Destaques

ads slot

Me Chame Pelo Seu Nome é um dos favoritos ao Oscar


Timothée Chamalet e Armie Hammer devem receber indicações à estatueta dourada.
Crédito da foto: Divulgação


A programação de cinema de Curitiba começa a receber os principais favoritos ao Oscar 2018, que acontecerá no dia 4 de março. A principal estreia da semana éMe Chame Pelo Seu Nome, do diretor italiano Luca Guadagnino (Um Sonho de Amor), produção listada entre as melhores de 2017 pelas principais associações de críticos dos Estados Unidos e que deve receber diversas indicações à estatueta dourada na próxima terça-feira (dia 23).

O filme tem roteiro do veterano cineasta James Ivory (Retorno a Howards EndVestígios do Dia), baseado no livro homônimo do escritor egípcio André Aciman, de 2007, recentemente lançado no Brasil. A história se passa em 1983 e destaca o despertar sexual do jovem Elio (Timothée Chamalet, de Interestelar), durante as férias de verão em uma vila italiana com os pais, a francesa Annella (Amira Casar) e o americano sr. Pearlman (Michael Stuhlbarg, de Um Homem Sério). A cada temporada, o pai, professor de cultura grega, recebe no local um estagiário e o visitante do ano é Oliver (Armie Hammer, de A Rede Social).

O belo estudante americano conquista a atenção de todos no vilarejo – lembrando a personagem da jovem Liv Tyler em Beleza Roubada (1996), de Bernado Bertolucci, que também é ambientado na Itália – e uma certa antipatia inicial de Elio, que vê um pouco de arrogância em Oliver. Amante da música e da leitura, Elio passas os dias um tanto entendiado com a rotina local, mas a presença do visitante atiça seus sentimentos ainda imprecisos, tanto que namora com a amiga Marzia (Esther Garrel) antes de se voltar totalmente para Oliver. Relutante, o americano acaba aceitando se envolver com o filho de seu mentor.

O cenário é idílico e a experiência vivida pelo casal é muito idealizada, quase um conto de fadas de verão, com a diferença de apresentar um amor homossexual. Não há conflitos na relação dos parceiros ou mesmo familiares, e o filme se sustenta nas belas imagens do interior italiano e na boas interpretações dos protagonistas, com destaque principal para Chamalet, que deve receber uma merecida indicação ao Oscar – ele já foi indicado ao Globo de Ouro e ao Bafta (o Oscar inglês). Cotação: Bom.

Trailer de Me Chame Pelo Seu Nome:



Os iniciados

Também com temática homossexual, Os Iniciados, de John Trengove, se passa na África do Sul. A história fala de Xolani (Nakhane Touré), operário que tira licença no trabalho para retornar à terra natal e ajudar nos rituais de inserção na vida adulta de um grupo de adolescentes. Durante o período dos rituais, um jovem percebe a homossexualidade de Xolani e a revelação desse segredo marcará sua vida perante à sua comunidade.

A produção, que estreia apenas no Espaço Itaú, participou do Festival de Berlim 2017 e recebeu diversos prêmios em festivais internacionais. Também foi a escolhida pelos sul-africanos para tentar uma indicação ao Oscar de filme estrangeiro 2018, mas não ficou entre os finalistas.

Trailer de Os Iniciados:


Docs

A programação da semana em Curitiba também destaca dois documentários, um nacional e outro estrangeiro. No Espaço Itaú, estreia Saudade, de Paulo Caldas (Baile PerfumadoDeserto Feliz). O diretor pernambucano reúne personalidades culturais do Brasil e Portugal como o cineasta Ruy Guerra, os músicos Arnaldo Antunes e Arrigo Barnabé, o escritor Milton Hatoum, o diretor teatral Zé Celso Martinez, a coreógrafa Deborah Colker, além de historiadores e pessoas comuns, para falar sobre a saudade. Os depoimentos são ilustrados por imagens poéticas e sensoriais.

Trailer de Saudade:


O aquecimento global é tema central de Uma Verdade Mais Inconveniente, de Bonni Cohen e Jon Shenk, que estreia apenas no Cineplex Batel. O filme é a sequência do sucesso Uma Verdade Inconveniente (2006), de Davis Guggenheim, vencedor de dois Oscars em 2007: melhor documentário e melhor canção.

O político americano Al Gore, segue sua campanha de alerta sobre os perigos da crise climática do planeta, ainda mais em tempos do presidente Donald Trump, que ignora o aquecimento global, abandonando e renegando toda a política sobre o tema adotada pelos governos anteriores ao seu. O filme também destaca os avanços obtidos na última década na obtenção de energias através de fontes limpas.

Trailer de Uma Verdade Mais Inconveniente:


Outras estreias

A comédia Correndo Atrás de um Pai, que estreia em várias salas na capital paranaense, tem como destaque o elenco recheado de figuras conhecidas do cinema. O filme do estreante Lawrence Sher conta a história dos irmãos Kyle (Owen Wilson, de Meia-Noite em Paris) e Peter (Ed Helms, da franquia Se Beber Não Case), que descobrem que a mãe Helen (Glenn Close, de Ligações Perigosas e Atração Fatal) escondeu a verdade sobre o pai deles, que teria morrido quando eram pequenos.

Na realidade, ela não sabe quem a engravidou, pois teve vários relacionamentos ao mesmo tempo nos libertários anos 1970. Kyle e Peter decidem viajar em busca do verdadeiro pai e no caminho encontram diversas possibilidades, como os personagens de J. K. Simmons (Oscar de ator coadjuvante por Whiplash: Em Busca da Perfeição) e Christopher Walken (Prenda-me se For Capaz), além de descobrir vários segredos da juventude da mãe.

Trailer de Correndo Atrás de um Pai:


O terror Sobrenatural: A Última Chave, também estreando em várias salas de Curitiba, é o quarto filme da franquia iniciada em 2010. O filme tem como produtor James Wan, diretor da série Invocação do Mal, destaque do gênero nos cinemas, além de ser da produtora da franquia Atividade Paranormal e do sucesso inesperado Corra!, filme que deverá ter algumas indicações ao Oscar deste ano.

O novo episódio de Sobrenatural é focado na doutora Elise Rainier (Lin Shaye), personagem de todos os episódios da série, que retorna à casa onde cresceu para resolver o mistério das assombrações que rondam o local.

Trailer de Sobrenatural: A Última Chave:


Sessão Vitrine

O novo filme da Sessão Vitrine Petrobrás é Pela Janela, da estreante em longa-metragem Caroline Leone, uma co-produção do Brasil com a Argentina.

Em cartaz apenas no Cineplex Batel, o filme traz a história de Rosália (Magali Biff), que perde o emprego aos 65 anos, depois que a fábrica onde trabalha é incorporada por outra. Ao vê-la desorientada na vida, o irmão José (Cacá Amaral) decide consolá-la e a leva em uma viagem de carro até Buenos Aires. No país vizinho, ela descobre um novo alento para seguir vivendo.

A produção recebeu o prêmio Fipresci do Festival de Roterdã 2017, na Holanda, concedido pela crítica e imprensa estrangeira que cobriu o evento “pela forma como mistura as esferas emocional e política sem ser excessivamente demonstrativo”.

Trailer de Pela Janela:




Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu