Destaques

ads slot

Tudo o Que Tivemos destaca drama familiar tradicional. FILMES, por Rudney Flores

Blythe Danner e Hilary Swank são destaques do elenco do filme de estreia da diretora Elizabeth Chomko.
Crédito da foto: Sundance Institute

Com Vingadores – Ultimato ainda tomando a quase totalidade das salas de cinemas do país, a programação de cinema de Curitiba apresenta poucas estreias esta semana. O filme de maior destaque é Tudo o Que Tivemos, estreia da atriz Elizabeth Chomko como diretora e roteirista.

A novata cineasta apresenta uma temática já destacada em outras produções, a da família que precisa lidar com a doença de um ente querido. O filme se inicia com Ruth (Blythe Danner, da franquia Entrando numa Fria) fugindo mais uma vez de casa, cada vez mais afetada pelos esquecimentos comuns ao Alzheimer. Ela vive com o marido Burt (Robert Forster, de Jackie Brown), que se recusa a enviá-la para um clínica, como deseja o filho Nicky (Michael Shannon, de A Forma da Água). Este busca o apoio da irmã Bridget (Hilary Swank, Oscar de melhor atriz por Meninos Não Choram e Menina de Ouro), que será o fiel da balança na decisão de internar a mãe ou não.

Além do drama com os pais, Bridget e Nicky tem problemas próprios para resolver – ela, uma crescente insatisfação com o casamento, além da falta de comunicação com a filha; ele, a dificuldade em assumir compromissos amorosos.

Chomko não correu grandes riscos e, com poucas novidades em questão de temas, o filme se sustenta pelo bom trabalho do elenco formado por atores experientes e competentes, com destaque para Swank e Forster – Shannon tem bons momentos, mas repete por vezes o sujeito bronco e irascível já visto em outras interpretações, pelas quais vai ficando marcado na carreira. Cotação: Regular.

Trailer de Tudo o Que Tivemos:



Nacionais

A programação da semana tem complemento com dois lançamentos nacionais, ambos em cartaz no Espaço Itaú. A Sombra do Pai é o novo filme da diretora Gabriela Amaral Almeida, responsável pelo elogiado e instigante O Animal Cordial, lançado no ano passado e que teve como destaque a ótima atuação de Murilo Benício.

Assim como no trabalho anterior, a cineasta investe outra vez em um clima tenso, com toques de terror, revelando a história de uma menina que fica responsável por cuidar da casa quando o pai fica doente. Ela clama pela volta da mãe, que já morreu, envolvendo possíveis espíritos na trama.

Trailer de A Sombra do Pai:


O dramaturgo paranaense Mario Bortolotto é o ator principal de Borrasca, filme adaptado da peça homônima criada por ele próprio em 2013. A produção, dirigida por Francisco Garcia, traz a história de dois amigos, Gabriel (Bortolotto) e Diego (Francisco Eldo Mendes), que relembram durante uma noite a amizade com um terceiro parceiro morto recentemente.

Trailer de Borrasca:
__


Instagram @curitibaemdestaque


Curitiba em Destaque

Colunistas

Menu