Destaques

ads slot

Páscoa nos D’Olival, Azeites e Casa



Azeites premiados de pequenos produtores de Portugal e artesanato contemporâneo português deixam a mesa mais apetitosa e bonita para a Páscoa

Duas lojas na Rua dos Poiais de Santo Bento, em Lisboa, chamam a atenção dos que caminham pela rua e dos que passam no eléctrico 28: o D’Olival Azeites e Cia e o D’Olival Casa.
O D’Olival Azeites se tornou nos últimos dois anos referência para quem procura azeites de extrema qualidade. Nas prateleiras, apenas azeites de pequenas propriedades, de norte a sul do país, com muitas premiações nacionais e internacionais.
Além da variedade, em função dos tipos de cultivo  e de azeitonas, é possível ter uma aula com o sommelier em azeites, Lino Rebolo. A degustação de azeites faz muito sucesso, tanto que os clientes voltam e indicam outras pessoas para fazerem a prova.
Mas, especificamente para a Páscoa, quando a maioria das famílias, tanto no Brasil como em Portugal, prepara bacalhau, Rebolo recomenda duas marcas de azeites.
O primeiro é Vale de Odiana, indicado tanto para o bacalhau como para saladas. Produzido no conselho de Serpa (Alentejo), à margem esquerda do rio Guadiana, tem corpo, é equilibrado, com sabores e aromas elegantes e suaves. É resultado da combinação das variedades Galega (PT), Cordovil (PT), Cobrançosa (PT), Picual (ES) e Arbequina (ES).

“No nariz é um azeite maduro e frutado no qual sobressaem notas de maçã, tomateiro e casca de banana. Na boca revela o frutado maduro, com sabor equilibrado entre o amargo e picante, e com notas finais de frutos secos e casca de amêndoa”, diz o especialista.
O segundo indicado é o Olmais, específico para o bacalhau. Este azeite é resultado das variedades Cobrançosa (PT), Verdeal (PT) e Madural (PT). É produzido no município de Vila Flor, Trás-os-Montes, em modo biológico e de árvores centenárias, na região denominada de Terra Quente, no Norte de Portugal.
Segundo Rebolo, o Olmais revela-se robusto e frutado com amargo, e picante distinto no paladar. “É um azeite equilibrado e complexo no qual se destacam o cheiro a erva-fresca e banana verde. Apresenta um final de boca onde prevalece a amêndoa verde”, ensina o sommelier.
Com batatas, acelgas, cebolas ou nata, as variações de receitas do bacalhau são muitas, mas todos têm em comum um excelente azeite que finaliza o prato com elegância.
À mesa - com o azeite certo, agora é o momento de escolher a louça para compor a mesa de Páscoa moderna.
A 50 metros de distância do D’Olival Azeites está o D’Olival Casa, loja que vende artesanato autoral contemporâneo português.
Entre as marcas expostas estão Casa Cubista, Mariana Poppe, Manu Souza, Paula Valentim (Otchipotchi), Malga, Rita Sevilha (Weaving Studio), Maria Castelbranco, Almavina, Castelbel, Lígia Fernandes, Maetura, Nó Woodwork, Helena Loução, Dear Macramê, Arminho e Marilisa Mesquita.
“Não são peças temáticas de Páscoa, mas compõem a mesa sem deixar a dever. O D’Olival Casa prima por artistas portugueses que fazem experimentos artesanais bastante originais e com resultado final surpreendente. Não há só sardinhas e Galos de Barcelos no artesanato português. Estes novos artistas mostram o quão criativo pode ser a representação de uma cultura e de um país”, disse Helena Beghetto, proprietária do D’Olival Casa.
D’Olival Azeites e Cia
Rua dos Poiais de São Bento, 81
São Bento
@dolival.azeites

D’Olival Casa
Rua dos Poiais de São Bento, 127
São Bento
@dolival.casa

Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu