Destaques

ads slot

6ª Trama Curitibana reúne cinco marcas autorais no Hostel Matilda



Em clima de Festival de Teatro, evento leva moda, design, arte e música ao Centro Histórico nos dias 6, 7 e 8 de abril
Alexandre Linhares, Ed Medeiros e Helo Strobell. Na segunda fileira Ju Pinheiro, Bruna Bomfim e Thifany. F. 
crédito da foto do coletivo: Gabriela Moreno


Parada de viajantes e boêmios, o Hostel Matilda é um espaço singular e cativante no Centro Histórico de Curitiba. E, compartilhando da movimentação do Festival de Curitiba na região, será lá, entre os dias 6 e 8 de abril, que acontece a sexta edição do Trama Curitibana, que reúne cinco marcas locais: Bruna Bomfim, H-AL, Jacu, Pine-AX e Reptilia. Criado para estabelecer uma ponte acessível com o consumidor e fazer um intercâmbio entre os públicos das marcas, o coletivo Trama reúne jovens designers com espírito independente, que representam a criativa geração de marcas autorais da capital.  O principal ponto em comum entre as cinco marcas é a proposta autoral, ética e sustentável em sintonia com o movimento “slow”.
A primeira edição aconteceu em março de 2016 na  Reptilia e desde então o evento vem se firmando no calendário da moda local. Para este Trama estão programadas vendas especiais com peças de coleções novas e itens de coleções anteriores com descontos atraentes.
A cada edição, um artista local é convidado para, além de expor seu trabalho, ilustrar o material gráfico e dar o tom do evento. Nesta edição, a Trama homenageia a multitalentosa Katia Horn. Katia transita por múltiplas formas de expressão, das artes visuais, ao teatro, à música, ao cinema. Seu trabalho plástico reflete essa multiplicidade, quando se permite brincar com muitos materiais e falar através da pintura, desenho, gravura, colagens ou carimbos.


Bruna Bomfim
A joalheria autoral de Bruna Bomfim parte de um processo criativo de interação com metais nobres, onde a concepção, criação e produção das peças é realizada pela própria autora. As formas orgânicas e texturas são característica do fazer artesanal que se faz único em cada joia. Nessa edição do Trama, Bruna traz uma seleção das peças mais representativas do seu trabalho, que traduzem a essência da marca. Também apresenta o formato de encomenda de joias exclusivas. 

Vendas: espaço colaborativo Tau, Rua Presidente Taunay, 665
Instagram: @brunabomfimdesigndejoias


H-AL

Com um trabalho autoral e balizado no mínimo impacto possível ao meio ambiente, Alexandre Linhares e Thifany F. produzem peças de arte vestíveis para a H-AL ( o nome original de 2007 é Heroína). O pano (quase sempre feito com resíduos e reaproveitamento de tecidos) é usado como suporte de ideias e transformado em roupa, pautado em técnicas artesanais e manuais de produção. A performance é sempre presente na concepção, processo e fabricação das peças, onde o objeto têxtil é o produto final – e o único passível de venda – em um tratado audiovisual múltiplo. Distante do processo convencional  de moda, todas as peças são únicas e questionam nossa posição no mundo e nosso papel no tempo. Carrega na bagagem os figurinos para a cantora Elza Soares na turnê A Mulher do Fim do Mundo, além de exposição na Bienal de Curitiba, performances no MAC, Museu Oscar Niemeyer e Prêmio de Calçado Estilo Brasil no Francal Top de Estilismo.

Site: www.h-al.com
Facebook @hal.alexandrelinhares
Instagram @halartetextil

Jacu
A reputação do sujeito ‘jacu’ é associada ao estar fora de moda, aos sentidos de deslocamento e inadequação – aqui, a expressão das individualidades é celebrada em cada peça de roupa.  Assinada por Edson de Medeiros, a marca mantém distância dos meios de produção em massa e busca novas formas de relação na urbanidade. A Jacu reflete o comportamento brasileiro com lentes de ironia e provoca uma leitura irreverente do  entorno desde 2014. Quem entende a liberdade e ironia em ser jacu e transita pelo universo de calçadas barulhentas com bom humor é bem vindo a ser Jacu.

Atelier: Av. Presidente Getúlio Vargas, 4.482
E-commerce: jacustore.com.br
Instagram: @jacubr


Pine AX
Pine AX é a adaptação do nome da idealizadora e leatherworker Juliane Machado Pinheiro. A marca produz bolsas e outros itens exclusivos em couro, feitos um a um com alto padrão de qualidade. Cada peça é cortada à mão, costurada manualmente através de uma técnica de encadernação tradicional ou usando as máquinas vintage e terminando à mão, oferecendo a experiência ao consumidor da autenticidade artesanal. A ideia é oferecer algo único, que resista ao teste do tempo e da sazonalidade da moda. Uma manufatura não apenas extremamente original e atraente, mas também durável.

E-commerce: pineax.com
Instagram: @pineax_leathergoods


Reptilia
Criada pela arquiteta Heloisa Strobel em 2013, a marca apresentou sua primeira coleção comercial no ano seguinte em Paris a convite do BtoBe, incubadora de talentos brasileiros do TexBrasil. A marca tem como base a produção ética e sustentável, além da experimentação contínua de tingimentos e intervenções em tecidos. Todas as peças são criadas na charmosa loja-atelier com criação ao alcance dos olhos. Neste Trama, a Reptilia apresenta seu preview de Outono-Inverno com o tema Floresta Urbana. A coleção traz uma cartela de cores sóbria – que dá espaço a novas experimentações em modelagem. Golas volumosas, amarrações, zíperes aparentes e possibilidades de vários usos para uma mesma peça. A modernidade é versátil e a rotina do público Reptilia pede belos cortes com propostas inusitadas. Peças de coleções passadas terão até 60% de desconto.

Loja-atelier: Al. Prudente de Moraes, 1.282 - Centro
Instagram: @_reptilia


Serviço:
Trama Curibana - 6.a edição (Reptilia, Pine-AX, Jacu, Bruna Bomfim e H-AL
@tramacuritibana
Endereço: Hostel Matilda, Rua Mateus Leme, 120 – São Francisco
Data: dias 6, 7 e 8 de abril, das 11h as 20h
Formas de pagamento: dinheiro, cartões de débito e crédito (Visa, Master, Elo, Amex)
Assessoria de comunicação: Dani Brito (41) 9.9951.9083

Empreendedorismo - por Rodrigo Okener

Empreendedorismo - por Rodrigo Okener


Especial


Colunistas

Menu