Destaques

ads slot

Barriga sequinha em 12 semanas? Veja como mudar a sua cintura antes mesmo do Carnaval


Que tal conquistar uma barriga sequinha em 12 semanas com apenas uma aula de 30 minutos? Parece mentira, mas essa é a proposta do LPF (Low Pressure Fitness), popularmente chamado de técnica da barriga negativa. Conhecido mundialmente, o LPF se tornou o método preferido das modelos, como Gisele Bündchen, Miranda Kerr, e de atrizes como Thais Fersoza. Tudo isso porque ele trabalha os músculos internos para deixar a cintura fina e a barriga super torneada. “O LPF deixa as curvas femininas. Eu costumo dizer que temos uma cinta natural, chamado músculo transverso, que é trabalhado nas aulas de LPF e faz com que a barriga ganhe nova forma”, conta Verônica Motta, master coach do LPF no Brasil, que afirma ser possível diminuir a circunferência abdominal em até 12cm durante as 12 semanas indicadas para a prática do método.

Como funciona
A prática do LPF funciona da seguinte forma: uma vez na semana, numa aula que leva 30 minutos, a aluna aprende a estabelecer um ritmo respiratório específico e controlado, típica do stomach vacuum (usado por Arnold Schwarzenegger para afinar a cintura) e das sessões de ioga, combinado com posturas isométricas – com a base do RPG – e a sucção do abdômen em apneia.  A sequência de posturas praticadas acontece em pé, ajoelhada, sentada e deitada. A aplicação do LPF é dividida em 3 níveis, onde o grau de dificuldade das posturas vai se intensificando conforme as etapas ao longo de 12 semanas.
Por conta do estímulo constante, onde o tônus muscular é trabalhado, o resultado é uma reprogramação postural. Após esse período de prática o abdômen fica contraído até quando a pessoa está em repouso. Mas, para alcançar o resultado, é preciso participar de todas as aulas e praticar cinco minutos em casa diariamente.
Não há contra indicação – apenas precaução para alguns casos (gestantes e hipertensos) – muito menos risco na prática do LPF. “Toda mulher pode fazer, independentemente de idade ou condição física. A prática feita de forma correta trará resultados visíveis. Temos muitos relatos de mudanças já nas duas primeiras aulas”, conta Verônica. Isso porque o LPF também trabalha a postura, responsável por dores – ou não – nas costas, dores de cabeça, entre outros.
Benefícios
Mas a prática do LPF vai muito além da barriga negativa. O método tem benefícios capazes de mudar, e melhorar, a saúde da mulher. Com o LPF é possível:
  • Tonificar o assoalho pélvico
  • Melhorar a postura em virtude da estabilização lombar
  • Diminuir as dores na coluna
  • Ativar o metabolismo basal
  • Controlar os problemas de incontinência urinária.
  • Ótimo para a circulação: a prática do LPF melhora a vascularização por descongestionamento pélvico e linfático, evitando pernas inchadas e pesadas.
  • Melhorar o funcionamento do intestino
  • Acelerar a recuperação pós-parto
  • Combater a insônia, pois reduz ansiedade
  • Melhorar o desempenho sexual
  • Aumentar a capacidade cardiorrespiratória (excelente para melhorar o desempenho de atletas )

Sobre o LPF e Verônica Motta
Desenvolvida em 2005 pelo médico espanhol Piti Pinsach após realizar o treinamento com Marcel Caufriez, o LPF é o aprimoramento do método hipopressivo desenvolvido por Caufriez.  Com isso, o método Low Pressure Fitness é usado hoje não somente para tratar e prevenir alguns tipos de patologias, como também para melhorar a performance esportiva e a estética.
Verônica Motta é personal trainer, ex atleta wellness, especialista em musculação feminina e mãe de dois filhos. Em 2017 ela foi nomeada master coach do método LPF (Low Pressure Fitness) no Brasil, faz consultoria online e prepara profissionais para aplicarem de maneira adequada o método.



Especial


Colunistas

Menu