Destaques

ads slot

Bruce Willis estrela refilmagem de Desejo de Matar - Filmes, por Rudney Flores



Umas das principais estreias nos cinemas do Brasil nesta semana, Desejo de Matar, do diretor Eli Roht, é um remake do filme homônimo de 1974, que marcou a carreira do ator Charles Bronson. Assim como o original, a produção fala de violência, crime, armas e vingança, contando a história de um homem que perde a mulher e tem a filha seriamente machucada em um assalto e decide fazer justiça com as próprias mãos. O personagem é agora defendido por Bruce Willis, astro de filmes de ação como a série Duro de Matar.

Em tempos de Donald Trump e dá continuidade da violência com armas nos Estados Unidos – e também em outros países como o Brasil –, o filme poderia abrir um debate sobre porte de armas e se a violência deve ser respondida com mais violência. Roth até ameaça iniciar uma discussão do tema no início do filme, mas fica no meio do caminho ao preferir focar mais em seu cinema característico.

O diretor é pupilo de Quentin Tarantino, mas sua preferência não é pela violência estilizada, quadrinesca e não realista dos filmes do cultuado cineasta e sim pelo sadismo puro – Tarantino até flertou com o sadismo em certos momentos de Bastardos Inglórios, filme que tem Eli Roth no elenco, mas nada próximo do que Roth apresenta em seus filmes, os mais conhecido são os da série O Albergue, recheado de cenas que relacionam torturas e sexo. E algumas das cenas desse novo Desejo de Matar são a pura expressão do sadismo de seu diretor.

A história é até bem construída até o momento de revolta do personagem Paul Kersey, defendido por Willis. O médico (no original era um arquiteto) aguarda pacientemente alguma ação da polícia sobre o crime com sua família e só passa a agir quando acha que nada será resolvido. A partir daí, a trama segue com diversos furos, com Kersey tornando-se um justiceiro banal, sem nenhum apelo emocional. Há intenção de dar continuidade à série (a original teve cinco produções), como dá entender o final do filme, mas tudo irá depender mesmo do resultado nas bilheterias. Cotação: Regular.

Em tempo, para conferir uma obra realmente contundente, violenta e polêmica, vale acompanhar o recém-lançado videoclipe “This Is America”, a nova música de Childish Gambino – nome com o qual o ator Donald Glover (das séries de tevê Community e Atlanta) assina sua carreira musical como rapper –, que critica e reflete a violência com armas e o racismo nos Estados Unidos.

Trailer de Desejo de Matar:



O jogo

Outro lançamento de destaque nos cinemas esta semana, A Noite do Jogo, dos diretores novatos John Francis Daley e Jonathan Goldstein (responsáveis pelo roteiro do ótimo Homem-Aranha: De Volta ao Lar) traz um enredo já explorado em outras produções: uma pessoa ou grupo de pessoas atravessa uma jornada amalucada por uma noite ou período. No caso, o filme seria uma mistura do ótimo Vidas em Jogo (1997), de David Fincher, com Michael Douglas e Sean Penn, com o razoável Uma Noite Fora de Série (2010), de Shawn Levy, com Tina Fey e Steve Carell.

Na história criada pelo roteirista Mark Perez (de Aprovados), Jason Bateman (da franquia Quero Matar Meu Chefe) e Rachel McAdams (protagonista de diversos filmes românticos como o sensível Questão de Tempo) vivem o casal Max e Annie, viciados em jogos de tabuleiro e de mímica, nos quais são altamente competitivos. Eles sempre organizam uma noitada de jogos com os amigos e deixam de fora o vizinho Gary (Jesse Plemons, coadjuvante eterno de inúmeras produções), um policial esquisitão, excluído do grupo após se ter separado da esposa, que na realidade era a verdadeira amiga do casal central.

A competitividade aflora com a chegada de Brooks (Kyle Chandler, de Argo), irmão muito mais bem sucedido de Max, que propõe uma jornada diferente: ele contratou uma empresa para sequestrar uma pessoa do grupo de jogos e todos terão que descobrir depois seu paradeiro. Mas as coisas saem do controle quando um sequestro real acontece.

Bobo na maior parte do tempo, com algumas piadas leves e muito pastelão, o filme acaba até divertindo de verdade em alguns momentos e se sustenta pelo elenco, principalmente pela atuação do casal protagonista, perfeito na química e parceria. Cotação: Bom.

Trailer de A Noite do Jogo:



Europeus

Um triângulo amoroso está em destaque em À Sombra de Duas Mulheres, novo filme do diretor francês Philippe Garrel (de Amantes Constantes), produção que estreia apenas no Espaço Itaú e no Cineplex Batel.

Filmada em preto e branco, a produção fala do casal de documentaristas Pierre (Stanislas Merhar) e Manon (Clotilde Courau), que sonha realizar diversos filmes, mas tem que se virar em trabalhos temporários para se sustentar. Ele também se interessa por Elizabeth (Lena Paugam) e tenta manter o relacionamento com as duas mulheres, porém as coisas não saem como ele planejou.

Trailer de À Sombra de Duas Mulheres:


A comédia Acertando o Passo, do diretor Richard Loncraine (de Wimbledon – O Jogo do Amor) destaca um elenco de reconhecidos atores ingleses: Imelda Staunton (indicada ao Oscar de melhor atriz por O Segredo de Vera Drake), Timothy Spall (melhor ator no Festival de Cannes 2014 por Sr. Turner) e Celia Imrie (dos dois filmes O Exótico Hotel Marigold).

Na história, Lady Abbott (Staunton) é traída pelo marido após 40 anos de casada. Ela vai morar com a irmã mais velha Bif (Imrie), com quem pouco falava e tem inúmeras diferenças. Livre e sem papas na língua, Bif arrasta a irmã desiludida para diversas atividades como uma aula de dança, na qual Lady Abbott conhece Charlie (Spall), com quem poderá emendar um novo romance. A produção estreia apenas no Cinépolis Pátio Batel.

Trailer de Acertando o Passo:




Brasileiros

A semana tem muitas estreias de filmes nacionais. O destaque fica com Todos os Paulos do Mundo, filme de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira que homenageia os 60 anos de carreira de Paulo José, completados em 2017.

Um dos maiores atores brasileiros, Paulo José tem trabalhos marcantes no cinema – Todas as Mulheres do MundoMacunaímaO Palhaço –, no teatro – Eles Não Usam Black-TieA Controvérsia – e na televisão – em novelas como Por Amor e Caminho das Índias e séries como A Muralha. O documentário faz parte do projeto Sessão Vitrine Petrobrás e estreia no Cine Guarani.

Trailer de Todos os Paulos do Mundo:
Também em cartaz apenas no Cine Guarani, o drama Para Ter Onde Ir traz a história de três amigas que se aproximam em uma viagem: Eva (Lorena Lobato) é mais formal e madura do grupo; Melina (Ane Oliveira) está à procura de um amor que a complete; e Keithylennye (Keila Gentil) tem um filho e abandonou a carreira como dançarina de tecnobrega. A produção, filmada no Pará, é dirigida por Jorane Castro.

Trailer de Para Ter Onde Ir:



Sequência de um documentário realizado em 2013, que falava do grande número de partos de cesárea realizados no Brasil, O Renascimento do Parto 2 apresenta mães que tiveram problemas físicos ou psicológicos decorrentes de partos mal realizados. O diretor Eduardo Chauvert também destaca um hospital da rede pública que é referência em partos humanizados. O filme está sendo lançado no Cinesystem Curitiba e no Espaço Itaú.

Trailer de O Renascimento do Parto 2:



Hare Krishna

Em cartaz apenas no Cinépolis Pátio Batel, o documentário Hare Krishna! O Mantra, o Movimento e o Swami Que Começou Tudo, de John Griesser, retrata o período em que Srila Prabhupada, fundador do movimento espiritual Hare Krishna, passou pelos Estados Unidos, no início dos anos 1970. Ele influenciou jovens hippies e algumas estrelas da música como o ex-Beatle George Harrison e o cantor Boy George, do grupo Culture Club.

Trailer de Hare Krishna! O Mantra, o Movimento e o Swami Que Começou Tudo:



Festival Europeu

A democracia é o tema do Festival de Cinema Europeu, promovido esta semana pela Cinemateca de Curitiba. A mostra faz parte da 14ª Semana da Europa, evento que celebra o dia do continente (9 de maio), data da assinatura da Declaração Schuman, considerada o início da União Europeia.

Serão duas sessões por dia, sempre às 17 e 19 horas, com entrada franca. A mostra vai até o dia 16 de maio e exibirá 12 filmes da Áustria, Portugal, Países Baixos, França, Itália, Hungria, Irlanda, Chipre, República Tcheca, Alemanha, Suécia e Dinamarca. Confira programação no site da Fundação Cultural de Curitiba (ww.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/cinema/).


___






Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu