Destaques

ads slot

Vingadores: Guerra Infinita celebra 10 anos de Marvel nos cinemas - Filmes, por Rudney Flores


O vilão Thanos busca as Joias do Infinito para poder aniquilar metade da população do universo.
Crédito da foto: Marvel Studios


O lançamento mais aguardado do ano chega aos cinemas neste fim de semana aos cinemas de todo o Brasil. Vingadores: Guerra Infinita, dos irmãos Anthony e Joe Russo (responsáveis por Capitão América: O Soldado Invernal e Guerra Civil), marca os dez anos do início da Marvel nos cinemas, com o primeiro filme do Homem de Ferro. Quase duas dezenas de produções depois, o estúdio soma reconhecimento da crítica e do público, arrecadando bilhões nas bilheterias de todo o planeta.

A aventura baseada nos personagens criados pelo venerado Stan Lee e diversos autores apresenta um novo encontro dos grandes heróis da Casa das Ideias nas telas, um verdadeiro filme evento em todos aspectos. O desfile de astros de Hollywood na tela é impressionante, alguns já consagrados como Robert Downey Jr. (Homem de Ferro) e outros que ganharam destaque a partir da participação nos filmes do estúdio – Chris Evans (Capitão América), Chris Hemsworth (Thor) e Chris Pratt (Peter Quill/Senhor das Estrelas) –, além de oscarizados ou indicados ao Oscar como Gwyneth Paltrow (Pepper Potts), Mark Ruffalo (Bruce Bunner/Hulk) e Benicio Del Toro (Conquistador); e ainda há gente nova chegando, como Peter Dinklage (Eitri).

Os fãs irão fazer festa com os encontros entre os heróis que ainda não se conheciam, principalmente a turma dos Guardiões da Galáxia com o Homem de Ferro, Homem-Aranha (Tom Holland) e Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch), que são responsáveis pelo momentos de humor característico de boa parte dos filmes do estúdio. Guerra Infinita também é quase uma colagem dos diversos estilos dos trabalhos anteriores já produzidos peala Marvel, absorvendo o tom de cada um deles e os unindo perfeitamente em harmonia.

A história é a que vem sendo anunciada há muito tempo nos filmes passados. Thanos (Josh Brolin, de Onde os Fracos Não Têm Vez, em versão computadorizada) quer reunir as seis Joias do Infinito em uma manopla em seu braço, o que o tornará ainda mais poderoso e permitirá que acabe com a metade da população do universo em um estalar de dedos (literalmente) – o vilão acha que há muito seres no mundo e a solução para evitar o caos é eliminar parte deles.

Seguindo o esquema das várias sagas do quadrinhos, é preciso ter acompanhado as produções da Marvel para saber onde está cada joia, separadas em diversos locais: a da realidade está com o Conquistador, como visto em Thor: Mundo Sombrio(2013); a do poder em Xandar, como apresentado em Guardiões da Galáxia (2014); a da mente está com Visão desde Vingadores: Era de Ultron (2015); a do tempo está no amuleto do Doutor Estranho (2016); a do espaço ficou com Loki após Thor: Ragnarok (2017); e a da alma é a única que não tem paradeiro conhecido.

Thanos vai em busca de cada gema, enfrentando e eliminando muito dos que passam por seu caminho. E é nesse aspecto que Guerra Infinita irá causar apreensão e emoção nos aficionados pelos heróis da Casa das Ideias – diversos irão perecer na batalha. O filme é uma espécie de O Império Contra-Ataca das produções dos Vingadores, acrescentando-se ainda a sanha de se eliminar personagens importantes vista em séries de sucesso da atualidade como Game of Thrones ou The Walking Dead. Mas, no mundo dos quadrinhos, morrer em uma história nunca é definitivo e o espectador só vai saber mesmo quem sobreviverá para a fase seguinte dos filmes da Marvel após o novo Vingadores, ainda sem título definido, e que só irá estrear em maio de 2019.

E quanto a esperar, vale sempre lembrar aos espectadores: Guerra Infinita tem apenas uma mas importantíssima cena pós-créditos, que só é revelada no final da interminável apresentação da extensa listagem de profissionais que realizaram o filme. Cotação: Ótimo.

Trailer de Vingadores: Guerra Infinita:


Homem ao mar

Estrelado pelos vencedores do Oscar Colin Firth (melhor ator por O Discurso do Rei) e Rachel Weisz (melhor atriz coadjuvante por O Jardineiro Fiel, do brasileiro Fernando Meirelles), o filme Somente o Mar Sabe, um dos destaque da programação da semana em Curitiba, apresenta a história real (pouco conhecida no Brasil) de Donald Crowhurst, um empresário inglês e marinheiro nas horas vagas que decidiu enfrentar o desafio de dar a volta o mundo sozinho em um barco.

A produção dirigida por James Marsh (de A Teoria de Tudo) é ambientada em 1968, no momento em que Donald (Firfh) tem dificuldades para tocar sua empresa, a qual vende um aparelho que ele mesmo inventou, o Navicator, um dispositivo portátil que dá a localização do usuário a partir de sinais captados de rádios marítimos e de aviões. Com poucos recursos para sustentar a mulher Clare (Weisz) e os filhos pequenos, ele decide entrar em uma competição proposta pelo jornal The Sunday Times, que oferecia um grande prêmio em dinheiro para quem conseguisse circunavegar a Terra de barco de forma ininterrupta, sem paradas. O quase falido empresário consegue o financiamento de um empresário local para construir um trimarã e aposta tudo que tem na empreitada.

Arrastado, o filme é focado na preparação da viagem – uma coleção de erros e atrasos, prenúncio de que muito poderia dar errado – e na viagem do personagem central, que encara desafios muito além de sua capacidade de inexperiente navegador. No mar, Donald ainda acaba se deparando com diversos problemas que, com o tempo, o obrigam a enfrentar dilemas morais inesperados.

Falta ao roteiro uma maior profundidade nos pensamentos e sentimentos que levaram o marinheiro solitário a um final surpreendente, o que prejudica e muito o trabalho do sempre competente Firth. Um pouco mais de especulação em suas motivações e uma tocada mais intimista na direção poderiam dar um rumo melhor representação dramática à história de Crowhurst. Cotação: Regular.

Trailer de Somente o Mar Sabe:


Protagonistas femininas

Outra estreia da semana baseada em uma história real, Estrelas do Cinema Nunca Morrem destaca o romance entre dois atores na Inglaterra. Ela é a excêntrica Gloria Grahame (Annete Benning, de Beleza Americana), vencedora do Oscar de atriz coadjuvante por Assim Estava Escrito (1952) e que esteve em vários filmes das décadas de 1940 e 1950, como A Felicidade Não se Compra e No Silêncio da Noite, com o astro Humphrey Bogart. Ele é o jovem desconhecido Peter Turner (Jamie Bell, de Billy Eliott), que ainda procura o sucesso na carreira.

Gloria está doente e a relação com Peter dá novo rumo a sua vida. Ele topa levá-la para Liverpool, sua cidade natal, onde a antiga diva ainda é adorada, principalmente pela família do rapaz. A produção é dirigida por Paul McGuigan (Victor Frankenstein) e estreia no Espaço Itaú.

Trailer de Estrelas do Cinema Nunca Morrem:


Estrela-mirim de filmes como Uma Lição de Amor e Guerra dos Mundos, Dakota Fanning nunca atingiu o sucesso de criança em sua carreira adulta, na qual teve o melhor momento como coadjuvante da franquia Crepúsculo. A atriz segue atuando em produções mais modestas como Tudo Que Quero, novo filme de Ben Lewin (As Sessões), no qual vive a jovem autista Wendy. Fanática pela série Star Trek, ela vive internada em um instituição aos cuidados da terapeuta Scottie (Toni Collette, de O Sexto Sentido) e longe da irmã mais velha Audrey (Alice Eve, coincidentemente de Star Trek – Além da Escuridão).

Wendy quer entrar em uma competição para escrever o roteiro de um episódio de Star Trek, mas precisa levar o texto até Los Angeles. Ela decide enfrentar suas limitações para viajar e realizar o sonho de participar de sua série favorita. O filme estreia no Cineplex Batel, Cinépolis e Espaço Itaú.

Trailer de Tudo Que Quero:


Nacionais

A produção A Cidade do Futuro, dos diretores baianos Cláudio Marques e Marília Hughes, que tiveram boa estreia em longa-metragem com Depois da Chuva (2013), retrata os tempos atuais das novas formas de composição das famílias. Na história, o casal homossexual Gilmar (Gilmar Araújo) e Igor (Igor Santos) tem que lidar com a gravidez inesperada de Milla (Milla Suzart), que terá uma criança de Gilmar.

Os três acabam formando uma família, mas têm que enfrentar machismo, homofobia e preconceitos da população de uma cidade do interior da Bahia, onde vivem. O filme entra em cartaz apenas no Espaço Itaú.

Trailer de A Cidade do Futuro:


Um dos principais atores e dramaturgos brasileiros, Gianfrancesco Guarnieri recebe uma homenagem em forma de documentário do neto Francisco. Guarnieri, que estreia esta semana no Cine Guarani, revela as várias facetas do artista também muito identificado com o engajamento político e a luta contra a ditadura militar brasileira – características presentes em sua grande obra, Eles Não Usam Black-Tie, texto teatral que foi adaptado para o cinema por Leon Hirszman, produção vencedora do prêmio do júri (Leão de Prata) do Festival de Veneza 1981.

O filme do jovem Francisco Guarnieri mostra ainda como seu pai, Paulo Guarnieri, e o tio, Flávio Guarnieri, também ganharam certo destaque como atores, mas depois acabaram se distanciando da arte e da política em suas vidas.

Trailer de Guarnieri:


E segue ainda em cartaz, no Cineplex Batel e no Cine Guarani, Severina, o sensível novo trabalho do diretor Felipe Hirsch. A produção, uma adaptação do próprio cineasta para o livro homônimo do escritor guatemalteco Rodrigo Rey Rosa, apresenta belas cenas na Ciudad Vieja, conhecida e visitada região de Montevidéu, capital uruguaia – o destaque fica por conta de uma linda sequência de uma leitura de poesia em uma livraria local, cenário principal do filme.

Na história, uma homenagem às pequenas livrarias e à literatura, R. (Javier Drolas, de Medianeras – Buenos Aires na Era do Amor Virtual), livreiro e aspirante a escritor, se apaixona por uma mulher misteriosa (Carla Quevedo, de O Segredo dos Seus Olhos), que rouba livros de sua loja. Cotação: Bom.

Trailer de Severina:


__


Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu