Destaques

ads slot

Steven Spielberg homenageia a cultura pop com O Jogador Nº 1


O protagonista Wade/Parzival (Tye Sheridan) vive diversas aventuras em mundo de realidade virtual.
Crédito da foto: Divulgação Warner Bros.



Um dos filmes mais aguardados do ano é a principal estreia da semana nos cinemas brasileiros. Jogador Nº 1, nova aposta de Steven Spielberg no cinema de fantasia, é baseado no livro homônimo do escritor Erners Cline, uma grande homenagem à cultura pop do qual o próprio cineasta americano é uma das principais figuras, o que o torna perfeito para a adaptação.

A história é mais uma a apresentar um futuro não muito otimista para o planeta. Em 2045, boa parte das pessoas do mundo vive miseravelmente, algumas em pilhas amontoadas de trailers, como o personagem central Wade Watts (Tye Sheridan, o novo Ciclope da franquia X-Men). Assim como todos os habitantes da Terra, ele escapa da dura vida cotidiana através de uma plataforma virtual chamada Oasis, jogo no qual as pessoas podem assumir o avatar que quiserem para ter amigos, dinheiro, fama, aventura, enfim, o que imaginarem.

Nesse mundo criado pelo mítico James Halliday (Mark Rylance, Oscar de ator coadjuvante por Ponte de Espiões, também de Spielberg), Wade é Parzival, um jovem esperto e cool que pilota um De Lorean turbinado – o carro da série De Volta para o Futuro, um dos diversos easter eggs (citações escondidas) do filme – e tem a parceria de Aech, Daito e Sho, avatares que não conhece na vida real.

O mote da trama é uma disputa pelo controle do Oasis. Antes de morrer, Halliday espalhou easter eggs pela plataforma. Quem os descobri-los recebe chaves que, juntas, vão dar a posse da empresa criada pelo criador de games. Boa parte do mundo procura descobrir os segredos que Halliday escondeu pelo jogo, sendo o principal a corporação maligna IOI, comandada por Nolan Sorrento (Ben Mendelsohn, de Rogue One), o grande vilão do filme. Wade/Parzival resolve o segredo da primeira chave e inicia a batalha pelo Oasis. Junto com a revolucionária Samantha/Art3mis (Olivia Cooke, de Eu, Você e a Garota Que Vai Morrer) e os amigos Aech, Daito e Sho, ele enfrenta Sorrento e a poderosa IOI.

Para quem gosta de games, Jogador Nº 1 é um delírio visual, principalmente nas versões em 3D do filme – a maior parte da produção é uma animação computadorizada passada na plataforma Oasis. Para os mais velhos ou ligados em cultura pop das décadas de 1980 e 1990, a diversão é identificar todas as referências diretas ou escondidas na trama – a melhor é a homenagem ao filme O Iluminado, de Stanley Kubrick, do qual Spielberg deu sequência ao projeto A.I – Inteligência Artificial, mas ainda há Michael Jackson, os jogos Atari, os filmes adolescentes de John Hughes, o Gigante de Ferro, Robert Zemeckis (diretor da trilogia De Volta do Futuro), entre muitas outras.

Jogador Nº 1 ainda traz elementos comuns ao trabalho do diretor, como a importância da amizade e dos valores morais, aliados a críticas à imersão desenfreada e o isolamento das pessoas no mundo eletrônico. Mas o que chama atenção mesmo é a ação alucinante e o visual impactante. É o veterano Spielberg retomando à velha forma e aos bons momentos de clássicos como E.T. – O Extraterrestre e as séries Indiana Jones e Jurassic ParkCotação: Ótimo.

Trailer de Jogador Nº 1:


Dobra no tempo

Outro filme de aventura e ficção científica a estrear na programação dos cinemas brasileiros esta semana é Uma Dobra no Tempo, dos estúdios Disney. A diretora Ava DuVernay (do elogiado Selma – Uma Luta Pela Igualdade) comanda alguns astros do cinema e do entretenimento para contar a história de três adolescentes que procuram por um cientista desaparecido, após se envolver em um projeto misterioso do governo americano.

