Destaques

ads slot

Maciel Salú, um dos maiores mestres da rabeca, apresenta show e palestra em Curitiba


Considerado um expoente da cultura nordestina, Salú traz a Curitiba no próximo domingo (12/11) sua mescla de música tradicional e contemporânea

Foto Andréa Rêgo Barros


Cantor, compositor e rabequeiro, o pernambucano Maciel Salú chega a Curitiba no próximo final de semana para uma única apresentação, no Espaço Fantástico das Artes (Alameda Princesa Izabel, 465). Os ingressos para o show, que acontece no 12 de novembro, custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) e serão vendidos na hora. A bilheteria abre às 18h.

O repertório da apresentação é composto por músicas do seu mais recente álbum, “Baile de Rabeca” (2017), além de canções dos seus três primeiros CDs: “A Pisada é Assim” (2003), “Na Luz do Carbureto” (2007), “Mundo (2010)” e “Baile de Rabeca” (2016). Salú também mostrará composições que farão parte de seu próximo trabalho, já em produção. Entre elas estão “Maracatu sem lei” e “Mãe do Mar”. Curitiba é uma das nove cidades brasileiras que receberão a turnê do espetáculo do mestre rabequeiro. 

Já no dia 13 de novembro (segunda-feira), Maciel Salú apresentará a palestra A arte transforma – Maciel Salú, sua rabeca e trajetória dos terreiros para o mundo”, com entrada gratuita. No evento, o artista falará sobre a cultura popular pernambucana e as diversas experiências vividas durante os seus 22 anos de carreira. O encontro acontecerá no SEPT/Universidade Federal do Paraná (Rua Dr. Alcides Vieira Arco-Verde, 1225, Jardim das Américas) às 14h30.
Nesta turnê, Maciel Salú faz uma grande celebração à rabeca, instrumento que é conhecido pela sua sonoridade peculiar. Em suas mãos, ela ganha uma roupagem contemporânea com o uso dos efeitos eletrônicos de pedais e por meio da fusão com ritmos inusitados que fazem parte do repertório pessoal e cosmopolita do artista.

Em seus shows, ele procura apresentar um espetáculo repleto de criatividade, sentimento e beleza. Dessa forma, o cantor espera não apenas encantar a plateia, mas cumprir sua missão de fiel difusor da arte, legado e garra da música autoral pernambucana. “Pernambuco sempre foi celeiro de grandes artistas. Na década de 1990, com todo o movimento que tivemos por lá, isso ficou ainda mais evidente. Por isso, é uma grande responsabilidade zelar por esse legado. Quando subo no palco com o meu trabalho, eu não represento apenas a mim. Assim como outros artistas de Pernambuco, seja da música, das artes visuais ou do cinema, levamos parte dessa história com o nosso trabalho. Eu trago comigo não só a ancestralidade da minha família e dos meus mestres e mestras da cultura popular, mas, também, a força da música autoral pernambucana”, explica Maciel Salú.

Nas apresentações da turnê, Salú é acompanhado por Emerson Santana (bateria), Joana Melo (percussão e backing vocal), José Mário (percussão e backing vocal), Rogê Victor (baixo e backing vocal) e Sammy Barros (guitarra e backing vocal). A direção artística do show é assinada pelo próprio Maciel Salú.
A turnê está dividida em duas partes: “Circulação Nacional” e “Circulação Nordeste”. Ambas contam com a estrutura da produtora do artista, a Grão – Comunicação e Cultura, e com o apoio do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) e da Secretaria de Cultura e Governo do Estado de Pernambuco.

Sobre Maciel Salú
Maciel Salú, pernambucano nascido em Olinda, é cantor, compositor, rabequeiro, mestre e brincante de diversos folguedos populares. É herdeiro da família Salustiano, uma das mais expressivas da cultura popular nordestina.
Em 1995, no auge do Manguebeat, ele fez parte da banda Chão e Chinelo. Em 2002, Salú integrou o grupo DJ Dolores & Orchestra Santa Massa, que ganhou um BBC Awards, um Prêmio Tim (melhor álbum) e o Prêmio Multicultural Estadão. Em 2003, o músico iniciou a sua carreira solo. Com o seu trabalho autoral, ele participou do Ano do Brasil na França (2005), do Projeto Pixinguinha (2007) e do Europalia Brasil (2010). Além disso, Salú estabeleceu parcerias com grandes músicos e artistas, entre eles Chico César, Jorge Du Peixe (Nação Zumbi), Siba, Jam da Silva, Isaar, Carmélia Alves e Luiz Paixão.
Maciel Salú também participou da Cerimônia de Encerramento das Olimpíadas Rio 2016, ao lado da Orchestra Santa Massa. Atualmente, além do seu trabalho solo e com a Orchestra Santa Massa, Salú integra a Orquestra Contemporânea de Olinda, que já foi indicada a importantes prêmios. Entre eles, estão o Prêmio da Música Brasileira (2009) e o Grammy Latino (2010), onde concorreu na categoria Melhor Álbum de Música Regional Brasileira.
Serviço:
Show: Maciel Salú e banda
Quando: 12 de novembro (domingo), às 19h.
Local: Espaço Fantástico das Artes (Alameda Princesa Izabel, 465, bairro São Francisco).
Entrada: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada). Os ingressos serão vendidos na hora. A bilheteria abre às 18h.

Palestra: “A arte transforma – Maciel Salú, sua rabeca e trajetória dos terreiros para o mundo”.
Quando: 13 de novembro (segunda-feira), às 14h30.
Local: SEPT/Universidade Federal do Paraná (Rua Dr. Alcides Vieira Arco-Verde, 1225, bairro Jardim das Américas).
Entrada: Gratuita.
Informações: grao.pe@gmail.com

Redes sociais: Facebook - fb.com/macielsalu.pe Instagram -  instagram.com/macielsalu

Ficha técnica: Maciel Salú: diretor artístico. Banda: Emerson Santana (bateria), Joana Melo (percussão e backing vocal), José Mário (percussão e backing vocal), Rogê Victor (baixo e backing vocal) e Sammy Barros (guitarra e backing vocal). Rute Pajeú: gestora. Grão Comunicação e Cultura - produção executiva. Danilo Carias/Criativo Produção Cultural - produção. Carlos Medeiros: roadie. Denildo Araújo: operador de áudio. Bambaê Produções: produção Curitiba/PR



Especial


Colunistas