Destaques

ads slot

Por que não consigo ter uma ótima ideia para ficar rico? - Empreendedorismo, por Rodrigo Okener

 

                Alguém alguma vez já ouviu essa frase ou até mesmo já se pegou dizendo isso para alguém? Pois eu sempre escuto as pessoas dizendo isso por aí. Hoje quero desmitificar essa crença da ideia milionária e apresentar uma outra forma de olhar para a ideia de um milhão de dólares.
                Acredito que em algum momento a tal inspiração aparece e num piscar de olhos toda sua vida pode mudar. Entretanto, ficar esperando por esse momento pode ser muito frustrante e um tanto demorado. Vejamos só: digamos que você seja agraciado com a melhor ideia do mundo. Ela pode ser a melhor para você, mas ela precisa ser boa para o público! Afinal de contas, alguém precisa comprar seu produto ou serviço, e isso só vai acontecer se de fato o produto/serviço que você criou satisfazer uma necessidade real de algum público. Se isso acontecer então de fato você terá encontrado seu unicórnio.
                Olhando por essa perspectiva, podemos então mudar a forma de pensar. Ao invés de procurar ter uma ideia incrível que ninguém nunca teve, seja observador e procure identificar no dia-a-dia as necessidades das pessoas. As falhas nos processos e as brechas que outros negócios deixam abertas, ao serem identificadas, podem se tornar novos negócios.
                Apesar de clichê, o Uber é um dos exemplos mais conhecidos de que não se trata de uma super ideia que iluminou a cabeça do seu fundador e que então nascia uma empresa que mudaria a forma das pessoas se transportarem. O que o fundador do Uber fez foi observar e identificar que o transporte das grandes cidades tinham falhas e pontos que precisavam de melhorias. Em seguida, trabalhou duro para encontrar as soluções que iriam resolver o problema das pessoas e iriam fazer com que elas quisessem usar o serviço oferecido pelo aplicativo. Outro exemplo simples da importância de observar oportunidades ao invés de tentar ter a ideia brilhante é o AirBnB, que também percebeu as falhas do setor hoteleiro e se propôs a resolver essas falhas de maneira simples, criando um negócio que as pessoas iriam querer usar.
                Poderia eu continuar citando exemplos e mais exemplos. Mas no final o ponto em comum entre todas as maiores empresas e startups do mundo é o mesmo: a necessidade ou problema que elas resolvem, e fazem com que as pessoas queiram usar os produtos ou serviços oferecidos por elas.
                Afinal de contas, ir devolver o DVD na locadora na segunda-feira não era nada legal, não é mesmo, Netflix?

Rodrigo Okener, empresário.
https://www.instagram.com/ro_okener/


Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu