Destaques

ads slot

Empreendedores buscam novas alternativas para redução de custos

Self storages ajudam na otimização de custos e espaço para micro e pequenas empresas

Crédito: Priscilla Fiedler

O empreendedorismo parece ser a aposta para driblar a crise e o número reduzido de vagas de trabalho. Segundo levantamento da Serasa Experian, entre janeiro e maio de 2017, 955.368 novos negócios foram instalados no país, sendo 79,2% deles de microempreendedores individuais (MEIs). Mas, para sobreviver num mercado desafiador e competitivo, as empresas precisam planejar bem cada um de seus custos.
O alto custo do metro quadrado dos imóveis, principalmente nas grandes cidades, está fazendo com que os imóveis sejam cada vez menores. Esse pode ser um fator impeditivo para o crescimento, ou mesmo o nascimento, de um negócio que necessite armazenar produtos ou matéria-prima para produção. A solução que muitas empresas têm encontrado é a utilização das self storages, empreendimento já consolidado no exterior e que vem crescendo no Brasil.
Atualmente, são cerca de 200 self storages no Brasil e o mercado tem crescido cerca de 5% ao ano, de acordo com os dados da Associação Brasileira de Self Storage (Asbrass). O motivo do sucesso é a possibilidade de adequação às mais diversas necessidades, com valores acessíveis e facilidade para contratação. O locatário escolhe um box conforme metragem necessária contratando apenas o espaço que realmente vai precisar; e sem se preocupar com valores como condomínio, IPTU, luz e água. Outra vantagem é não precisar de fiador, além da flexibilidade de prazos já que os contratos são mensais.
Em Curitiba, a Espaço A+, self storage que acaba de completar um ano de atuação, comemora os resultados do empreendimento. “Embora o conceito ainda seja relativamente novo no mercado, os empresários já estão visualizando os benefícios e aderindo a essa opção. Fechamos o primeiro ano com um crescimento 20% acima do esperado”, revela Almir W. Parigot de Souza, um dos sócios-proprietários da Espaço A+.
Cerca de 60% dos clientes são formados por empresários que administram e-commerces, trabalham com representação e revenda de produtos ou prestam serviços sob demanda. Alguns desses empresários administram a empresa utilizando espaços de coworking, locando imóvel apenas para a área administrativa ou fazendo home office. É o caso da empresária Juliana Finger Varela, que trabalha como representante de vendas e marketing da Educatius Group, empresa que promove intercâmbio internacional. “Eu trabalho em casa, mas necessito de espaço para guardar material de divulgação. Até ano passado, utilizava uma área na casa de minha mãe, o que acabava gerando transtornos. Optei pela locação de box pela conveniência e, principalmente, pela localização. Posso retirar os materiais quando preciso e com agilidade”, comenta.
Empresas com maior sazonalidade no volume de estoque têm ainda mais vantagem no formato de contratação pois podem optar por locar mais boxes apenas quando necessário. O valor para locação do m2 gira em torno de R$ 70,00 e o cliente conta ainda com serviços de monitoramento em tempo integral e seguro complementar, a preço acessível, vantagens que podem fazer a diferença na planilha de custos de um negócio.

Empreendedorismo - por Rodrigo Okener

Empreendedorismo - por Rodrigo Okener


Especial


Colunistas

Menu