Destaques

ads slot

Vem aí a 2ª Violada, no Espaço Bamboo



O evento ocorre no próximo dia 5 de outubro, a partir das 19h30


            O projeto "Violada - circuito autoral das violas brasileiras” chega com a 2ª edição no Espaço Bamboo, em Curitiba. Garantindo o sucesso da 1ª edição, esta está ainda mais especial: o evento, que tem como anfitrião Emiliano Pereira, terá a presenta ilustre do violeiro Claudio Avanso. A 2ª edição do “Violada – circuito autoral das violas brasileiras” ocorre nesta sexta, 5, a partir das 19h30 e os ingressos custam R$ 20.

Sobre o “Violada – circuito autoral das violas brasileiras
O projeto “Violada – circuito autoral das violas brasileiras” visa à circulação de violeiros de várias regiões do Brasil. O intuito dessa circulação é promover o intercâmbio entre os músicos participantes, além da formação de público para a nova produção musical das violas. Violeiros com reconhecido trabalho ou que estão se projetando no cenário musical poderão, assim, alcançar o público simpatizante da música de viola em diversas regiões brasileiras.
Viola caipira, nordestina, viola de cocho, de fandango, de machete, de buriti, de cabaça... são inúmeros os tipos de instrumentos de corda que recebem o nome de “violas”. Instrumentos de forte expressão regional, as violas brasileiras possuem uma história que nasce no período colonial e chega até nossos dias reforçando cada vez mais sua importância como símbolo de identidade cultural brasileira. Atualmente as violas representam tanto a lida rural e suas memórias, quanto a inovação, renovação e resistência culturais. 
A Violada irá proporcionar ao público de diferentes regiões brasileiras o acesso à música que tem sido produzida pelas novas gerações de tocadores de viola e de compositorxs que bebem na fonte da música tradicional caipira, nordestina, caiçara, fronteiriça, e que também se inspiram em outras fontes musicais como a música sul-americana, o sertanejo, o rock, o blues, a MPB, o choro, o jazz, o rap, o samba, e tantas outras.
Esse circuito pretende fomentar e ampliar o espaço de atuação dos violeiros independentes, principalmente os que ainda carecem de locais para apresentar seus trabalhos musicais. Através dessa iniciativa, os anfitriões(ãs) poderão dialogar com estabelecimentos comerciais, assim como parceiros, patrocinadores, apoiadores e o público, visando sempre à valorização d@ artista visitante e à manutenção do circuito.
Cada apresentação contará sempre com um(a) Anfritriã(o) ─ um(a) violeiro local que receberá o Visitante do circuito abrindo o espetáculo ─ podendo haver ao final do show uma breve interação entre os artistas, quando tocarão juntos. 
O espetáculo terá duração de aproximadamente 1h30m. Quando encerrado o show, haverá um breve bate-papo entre artistas e público, e o Anfitriã(o) reforçará o objetivo e a importância do circuito, a fim de fortalecer a parceria com o público local. É possível ainda pensar em outras atividades relacionadas ao espetáculo como oficinas, aulas, rodas de violas, palestras etc.
Durante o ano de 2017, cada ponto criado para a Violada convidará principalmente os violeiros da própria região, a fim de divulgar a idéia do circuito a nível local.
A partir de 2018 o circuito levará os artistas a circularem por todos os pontos que recebem a Violada.
O projeto leva o nome de “Violada” porque procura dar visibilidade e projeção à diversidade da nova música que tem sido feita com as violas brasileiras, pois, nos últimos anos, é notável a pluralidade musical da produção dos violeiros. A Violada vai aproveitar desse caldeirão musical para reunir o público amante das violas promovendo encontros, prosas, emoções, aprendizados e muita cantoria. 
A Violada dá boas vindas ao público simpatizante e, principalmente, aos(às) violeiros que se dedicam à tocar, estudar, ensinar viola, seja ela caipira, sertaneja, nordestina, fandangueira, fronteiriça... Esse circuito foi pensado em atender a produção autoral dos tocadores de viola proporcionando espaço e público para isso. Reforçamos que o circuito não visa o lucro de pequenos grupos: é um esforço coletivo que pretende facilitar a divulgação dos trabalhos autorais e custear as despesas básicas para tanto. Tal mutirão cultural só pode acontecer com a parceria de colaboradores, além da compreensão, apoio e benção da classe violeira – que é a que mais se beneficiará com o circuito. Portanto convidamos os violeiros a frequentar, divulgar, indicar e apoiar essa iniciativa. Ajudem a fazer a Violada crescer, pois a ideia é que todos possam participar e quanto mais pontos abertos, maior a chance disso acontecer. As porteiras estão abertas!

Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu