Destaques

ads slot

VOLTA ÀS AULAS: PAIS REVELAM SUAS EXPECTATIVAS QUANTO AO PAPEL DA ESCOLA NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS



Com a retomada das aulas, as famílias se adaptam às rotinas pós-férias e, com o olhar no futuro da sociedade local e global, demonstram interesse crescente por metodologias voltadas a uma formação humana e colaborativa, como o diferenciado Método Montessori, adotado há mais de 50 anos pelo Colégio Sion Curitiba
Daniel Ferreira com a esposa Ana Paula Pellegrinello e a filha Martina: busca de uma escola que proporcione o desenvolvimento humano aliado ao conhecimento  


Mundo digital, realidade virtual, realidade aumentada, exploração espacial, globalização, desglobalização. Em um mundo tão dinâmico como o atual, qual o papel da escola na formação de crianças e adolescentes? O que os pais esperam da escola? Na retomada das aulas neste segundo semestre, percebe-se uma atenção cada vez maior por parte de uma grande diversidade de famílias a valores que vão além da busca da escola adequada levando em conta apenas critérios voltados à formação técnica e ao desenvolvimento de habilidades que, no futuro, vão conferir aos ainda jovens estudantes uma postura altamente competitiva no ambiente de trabalho. Os pais, ao apostar na formação escolar dos filhos, vêm buscando de forma crescente opções que contemplem valores humanos, como o convívio em sociedade, a responsabilidade para com a comunidade, a atenção ao próximo, a preocupação com o meio ambiente e o trabalho em equipe.

Com a retomada das aulas para o segundo semestre em 30 de agosto, o Colégio Sion Curitiba observa esta tendência de forma cada vez mais frequente entre os pais que procuram a escola. É o caso do advogado Daniel Ferreira, pai de Martina, que iniciou sua vida escolar este ano, com 2 anos de idade, no Ensino Infantil da unidade Batel do ColégioSion Curitiba. “Na sociedade tecnológica e midiática de hoje, são raros exemplos positivos. Então, ao escolher a escola, buscamos um espaço de convivência, de formação e de informação compatível com o que gostaríamos de produzir no ambiente escolar. Eu não quero só passar informações, quero auxiliar na construção de uma sociedade livre, justa e solidária”, observa o advogado.

“Sou professor e minha esposa também. Temos a maior preocupação com a vida acadêmica, com a formação para a vida, não só como informação. Nossa preocupação abrange o convívio. Dentro disso, nossa busca por uma escola para a Martina foi por um espaço em que ela possa aprender a conviver com responsabilidade e ter informações necessárias para sua vida pessoal e profissional”, explica. “Acreditamos que, hoje, o mundo moderno não comporta simplesmente pessoas disputando. É preciso compreender as diferenças, trabalhar em equipe e ter consciência de responsabilidade de um para com todos e vice-versa. Buscamos uma formação humana, compatível com a sociedade atual, que exige de todos uma consciência coletiva”, aponta.

ENSINO HUMANO
A Metodologia Montessori, hoje em evidência, criada pela educadora italiana Maria Montessori há 111 anos e adotado, de forma vanguardista, pelo Sion Curitiba há mais de 50 anos, foi outro fator positivo na avaliação de Daniel Ferreira. “Achei o método muito interessante. Pudemos verificar que é uma proposta nova, na perspectiva do mercado. Não no sentido da experiência do Sion, que atua há muito tempo com esta metodologia. Esta proposta pedagógica aliada à experiência no âmbito de ensino de tantos anos nos deixou muito confortáveis para apostar todas as nossas fichas neste colégio”, comenta.

Para Vanessa Kerniski, mãe de Júlia, que cursa o 2º ano na unidade do Solitude no Sion Curitiba, outra característica positiva do método é o direcionamento para formar pessoas com flexibilidade. “A escolha pelo Sion veio muito de minha experiência pessoal com a escola. A Julia estudou em uma outra escolinha pequena. E, como ficaria apenas até os 5 anos, fui conversar com a diretora para entender o perfil dela como aluna – já que, como criança, conheço minha filha muito bem. A partir deste feedback, comecei a pesquisar algumas escolas e, no Sion, já temos uma ligação familiar. Ela já é a quarta geração a estudar no Sion. A avó da Julia, inclusive, foi professora no Sion Solitude”, conta.
“Como a avó também foi professora, conversei com ela, que me passou sua avaliação quanto ao Método Montessori: muito positivo para o desenvolvimento dos alunos”, acrescenta. Formada em Publicidade, Vanessa Kerniski observa que uma preocupação grande ao procurar a escola foi por um local em que a criança pudesse receber de fato atenção individualizada, como é o caso do Método Montessori, mas ao mesmo tempo estimulando a convivência e o compartilhamento. “Para mim, o Sion é mágico neste sentido. Porque sei que, aprender, a Julia vai aprender em todo lugar, mas no Sion sinto que o conhecimento nasce na criança, floresce de dentro para fora. É um despertar para o conhecimento, que estimula a criança a desenvolver sua autonomia”, aponta.

PENSAR FLEXÍVEL
“Algo que quero explicar muito para a Julia é que cada um dita o seu ritmo. E o Método Montessori tem isso, cada aluno se desenvolve no seu tempo, claro que mediado pelos educadores. Gosto muito desta questão de ‘preserve seu ritmo’. Este é um aprendizado importante”, assinala. “Eu, por exemplo, me formei em Comunicação, fiz pós para atuar nessa área, mas me realizei na advocacia. Então, com 29 anos me formei advogada. E quero que a Julia tenha isso. Por mais que a sociedade atual esteja sempre correndo contra o tempo e querendo chegar a uma linha de chegada que não se sabe bem qual é, desejo que ela curta o caminho. Não atropelo as fases dela. Quero que tenha experiências, e não corra tanto”, pondera.

“E no Sion, percebemos que a escola, além de trazer o conhecimento das disciplinas, também estimula o desenvolvimento da habilidade social. E, como no meu caso, é importante que a criança também perceba que ela pode mudar o curso de suas escolhas, como aconteceu mesmo comigo, que tudo não precisa ser definido quando o aluno ainda é tão jovem”, afirma. “Não trato a relação com a escola como relação de consumo. A escola se alinhou muito com as minhas expectativas, e quero que minha outra filha também estude no Sion, quando estiver um pouco maior.”

ESCOLA PARA A VIDA
Para Katia Beltrami, coordenadora da Educação Infantil do Sion Curitiba, o olhar individualizado e a educação personalizada, que integram a metodologia da escola, são conceitos importantes na condução da educação de crianças e jovens respeitando cada um e sua história. “Em função das mudanças da sociedade, a escola tem assumido outras funções que são da família. O importante é resgatar que a função da escola é pedagógica! Procuramos a formação do homem consciente, integral nas diversas dimensões: espiritual, cognitiva, emocional, social e corporal! Uma pessoa que respeite o outro, o ambiente e a si próprio. Que reconheça os valores essenciais para o desenvolvimento moral, ético e humano, especialmente no relacionamento com o outro. E, por ser a escola um espaço social, esses aspectos podem ser desenvolvidos e aprimorados”, salienta. “A escola é a instituição que está entre a família e a sociedade. Os laços entre família e escola devem ser estreitos e de confiança, para que haja proximidade em prol do bem comum que é a criança/aluno.”

Ela explica que, dentro da proposta do Sion Curitiba, o foco está em uma educação que permita aos alunos enxergar o mundo ao seu redor. “No Sion adotamos a Metodologia Montessori. Preparamos nossos alunos para vida, para que sejam autônomos em suas atitudes, conscientes, reflexivos e também resilientes. O Método Montessori é também uma filosofia de vida: o respeito ao próximo, à livre escolha e ao ritmo de cada um, o aluno leva para vida”, indica. “Assim como o espírito investigativo, o aluno também aprende a estudar. As atividades de vida prática proporcionam a realização de tarefas diárias e da vida cotidiana da criança que permitem o desenvolvimento de habilidades motoras e da autonomia”, reforça. “O respeito ao ambiente, à turma, ao trabalho e a si mesmo é levado para a vida toda.”

A educadora também salienta que a escolha de uma escola pelos pais está frequentemente em alinhamento com a filosofia da própria família. “Os pais, quando procuram uma escola, buscam pela instituição que mais se adequa aos conceitos da família. Ao procurar a nossa escola montessoriana, os pais buscam uma educação diferenciada, baseada no respeito, no acolhimento, na autonomia e na relação. Nossos alunos são educados para questionar, refletir e criticar! Enfim, buscar soluções e novas aprendizagens para as mudanças que a sociedade traz e apresenta.”

SOBRE O SION CURITIBA
A formação de crianças e jovens para a vida é um desafio na atualidade, com a velocidade das transformações na chamada era digital. Referência no ensino, o Colégio Nossa Senhora de Sion de Curitiba une tradição e atualização constante, atuando com base na inovadora linha pedagógica da Metodologia Montessori associada ao Método de Psicomotricidade Ramain.  Fundado em 1906, com proposta educativa voltada ao desenvolvimento humano, o Colégio SionCuritiba prepara integralmente, há 112 anos, pessoas e cidadãos aptos a se posicionar diante dos desafios da vida com resiliência, sabedoria e tolerância, características mais que necessárias ao agitado cotidiano contemporâneo.

BOX
Volta às aulas sem ansiedade
Com a retomada da rotina, o período de retorno escolar muitas vezes desperta a ansiedade tanto nos pais quanto nos alunos. A educadora do Colégio Sion Katia Beltrami, traz dicas importantes para que a retomada do cotidiano após as férias seja o mais fluente possível para todos.
  1. A primeira atitude é reestabelecer a rotina da criança/jovem antes do início das aulas, especialmente em relação ao sono e à alimentação.
  2. Iniciar o hábito de leitura, organizar o material escolar e uniforme são pontos que colocam a criança em contato com a rotina escolar.
  3. Para os alunos de ensino integral que estão indo pela primeira vez à escola, é importante que a família converse, explique que é um lugar no qual haverá outras crianças, espaço para brincar, etc.
  4. Ao iniciar as aulas, os pais devem fortalecer a criança, passando-lhe segurança.
  5. É importante também que os pais, ao deixar os filhos pequenos na escola, avisem que estão saindo e que voltam.
  6. Os alunos, na Educação Infantil, devem permanecer no colégio, nem que por um pequeno tempo pois precisam criar vínculo.
  7. Família e professores têm que respeitar o tempo de adaptação de cada aluno.
  8. Um aspecto fundamental é a confiança na escola e nos professores.

Serviço:
COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION DE CURITIBA
Bairros: Sion Batel e Sion Solitude
Cursos: Educação Infantil; Ensino Fundamental I; Ensino Fundamental II; Ensino Médio; Período Integral
Fone: 41 3019-6155 (Batel) | 41 3226-6161 (Solitude)
Endereço:
Alameda Presidente Taunay, 260 (Batel)
Rodovia Curitiba-Paranaguá BR 277, 4761 (Solitude)

Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu