Destaques

ads slot

Jennifer Lawrence vive espiã russa em Operação Red Sparrow - Filmes, por Rudney Flores


Personagem de Lawrence é bailarina cooptada pelo serviço secreto russo.
Crédito da foto: Murray Close/Divulgação Twentieth Century Fox Film Corporation


Jennifer Lawrence é mais uma estrela de Hollywood a investir no gênero de espionagem com Operação Red Sparrow, uma das estreias da semana nos cinemas brasileiros. Dirigido por Francis Lawrence, que comandou a atriz em três dos filmes da franquia Jogos Vorazes, a produção é baseada na obra homônima do escritor Jason Matthews.

O texto investe no batido embate entre americanos e russos no campo da espionagem, numa época pós-queda do Muro de Berlim, destacando a história da jovem russa Dominika Egorova (Lawrence, vencedora do Oscar de melhor atriz por O Lado Bom da Vida), bailarina do tradicional Bolshoi que se vê obrigada a virar uma agente secreta após uma tragédia a impedir de dançar.

Sem recursos para sustentar a mãe doente, ela é cooptada pelo tio para trabalhar para o governo da Rússia. Dominika é enviada para participar do projeto Sparrow, que transforma mulheres e homens espiões em exímios sedutores, uma característica a mais de grande valor no embate contra os inimigos. Sua missão é se aproximar e seduzir o agente da CIA Nate Nash (Joel Edgerton, de Aliança do Crime) para descobrir o nome de um agente duplo russo que o apoia.

A trama se estende por longos 140 minutos, com as tradicionais viradas de filmes do gênero, nas quais alguns personagens não são realmente quem aparentam ser. Há ainda alguns coadjuvantes de luxo – Jeremy Irons (Oscar de melhor ator por O Reverso da Fortuna), Charlotte Rampling (indicada ao Oscar de atriz por 45 Anos) e Mary-Louise Parker (da série televisa Weeds) – que poderiam ser melhor aproveitados.

Mas, ao contrário do recente Atômica, bom filme do gênero estrelado por Charlize Theron, falta ação e dinamismo a Operação Red Sparrow. E em tempos de valorização da mulher no cinema, é estranho ver Lawrence, uma das principais ativistas da causa, vivendo um personagem que se vale praticamente apenas da beleza para triunfar, além de sofrer a valer em algumas cenas que escorregam para o sadismo. Cotação: Regular.

Trailer de Operação Red Sparrow:


Casa misteriosa

Uma história real é a inspiração para o terror A Maldição da Casa Winchester, outra das estreias da semana na capital paranaense. O filme dirigido pelos irmãos Michael e Peter Spierig (de Jogos Mortais: Jigsaw) destaca uma mansão localizada em San José, na Califórnia, construída por Sarah Winchester, herdeira da empresa de armas que fabricava os famosos rifles Winchester, muito utilizados nos Estados Unidos durante o século 19 e início do século 20.

A personagem real, vivida nas telas por Helen Mirren (Oscar de melhor atriz por A Rainha), sente-se amaldiçoada e decide erguer a estranha casa para acalmar a ira dos supostos fantasmas que a atormentam, todos mortos pelas armas da empresa fundada por seu falecido marido William Winchester. A construção, que durou 38 anos e foi realizada até sua morte, em 1922, acontecia durante 24 horas por dia, sete dias por semana, transformando a mansão em um intricado labirinto de mais de cem cômodos, escadas que não levam a lugar algum, janelas que intercalam quartos, entre outras bizarrices.

A trama do filme se passa no ano de 1906, quando os diretores da empresa duvidam da sanidade de Sarah e contratam um médico para avaliar sua situação e afastá-la do comando dos negócios. Cético em relação a espíritos e fantasmas, o dr. Eric Price (Jason Clarke, de A Hora Mais Escura) vai passar um tempo na famosa casa ao lado da proprietária, que mora junto com a sobrinha Marion Marriot (Sarah Snook) e o filho dela Henry (Finn Scicluna-O'Prey). Price tentará manter a racionalidade diante de situações cada vez mais pesadas e assustadoras.

Para quem aprecia o gênero, o curto filme segue a cartilha dos tradicionais sustos baseados nas aparições crescentes dos espíritos, mas nada que impressione muito. O que fica é a curiosidade sobre a casa real, chamada de Winchester Mystery House e ponto turístico de San José – a visita deve valer. Cotação: Regular.

Trailer de A Maldição da Casa Winchester:


Motorrad

Com exceção dos filmes do cultuado José Mojica Marins, o Zé do Caixão, o gênero terror é quase uma raridade no cinema brasileiro – há um circuito independente de produções B, mas elas dificilmente chegam ao grande público, ficando restritas a festivais. Por isso, são sempre bem-vindas novas investidas no gênero, ainda mais através de diretores conhecidos como Vicente Amorim (Irmã DulceO Caminho das NuvensCorações Sujos), que lança esta semana nos cinemas o longa-metragem Motorrad.

A produção é baseada em personagens criados pelo quadrinista Danilo Beyruth – da ótima HQ Bando de Dois e também da boa nova leitura do personagem O Astronauta, de Maurício de Sousa (Turma da Mônica), no selo Graphic MSP. O filme se inicia com Hugo (Guilherme Prates) jovem motoqueiro que se envolve em um roubo de peças, quando conhece a enigmática Paula (Carla Salle). Mais tarde, ao lado do grupo de motoqueiros do irmão Ricardo (Emílio Dantas, da nova versão de Os Saltimbancos Trapalhões), ele revê Paula, que os convida a se aventurar por um local proibido de uma serra do interior brasileiro. Na região, eles acabam sendo perseguidos por um misterioso grupo de motoqueiros vestidos de preto, que se mostra ultraviolento e inicia uma perseguição de morte aos jovens aventureiros.

Pena que Amorim tenha decidido focar apenas no estilo da produção e não desenvolva melhor a história e seus personagens. O filme até tem um bom visual, mas, da forma que foi realizada, a trama não vale mais do que um curta-metragem. Mas abre um caminho para outras iniciativas no gênero no Brasil. Cotação: Regular.

Trailer de Motorrad:


Projeto Flórida

Uma tocante visão do universo infantil é que promete Projeto Flórida, filme do diretor Sean Baker (Tangerine) que chega ao Brasil esta semana. A produção conta a história de Moonee (Brooklynn Prince), que vive com a mãe em um hotel de beira de estrada perto dos parques da Disney, na Flórida, nos Estados Unidos. A menina faz nova amizades e se diverte pregando peças nos vizinhos.

O local é comandando pelo gerente Bobby – Willem Dafoe (de A Última Tentação de Cristo), que recebeu a indicação ao Oscar de melhor coadjuvante pelo papel. Ele é um faz tudo sempre pronto a ensinar, defender e proteger Moonee e seus amigos.

Trailer de Projeto Flórida:


Outras estreias

Estreando apenas no Espaço Itaú, o documentário Piripkura, dos diretores Mariana Oliva, Renata Terra e Bruno Jorge, fala de dois índios nômades da etnia piripkura, que sobrevivem a décadas numa área da Floresta Amazônica protegida pela Funai, mas cercada por fazendas e madeireiras. Sua presença na selva é monitorada por um representante do órgão público e por uma outra índia piripkura, que sempre buscam vestígios e sinais nos locais por onde a dupla passou.

Trailer de Piripkura:

A animação Duda e os Gnomos, do diretor Peter Lepeniotis (O Que Será de Nozes?), destaca a personagem Duda, que junto com a mãe vai morar em uma nova e estranha casa. O local é cheio de gnomos de jardim, que logo ganham vida e dizem estar em batalha contra monstros que querem destruir o mundo. Duda e o amigo Liam se unem aos pequenos heróis para proteger a casa e impedir que os monstros ganhem o mundo.

Trailer de Duda e os Gnomos:


Filmes - por Rudney Flores


Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu