Destaques

ads slot

Homem-Formiga e a Vespa destaca aventura com tom leve e familiar


Evangeline Lilly (Vespa) e Paul Rudd (Homem-Formiga) unem forças no novo filme da Marvel.
Crédito da foto: Divulgação/Marvel


Homem-Formiga e a Vespa, principal estreia nos cinemas esta semana, é uma espécie de pausa para respiro para os fãs do Universo Marvel, que aguardam com muita ansiedade a conclusão da saga dos Vingadores, programada para o próximo ano. Dirigido por Peyton Reed, o novo filme do herói defendido pelo ator Paul Rudd traz novamente uma história mais familiar, assim como o primeiro longa do personagem, lançado em 2015.

Após os acontecimentos de Capitão América – Guerra Civil, Scott Lang/Homem-Formiga (Rudd) está em prisão domiciliar e perdeu o contato com Hank Pym (Michael Douglas), o Homem-Formiga original, e Hope Van Dyne (Evangeline Lilly), a Vespa. Ao mesmo tempo, Pym busca uma solução para trazer Janet Van Dyne (Michelle Pfeiffer) – a Vespa original, além de sua esposa e mãe de Hope – de volta do Reino Quântico, no qual está presa há décadas. Ele está muito perto de seu intento, mas terá muitas dificuldades, pois a tecnologia para a tarefa é disputada pela nova vilã Fantasma (Hannah John-Kamen, de Jogador Nº 1) e o negociador Sonny Burch (Walton Goggins, de Os Oito Odiados).

Apesar de toda a trama de ação, a família continua sendo um dos principais focos da história. Lang busca um modo de não voltar a ser preso e perder o contato com sua filha (está a poucos dias de passar para uma condicional e poder vê-la todo o dia), enquanto tudo o que Hope quer é ver a mãe novamente. E Lang acabará tendo uma ligação emocional com Janet que poderá ser a chave para a salvação da antiga heroína.

A produção traz, ainda, piadas mais leves, algumas cartunescas, e as cenas de ação são pura animação, muito indentificáveis para quem já leu um gibi de heróis quando era pequeno. Homem-Formiga e a Vespa, claro, perde na comparação com os dois grandes filmes da Marvel Studios lançados anteriormente este ano – Pantera Negra e Vingadores – Guerra Infinita –, mas é boa e honesta diversão para todos os públicos. O filme ainda tem duas cenas pós-créditos e uma delas tem conexão direta com Guerra InfinitaCotação: Bom.

Trailer de Homem-Formiga e a Vespa:


Deslizes familiares

Famílias desajustadas não são novidade no cinema contemporâneo e mais uma delas é retratada em Canastra Suja, novo filme do diretor Caio Sóh (Minutos Atrás), que chega a Curitiba esta semana no circuito da Fundação Cultural de Curitiba, na Cinemateca e no Cine Guarani.

Ninguém é confiável no roteiro desenvolvido pelo próprio Sóh. Batista (Marco Rica, de O Invasor), o patriarca da suburbana família carioca, é alcoólatra e violento, e vive as turras com o filho Pedro (Pedro Nercessian, de Julio Sumiu), que não quer nada com trabalho e tenta até ser michê para sair de casa. A mãe Maria (Adriana Esteves, de Real Beleza) tem um caso com o namorado da filha Emilia (Bianca Bin, em seu primeiro trabalho no cinema), que por sua vez flerta com o médico com o qual trabalha. O núcleo familiar é fechado com Rita (Cacá Ottoni), a caçula autista.

Realizado com muita câmera na mão, buscando o maior realismo possível, o filme até avança bem inicialmente, com os personagens sendo cada vez mais sórdidos, destacando o bom trabalho do elenco. Mas Sóh acaba inserindo reviravoltas demais na trama, manipulando além da conta o espectador. O final irônico fecha bem a produção, mas não é fácil de ser digerido. Cotação: Bom.

Trailer de Canastra Suja:


Mulheres alteradas

Uma das principais estreias da semana, a comédia Mulheres Alteradas traz para as telas algumas das personagens dos cultuados livros de quadrinhos criados pela argentina Maitena. O filme marca a estreia do diretor de tevê Luis Pinheiro no cinema e destaca no elenco as atrizes Deborah Secco (Bruna Surfistinha), Alessandra Negrini (2 Coelhos), Monica Iozzi (A Comédia Divina) e Maria Casadevall (Depois de Tudo).

Na história, todas enfrentam diversos problemas: Keka (Secco) está em crise com o marido Dudu (Sérgio Guizé, de Além do Homem); a workaholic Marinati (Negrini) muda a vida quando se apaixona; Leandra (Casadevall) está cansando da vida de baladeira; e Sônia (Iozzi) quer fugir da rotina diária de cuidar dos filhos.

Trailer de Mulheres Alteradas:


Desobediência

Depois de ter apenas uma sessão especial há duas semanas em Curitiba, Desobediência, o elogiado novo trabalho do chileno Sebastián Lelio, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro este ano por Uma Mulher Fantástica, entra em cartaz no Espaço Itaú esta semana.

Lélio investe novamente em um tema polêmico ao contar a história de um proibido amor lésbico. Ronit (Rachel Weisz, Oscar de melhor atriz coadjuvante por O Jardineiro Fiel) retorna de Nova York, onde mora, para a comunidade reliosa de sua família na Inglaterra, para o enterro do pai. Ela não é bem vista por seus pares, mas é acolhida pelo amigo Dovid (Alessandro Nivola, de Coco Antes de Chanel), futuro rabino local, substituindo seu pai, e também marido de Esti (Rachel McAdams, de Questão de Tempo), sua paixão de adolescência. O reencontro vai reacender o forte sentimento entre as duas mulheres.

Trailer de Desobediência:


Outras estreias

Custódia, estreia na direção do ator Xavier Legrand, apresenta a disputa entre o casal Miriam (Léa Drucker, de O Melhor Professor da Minha Vida) e Antoine Besson (Denis Ménochet, de Bastardos Inglórios) pela guarda do filho, após o divórcio. A mulher acusa o ex-parceiro de ser violento e pede a custódia exclusiva. Julien (Thomas Gioria) parece ter realmente pavor do pai, mas a juíza concede a guarda compartilhada e o menino fica refém da batalha dos pais.

Legrand recebeu o prêmio de melhor diretor do Festival de Veneza 2017 pelo trabalho. O filme estreia no Espaço Itaú e no Cineplex Batel.

Trailer de Custódia:


Em mundo que cada vez mais aceita a diversidade, as novas formações familiares tem sido foco de algumas produções recentes do cinema. É o caso da produção japonesa Entre-Laços, da diretora Naoko Ogigami, que destaca a história da menina Tomo (Rinka Kakihara). Após ser abandonada pela mãe, ela passa a morar com o tio Makio (Kenta Kititani), que tem uma relação com a namorada Rinko (Toma Ikuta).

Tomo percebe que Rinko é uma mulher transexual e fica confusa. Mas, com o tempo, ela percebe que pela primeira vez está sendo criado em uma família estável e não quer abandonar essa experiência. O filme estreia apenas no Espaço Itaú.

Trailer de Entre-Laços:


Com sessões programadas apenas para o Cineplex Batel, o drama com tons de comédia Nos Vemos no Paraíso, do diretor francês Albert Dupontel (Uma Juíza sem Juízo) é ambientado nas primeira décadas do século 20.

Na história, os soldados franceses Édouard Péricourt (Nahuel Pérez Biscayart) e Albert Maillard (Dupontel) se conhecem no final da Primeira Guerra Mundial. Em comum, a dupla tem apenas o ódio pelo tenente Preadelle (Laurent Lafitte). Anos depois, os dois vivem de falcatruas e se unem para desmascarar uma farsa do temido ex-tenente. O filme está sendo lançado apenas no Cineplex Batel.

Trailer de Nos Vemos no Paraíso:


Co-produção Brasil-Espanha, a animação A Tropa de Trapo na Selva do Arco-Íris, de Álex Colls, tem estreia esta semana na Cinemateca e no Cine Guarani. A aventura infantil, tem como protagonistas animais de variados tipos e é focada na defesa das questões ambientais.

Trailer de A Tropa de Trapo na Selva do Arco-Íris:

___


Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu