Destaques

ads slot

Spike Lee fala novamente sobre racismo no contundente Infiltrado na Klan. FILMES, por Rudney Flores


Adam Driver e John David Washington vivem policiais que conseguem se infiltrar na Ku Klux Klan.
Crédito da foto: Divulgação/Focus Features

Cineasta historicamente engajado nas questões raciais e sociais dos Estados Unidos, Spike Lee apresenta novamente em Infiltrado na Klan, principal estreia da semana nos cinemas brasileiros – em Curitiba tem sessões no Espaço Itaú e no Cinépolis Pátio Batel – uma produção de temática mais do que atual, apesar de ambientada há 40 anos

A história é baseada em incríveis fatos reais: em 1978, Ron Stallworth (John David Washington, filho do astro Denzel Washington), primeiro policial negro de uma pequena cidade do estado norte-americano do Colorado, conseguiu um meio de se infiltrar na Ku Klux Klan, conhecida associação racista norte-americana. Stallworth vê um anúncio da Klan no jornal e resolve ligar para o número indicado dizendo ser um homem que adora os arianos e abomina e odeia pessoas negras. Ele é convidado a participar do grupo e se alia a um policial branco na investigação, o judeu Flip Zimmerman (Adam Driver, de Paterson), que o substitui nas reuniões da KKK.

Com o tempo, apenas em conversas telefônicas, Ron também consegue se aproximar de David Duke (Topher Grace, de Interestelar), líder nacional da Klan. A dupla de agentes vai crescendo dentro da seita racista, com o poder de conhecer antecipadamente e evitar ataques de ódio. Um dos muitos pontos interessantes do filme é acompanhar a reação de Flip (em mais uma ótima atuação de Driver, que apresenta um trabalho melhor a cada novo filme), que nunca se preocupou com o racismo, mas passa a refletir sobre sua condição de judeu após o contato com a Klan.

É notório, nos últimos anos, o impressionante crescimento de movimentos racistas, xenófobos e intolerantes ao diferente em diversas partes do mundo, Estados Unidos e Brasil incluídos. E Lee vai destacando alguns paralelos com a situação atual, como o convencimento dos membros da seita através de história falsas (que lembram as atuais fake news), perpetuadas por um líder carismático. Há diversos momentos de comédia no filme, com as situações, pensamentos e falas absurdas dos membros da seita, mas a coisa se torna mais séria ao se perceber que, tanto antes como agora, há muitos que compram o mesmo discurso.

O trabalho Spike Lee se revela outra vez contundente em Infiltrado na Klan, que mesmo não tendo o mesmo impacto explosivo de Faça a Coisa Certa (1989), seu melhor filme, ainda assim leva o público novamente a uma reflexão sobre diversas questões, o racismo principalmente, e o mundo em que queremos viver. Cotação: Ótimo.

Trailer de Infiltrado na Klan:



Muitos nacionais

A semana programa seis estreias de filmes brasileiros nas salas de Curitiba, entre ficções e documentários. Ao lado dos que já estão em cartaz, tem-se um inédito cenário nos últimos tempos, com mais de dez produções nacionais disponíveis ao mesmo tempo para o público curitibano.

Um dos principais lançamentos é Sequestro Relâmpago, da respeitada diretora paulista Tata Amaral, que adapta uma história real que aconteceu na cidade de São Paulo, mas comum nas grandes metrópoles do país. Marina Ruy Barbosa (que também estrela o bom Todas as Canções de Amor, ainda em cartaz em Curitiba) vive a jovem Isabel, vítima do crime do título ao sair de um barzinho, depois do encontro com amigas.

Ao entrar em seu carro, ela é abordada pelo aparentemente simpático Matheus (Sidney Santiago, de Os 12 Trabalhos), que acaba ameaçando-a com uma arma e a leva para tirar dinheiro de um caixa automático juntamente com Japonês (Daniel Rocha, estreando no cinema), seu parceiro no sequestro. Inexperiente, a dupla de criminosos deixa passar o horário em que é permitido sacar valores maiores e decide manter Isabel em seu poder até a manhã do dia seguinte, para levá-la a um banco aberto.

A cineasta desenvolve uma sufocante jornada noturna para os personagens centrais, permeada por tensões e diferenças sociais e raciais, com embates físicos e psicológicos, remetendo em alguns momentos ao seu mais festejado filme, o vigoroso Um Céu de Estrelas (1996), que marcou sua estreia em longas-metragens. O destaque fica para as boas atuações do trio protagonista, muito bem comandados por Tata Amaral. O filme tem sessões nos UCI Estação e Palladium. Cotação: Bom.

Trailer de Sequestro Relâmpago:



Outra estreia importante na semana é o O Grande Circo Místico, novo filme de Cacá Diegues, um dos principais diretores da história do cinema nacional. Com certa polêmica, a produção, que não teve boa resposta da crítica especializada, foi selecionada pelo Brasil, através da Academia Brasileira de Cinema, para tentar uma indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro na cerimônia de 2019 – Diegues é do conselho deliberativo da Academia, o que levantou suspeitas de favorecimento, ainda mais em um ano muito positivo da produção nacional, com ótimos e diversificados filmes como Paraíso PerdidoBenzinhoAs Boas Maneiras, Gabriel e a Montanha, entre outros que poderiam representar bem o país na maior premiação do cinema mundial.

Lançado em uma sessão hors-concours no Festival de Cannes deste ano, O Grande Circo Místico é baseado no poema homônimo do alagoano Jorge de Lima, que teve uma adaptação elogiada do Balé Teatro Guaíra no início dos anos 1980, com trilha sonora criada especialmente por Chico Buarque e Edu Lobo.

A história é contada pelo mestre de cerimônias Celavi (Jesuíta Barbosa, de Malasartes e o Duelo com a Morte), que revela cem anos de trajetória do circo da família austríaca Knieps. O elenco destaca ainda o francês quase brasileiro Vincent Cassel (À Deriva), Antonio Fagundes (Deus É Brasileiro), Mariana Ximenes (O Invasor), Bruna Linzmeyer (O Filme da Minha Vida) e Juliano Cazarré (Boi Neon). O filme estreia no Cinesytem Cidade, Cinépolis Pátio Batel e UCI Estação.

Trailer de O Grande Circo Místico:


A Voz do Silêncio, novo trabalho do diretor André Ristum (O Outro Lado do Paraíso), é centrado em sete pessoas que, em certo momento, têm suas trajetórias cruzadas, na tradição dos filmes-coral. O palco de suas histórias é a cidade de São Paulo e seu caos diário, cheia de personagens quase invisíveis, que tentam levar suas vidas da melhor maneira possível. A produção, que tem elenco comando por Marieta Severo (A Dona da História), está sendo lançada no Cineplex Batel e Espaço Itaú.

Trailer de A Voz do Silêncio:



Protagonista da telenovela global das 19 horas, O Tempo Não Para, o jovem ator Nicolas Prattes estreia no cinema como protagonista de O Segredo de Davi, do também estreante em longas-metragens Diego Freitas.

Nesse thriller de suspense, Prattes é Davi, rapaz que sofreu traumas na infância. Ele acaba se tornando um serial killer que sempre filma a morte de suas vítimas, colocando as imagens na internet. O fiime tem sessões programadas no Cinesystem Curitiba, Cinemark Mueller e UCI Estação.

Trailer de O Segredo de Davi:



Um dos dois documentários da programação da semana em Curitiba é Slam – Voz do Levante, das diretoras Tatiana Lohman e Roberta Estrela D‘Alva, que apresentam as poetry slams, batalhas de performances poéticas realizadas em diversas cidades do mundo, como Nova York, Chigado, Paris e São Paulo.

O filme também destaca a poetisa negra e feminista Luz Ribeiro, vencedora do Campeonato Brasileiro de Poetry Slams. Conhecida pelos versos politizados, ela vai disputar a Copa do Mundo da categoria na capital francesa. O doc estreia apenas no Espaço Itaú.

Trailer de Slam – A Voz de Levante:



Uma das principais poetisas brasileiras, a goiana Cora Coralina (morata em 1985) tem sua infância lembrada em O Colar de Coralina, de Reginaldo Gontijo. Na história, a menina Aninha (Rebeca Vasconcelos) – o verdadeiro nome de Cora era Anna – tem o início de vida marcado por diversos tipos de rejeição – considerada feia e desajeitada.

Ela encontra na imaginação um meio de se livrar do mundo opressivo em que vive, tornando-se uma grande poeta quando adulta. Letícia Sabatella (Não Por Acaso) também faz parte do elenco do filme, que estreia no Cineplex Batel, UCI Palladium e Cinesystem Cidade.

Trailer de O Colar de Coralina:



O documentário O Fantástico Patinho Feio, destaque da semana no Projeta às 7 da Rede Cinemark, conta a história de um carro de competição construído nos anos 1960 por quatro jovens de Brasília. Contra todos os prognósticos, o estranho e feio carrinho vermelho consegue chegar em segundo lugar em uma corrida contra diversos veículos de marcas internacionais.

No filme, programado para o Cinemark Mueller, o diretor Denilson Félix também revela um pouco da história do automobilismo na capital federal, que revelou nomes como o tricampeão mundial de Fórmula 1 Nelson Piquet.

Trailer de O Fantástico Patinho Feio:



Outras estreias

Conhecido pelo personagem Drax, da franquia da Marvel Guardiães da Galáxia, Dave Bautista é o protagonista do filme de ação Refém do Jogo. Ele vive o ex-militar Michale Knox, que tenta impedir que terroristas russos eliminem todos os 35 mil presentes a um jogo do clube inglês West Ham. Os criminosos ameaçam explodir o estádio se não for entregue a eles um compatriota chamado Dimitri (Pierce Brosnan, um dos agentes 007 do cinema), que está escondido no meio da torcida.

Trailer de Refém do Jogo:



Passatempo apreciado por muitas pessoas, a montagem de peças que formam figuras, desenhos, pinturas e retratos é o tema central do filme O Quebra-Cabeça, de Marc Turtletaub (produtor do sucesso Pequena Miss Sunshine).

Na trama, Agnes (Kelly Macdonald, de Onde os Fracos Não Têm Vez) dedica-se apenas ao casamento e filhos. Ela se liberta da rotina diária ao perceber que tem grande capacidade para montar quebra-cabeças, partindo para disputar um campeonato ao lado do especialista Robert (do ótimo Lunchbox). A produção chega apenas ao Espaço Itaú.

Trailer de O Quebra-Cabeça:



Em Parque do Inferno, um serial killer mata diversas pessoas que vão a um parque de diversões temático de terror. Como as atrações do local são para assustar o público com muita mortes falsas, os visitantes não percebem que estão presenciando crimes de verdade.Quando a verdade aparece, todos se assustam e tentam escapar do verdadeiro assassino, que pode ser qualquer um deles.

Trailer de Parque do Inferno:



Clássico do suspense

A sessão Clássicos 2018 do Cinemark destaca neste mês O Bebê de Rosemary, um dos melhores filmes da carreira do cineasta Roman Polanski, vencedor do Oscar de melhor diretor por O Pianista.

A história fala do casal Rosemary (Mia Farrow) e Guy Woodhouse (John Cassavetes), que se muda para um prédio habitado por sinistros moradores. Grávida, Rosemary começa a perder a sanidade depois de passar por estranhos acontecimentos no local. O filme tem sessão única na próxima terça-feira (dia 27), às 20 horas, no Cinemark Mueller.

A personagem de Mia Farrow perde a sanidade em O Bebê de Rosemary, de Roman Polanski.
Crédito da foto: Divulgação/Paramount Pictures
_


Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu