Destaques

ads slot

Tranquilidade e confiança ajudam a melhorar o desempenho escolar


Especialistas afirmam que crianças podem ter melhor desempenho na escola quando estão mais tranquilas e confiantes. Veja como incentivar seu filho
Com o ano letivo chegando ao fim, muitas famílias enfrentam um período crítico que atinge em cheio pais e filhos. É o stress causado por conta do desempenho abaixo do esperado e do fantasma da recuperação escolar. O cenário é sempre o mesmo: os pais se desdobram para ajudar os filhos em casa, estudam juntos, tentam tirar as dúvidas de crianças que tentam se esforçar ao máximo e se sentem pressionadas. A diretora pedagógica da Editora Positivo, Acedriana Vicente Sandi, alerta para os prejuízos que toda essa pressão pode causar. “Os pais devem cuidar com o excesso de expectativa, frustração e ansiedade que demonstram, para não transferir isso para os filhos”, conta Acedriana. Segundo ela, cobranças exageradas geram insegurança e podem afetar o desempenho dos alunos. “Apesar da dedicação de todos, na hora da prova, a ansiedade pode dar lugar ao nervosismo, tirar a concentração e comprometer o resultado final, gerando ainda mais frustrações e a sensação de fracasso”, destaca Acedriana.
Uma pesquisa da Universidade de Poitiers, na França, mostra que quanto mais tranquilas e com menos receio de falhar as crianças estão, melhor se saem diante dos desafios escolares. O estudo, realizado com alunos de 11 anos, dividiu os estudantes em dois grupos. Todos receberam problemas difíceis de serem resolvidos. Um dos grupos foi orientado por um especialista a entender que o aprendizado é difícil e, por isso, falhar é natural, aceitável e, com o tempo e dedicação, isso tende a mudar. O outro grupo resolveu os problemas sem nenhum tipo de orientação ou apoio. Os estudantes que receberam um incentivo sobre a dificuldade na aprendizagem obtiveram melhores resultados que o segundo grupo. O que leva à conclusão que apoio e acolhimento, nessa hora, funcionam melhor que pressão e cobrança.
A gestora do Colégio Positivo - Jardim Ambiental, professora Maria Fernanda Suss, explica que quando a criança se sente à vontade para errar, ela deixa o receio de lado para se arriscar mais e tentar chegar ao resultado esperado. “Os pais devem apoiar os filhos, mostrando que as dificuldades fazem parte da aprendizagem. Dessa forma, as crianças terão tranquilidade suficiente para fazerem a parte delas”, afirma. Para a gestora, esse período de fim de ano - com os alunos precisando se esforçar para alcançar as notas que faltam ou então enfrentar a fase de recuperação - exige de toda a família paciência, dedicação e compreensão. A professora também ressalta que é importante que os pais estejam atentos à rotina de estudos e ao desempenho dos filhos durante todo o tempo, e não apenas quando o fim do ano se aproxima. “Isso evita surpresas que podem causar frustração e cobranças demasiadas de uma só vez”, completa.
Algumas dicas podem ajudar os pais a lidarem melhor com a situação, evitando stress e garantindo o bom rendimento escolar do filho:
1- Combine com seu filho uma espécie de contrato: os horários de estudo devem ser bem definidos, assim como os horários de descanso e lazer. Dessa forma, você evita cobranças desnecessárias quanto à dedicação e empenho da criança ou jovem.
2- Se você quer ver seu filho ter um bom desempenho escolar, dê a ele boas condições para isso. Ambiente tranquilo para estudar, conversas amigáveis e constantes que demonstrem apoio e compreensão frente às dificuldades que ele encontra, além de acompanhamento rigoroso das demandas escolares.
3- Não transfira para a escola a responsabilidade de fazer o seu filho desenvolver o gosto e o hábito de estudar. Pais e professores devem realizar um trabalho conjunto nesse sentido.
4- Mostre-se como um parceiro e aliado de seu filho. Assim, além de fazer com que ele se sinta apoiado, o que é importante para manter a tranquilidade e perder o medo de errar, você ganhará a confiança dele.
5- Não estabeleça notas. Deixe claro que você espera dele dedicação e disciplina e que você sabe que a possibilidade dele falhar existe porque é da natureza humana. Caso isso ocorra, sente-se junto com seu filho para ajudá-lo a entender onde ele falhou e como evitar que isso aconteça novamente.

Empreendedorismo - por Rodrigo Okener


Especial


Colunistas

Menu