bairro que tem aberto espaço para a produção nacional. O filme do diretor carioca Felipe Bragança é baseado em contos do escritor Joca Reiners Terron, nascido em Cuiabá, e filmado no Mato Grosso do Sul, na fronteira com o Paraguai.

A produção tem no elenco Cauã Reymond (Se Nada Mais Der Certo), que interpreta Fernando, o irmão mais velho do personagem central Joca (Eduardo Macedo), rapaz de 13 anos que se apaixona pela menina paraguaia Basano (Adeli Benitez). Para conquistá-la, ele precisa enfrentar grandes dificuldades, muitas delas ligadas a ressentimentos relativos à Guerra do Paraguai, conflito que ainda marca a história dos dois países vizinhos depois de quase 150 anos do seu término (em 1870).

As animosidades entre os povos são representadas na história por um eterna disputa de gangues de motoqueiros, da qual Fernando faz parte pelo lado brasileiro – com ótimas atuações no cinema, Reymond está novamente muito bem, sendo muito superior ao elenco formado em sua maioria por não atores recrutados na região das filmagens; isto causa um pouco de desiquilíbrio na produção, que ainda tem como coadjuvante de luxo o cantor Ney Matogrosso.

Bragança – dos filmes independentes A Alegria e A Fuga da Mulher Gorila, codirigidos com Marina Meliande, e corroteirista de premiadas produções como O Céu de SuelyHeleno e Praia do Futuro – inclui ainda na trama uma grande dose de misticismo. O resultado é interessante, mas pode causar certo estranhamento a um público pouco acostumado a roteiros mais criativos e ousados. Cotação: Bom.

Trailer de Não Devore Meu Coração



O vibrante cinema sul-coreano

Outra cinematografia que ganhou destaque nas décadas últimas é a sul-coreana. O país vive um período de crescimento econômico que também contribuiu para um maior investimento nas artes, e que acabou se refletindo positivamente nas telas. O cinema local floresceu internacionalmente nos anos 2000 com obras dos diretores Park Chan-Wook e Kim Ki-duk, que foram premiados em grandes festivais como Cannes e Berlim.

As produções sul-coreanas também são variadas, indo da violência estilizada de Oldboy (2002), de Park Chan-Wook, à leveza de Casa Vazia (2004), de Kim Ki-duk, passando pelo fantástico de O Hospedeiro (2006), de Joon-ho Bong, ou mesmo uma ótima leitura do já batido tema mortos-vivos do recente Invasão Zumbi(2016), de Yeon Sang-ho.

São filmes que têm chegado constantemente ao Brasil, sempre apresentando alguma característica interessante, como o novo A Vilã, de Jung Byung-gil, que estreia esta semana no Cinemark Mueller e no Espaço Itaú. Da mesma produtora de Invasão Zumbi, o filme traz a história de uma mulher atrás de vingança, numa trama que tem várias camadas e que traz elementos de diversas produções: a trilogia da vingança de Park Chan-wook (Mr. Vingança, Oldboy e Lady Vingança); Nikita – Criada para Matar, de Luc Besson, e sua releitura hollywoodiana em A Assassina; e também os dois volumes de Kill Bill, de Quentin Tarantino (que por sinal é altamente influenciado pelo cinema asiático).

O resultado é um filme tenso, ultraviolento (mas estilizado), com ótimas cenas de ação e também alguns toques de insanidade, outra característica comum da produção sul-coreana. Vale a pena conferir. Cotação: Bom.

Trailer de A Vilã



Suspense e comédia

O cinema mais comercial destaca nesta semana duas produções com atores conhecidos do público. Estrela da nova franquia X-Men, na qual vive o vilão Magneto, e também das prequels da franquia Alien (Prometheus e Alien: Covenant), Michael Fassbender protagoniza o suspense policial Boneco de Neve, do diretor sueco Tomas Alfredson (do ótimo terror Deixa Ela Entrar).

O ator vive o detetive Harry Hole, que é desafiado por um serial killer que deixa pistas de seus assassinatos em bonecos de neve. Também estão no elenco as atrizes Rebecca Ferguson (Missão Impossível: Nação Secreta) e Charlotte Gainsbourg (Ninfomaníaca).

Trailer de Boneco de Neve


Já a comédia Pai Em Dose Dupla 2, traz de volta a dupla Will Ferrel (Mais Estranho Que a Ficção) e Mark Wahlberg (Ted). Após resolverem suas diferenças e viverem em paz, os novos amigos agora encaram a visita de seus respectivos pais, que são completamente opostos. O pai de Brad (Ferrel) é o sensível Don (John Lithgow, de Interestelar) e o de Dusty (Wahlberg) é o durão Kurt(Mel Gibson, de Coração Valente, replicando sua persona). As confusões e piadas são previsíveis.

Trailer de Pai em Dose Dupla 2



Nacionais

O Espaço Itaú destaca na programação da semana dois documentários brasileiros. Lygia, Uma Escritora Brasileira, de Hélio Goldsztejn, destaca a trajetória de Lygia Fagundes Telles, uma das maiores escritoras brasileiras. Já Gabeira, de Moacyr Góes (O Homem Que Desafiou o Diabo), apresenta o trabalho e a vida do jornalista, escritor e político através do depoimento de diversas personalidades como Ferreira Gullar, Nelson Motta e Agnaldo Silva.

Trailer de Gabeira



Nesta sexta-feira, estreia no Cine Guarani, a produção carioca Quando o Galo Cantar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe, de Aaron Salles Torres. A trama fala de Inácio (Fernando Alves Pinto, de Terra Estrangeira), porteiro de um edifício da zona sul do Rio de Janeiro que tem um relação difícil com a mãe Zaira (Catarina Abdalla, a eterna Ronalda Cristina do seriado Armação Ilimitada). Tudo fica ainda mais difícil quando morre Guilherme, zelador do prédio e marido de Zaira, que garantia o emprego de Inácio no condomínio.

Trailer de Quando o Galo Cantar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe



Europeus

A programação do Cineplex Batel tem como destaque a estreia de dois longas-metragens europeus estrelados por reconhecidas atrizes francesas. Em Barreiras, de Laura Schroeder, Isabelle Huppert (Elle) vive Elizabeth, mulher que ficou cuidando da neta Alba, abandonada pela filha Catherine. Depois de alguns anos, Catherine retorna para tentar reconquistar o amor da menina e acaba sequestrando-a, levando Alba para uma viagem a um lago.

Fanny Ardant (8 Mulheres) vive um transexual em Lola Pater, de Nadir Moknèche. Ela é Farid/Lola, imigrante argelino que abandonou a família, mas vê o filho o procurar após a morte da mãe.

Trailer de Lola Pater



Animação

A animação Por Que Vivemos, em cartaz apenas no Espaço Itaú, é ambientada no Japão feudal, apresenta a história de um jovem camponês que perde a mulher grávida em um acidente. Revoltado com o mundo, ele encontra significado para a vida após o encontro com um monge budista.


Desenho animado Por Que Vivemos destaca ensinamentos budistas.
Crédito da foto: Divulgação Espaço Filmes.




Especial


Colunistas

Menu