Na produção, que teve muitas críticas negativas nos Estados Unidos, os irmãos Meg (Storm Reid) e Charles (Deric McCabe) vão em busca do pai Murry (Chris Pine, o Capitão Kirk da nova franquia Star Trek) e, em sua jornada pelo universo, contam com a ajuda do amigo Calvin (Levi Miller, de Peter Pan) e dos estranhos seres Mrs. Which (Oprah Winfrey, uma das figuras mais importantes e respeitadas da cultura americana), Mrs. Whatsit (Resee Whitespoon, Oscar de melhor atriz por Johnny & June), Mrs. Who (Mindy Kaling, da série televisa The Mindy Project) e Happy Medium (Zack Galifianakis, da franquia Se Beber Não Case).

Trailer de Uma Dobra no Tempo:


Diferentes romances

Conhecida pelas atuações nos filmes do cultuado diretor espanhol Pedro Almodóvar, como Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos, Rossy de Palma é a estrela de Madame, filme da novata diretora Amanda Sthers, que estreia apenas no Espaço Itaú em Curitiba.

A atriz espanhola vive Maria, empregada do casal de americanos Anne (Toni Collette, de Pequena Miss Sunshine) e Bob (Harvey Keitel, de Vício Frenético) que acaba de chegar a Paris. A dupla organiza um luxuoso jantar com 13 pessoas à mesa, mas a supersticiosa anfitriã decide transformar Maria em uma 14ª convidada misteriosa. Sem querer, a emprega chama a atenção de um importante comerciante de artes e conquista seu coração. Os chefes não aprovam a situação, mas pretendem usar Maria para conseguir dinheiro de seu apaixonado pretendente.

Trailer de Madame:


Juliette Binoche (Oscar de melhor atriz coadjuvante por O Paciente Inglês) segue com grande atividade no cinema e protagoniza Deixe a Luz do Sol Entrar, novo filme da diretora francesa Claire Denis (Bastardos), que chega à capital paranaense somente no Cineplex Batel.

A atriz francesa vive a artista plástica Isabelle, mãe divorciada à procura de um novo romance que seja verdadeiro. Em sua busca, ela tem encontros, brigas e algumas desilusões. O elenco conta ainda com a participação do astro francês Gérard Depardieu.

Trailer de Deixe a Luz do Sol Entrar:


Nacionais

A primeira parte da biografia do bispo Edir Macedo, líder espiritual da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) e proprietário da Record TV, chega para ocupar quase um terço das salas de cinema no Brasil e para talvez bater recordes de bilhetes vendidos.

Nada a Perder, dirigido pelo diretor televisivo Alexandre Avancini, inicia sua trajetória com 4 milhões de ingressos comprados antecipadamente – resta saber se este público realmente vai comparecer aos cinemas ou deixar várias salas na esdrúxula situação de estarem “lotadas”, com todos os bilhetes vendidos, mas sem nenhuma pessoa, como aconteceu em várias sessões de Os Dez Mandamentos, outra produção ligada à Iurd/Record e que detém o recorde de bilheteria no Brasil com mais de 11 milhões de supostos espectadores.

O filme, baseado na trilogia de livros homônima escrita pelo próprio Macedo, conta os principais momentos de sua história. O pastor é interpretado por Petrônio Gontijo (Memórias Póstumas de Brás Cubas). O elenco ainda conta com Dalton Vigh (Corpos Celestes) e Beth Goulart (Amores Possíveis). Uma continuação está prevista para o inicio de 2019.

Trailer de Nada a Perder:


No domingo de Páscoa, estreia na Cinemateca de Curitiba A Filosofia na Alcova, filme do grupo de teatro paulista Os Satyros. Com direção de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, fundadores e comandantes da companhia, a produção é baseada na peça homônima do Marquês de Sade, que já teve montagem teatral dos próprios Satyros na década de 1990.

Estrelada pelos atores do grupo, a história fala de uma casa clandestina na qual todos os prazeres sexuais são permitidos e destaca cenas de sadomasoquismo e orgias.

Trailer de A Filosofia na Alcova:



__



Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu