Destaques

ads slot

Grande sucesso da Disney, Aladdin também recebe adaptação live-action. FILMES, por Rudney Flores

Mena Massoud (Aladdin) e Will Smith (Gênio da Lâmpada) interpretam os personagens centrais do clássico conto árabe, que ganha nova versão no cinema.
Crédito da foto: Divulgação/Disney

A Disney dá sequência ao projeto de adaptação de suas principais animações para filmes live-action com Aladdin, filme dirigido por Guy Ritchie (da franquia Sherlock Holmes), principal estreia da programação nesta semana no Brasil.

A história do musical permaneceu praticamente a mesma do desenho animado de 1993, grande sucesso nos cinemas. Aladdin (Mena Massoud, da série Jack Ryan) sobrevive de cometer pequenos delitos nas ruas do reino de Agrabah, na Arábia, sempre ao lado do seu companheiro inseparável, o macaquinho Abu. O rapaz se apaixona por Jasmine (Naomi Scott, que em breve será uma das Panteras, na nova adaptação para os cinemas da famosa série de tevê), sem saber inicialmente que ela é uma princesa.

Ao visitá-la no palácio, ele é preso pelo grão-vizir Jafar (Marwan Kenzari, de Ben-Hur). Para libertar Aladdin, o poderoso mago o obriga a entrar na Caverna das Maravilhas, local recheados de tesouros, para resgatar uma lâmpada mágica, que abriga um gênio que concede três desejos a seu possuidor. Aladdin acaba ficando com o objeto e liberta o gênio, utilizando seus desejos para tentar conquistar a princesa.

As primeiras imagens e trailers da produção causaram estranheza por mostrar o astro Will Smith na cor azul para viver o Gênio da Lâmpada, personagem que ficou marcado no original com a inesquecível dublagem de Robin Williams. Chamou atenção também o colorido dos cenários, dando a impressão que o filme poderia ter um visual além do extravagante, um pastiche dos musicais criados em Bollywood (a indústria de cinema da Índia).

Mas, apesar de alguns detalhes negativos – a forma azulada e esfumaçante do Gênio, criada por computador, realmente não funciona, além do vilão apagado, pouco desenvolvido –, o filme diverte com bons momentos de aventura e humor, além de elaboradas sequências musicais – as canções são as mesmas do original, com a inclusão de uma nova cantada pela princesa Jasmine. Conhecido pela mão pesada nas produções de ação que dirige, Ritchie incrivelmente consegue se conter e entregar uma produção leve, sem os tradicionais maneirismos de sua carreira.

Smith se sai bem como Gênio e o personagem fica muito próximo do que o ator é na vida real, alegre e descontraído – ele inclui raps nas canções, faz outras improvisações e deixa sua marca, diferenciando-se da criação de Williams; além disso, é generoso e não tenta roubar o filme para si. O casal protagonista também apresenta trabalhos interessantes, com destaque para Naomi Scott, ótima cantora. Adaptada aos novos tempos, a nova versão da história destaca uma princesa mais empoderada, que deseja ser tornar sultana e governar seu povo, não ficando apenas como o desejo de conquista de Aladdin e outros pretendentes. Cotação: Bom.

Trailer de Aladdin:


Super-Homem das trevas
(crítica publicada no site do Jornal do Brasil em 23/05/2019)

As grandes editoras dos quadrinhos sempre investem em novas visões de seus principais super-heróis, colocando-os em situações diferentes e até inusitadas em relação ao cânone e à cronologia de suas histórias. O Super-Homem, um dos maiores personagens da DC Comics, tem como uma de suas melhores HQs a reinterpretação de sua origem em A Foice e o Martelo (de Mark Millar, responsável por O ProcuradoKick-Ass e Kingsman, todas adaptadas às telas), que imagina como teria sido a trajetória do Homem de Aço se sua nave tivesse caído na então União Soviética.

Há também releituras não oficiais dos heróis, como é o caso de Brightburn – Filho das Trevas, filme produzido por James Gunn (diretor dos filmes “Guardiões da galáxia”), que também destaca a história inicial de um ser poderoso vindo do espaço, assim como o herói de Kripton. O diferencial da produção dirigida por David Yarovesky, com roteiro de Brian Gunn e Mark Gunn (respectivamente, irmão e primo de James), é imaginar um protagonista voltado para o mal, o oposto do Super-Homem original.

Assim como os Kent, os pais adotivos do Homem de Aço, o casal Tory (Elizabeth Banks, de Três Vezes Amor) e Kyle Breyer (David Denman, de 13 Horas – Os Soldados Secretos de Benghazi) deseja ter uma criança, mas sem sucesso. O milagre chega do céu quando uma nave trazendo um bebê cai em sua fazenda, em uma pequena cidade norte-americana. Doze anos depois, a família vive feliz com Brandon (Jackson A. Dunn), o filho adotado do espaço. Mas, instigado por sinais da nave escondida no celeiro, o garoto começa a descobrir seus poderes.

Após o prólogo, a produção torna-se um filme de suspense e terror clássico, com bons momentos tensos, promovendo diversos sustos, tudo pontuado com a trilha sonora características do gênero. E há muito sangue. Aos poucos, Brandon se revela um violentíssimo serial killer iniciante – um ótimo trabalho do jovem Jackson A. Dunn, equilibrando inocência e grande fúria. Ele cria um uniforme e vai eliminando quem não o agrada, iniciando um projeto de dominar o mundo.

O investimento quase total no crescente clima de terror deixa o filme com pequenas falhas – incomoda, por exemplo, a demora dos Breyer em perceber as mudanças visíveis do filho, mesmo sabendo de suas origens. E o personagem central poderia ter melhor desenvolvimento, mostrando de forma mais clara sua natureza e as razões da revolta contra o mundo – há alguns momentos de bullying na trama que poderiam ser uma explicação.

Brightburn é uma boa produção de origem e alguma das questões que ficaram pendentes podem ser melhor resolvidas com continuações da história, caminho aberto com as cenas pós-créditos. Cotação: Bom

Trailer de Brightburn – Filho das Trevas:


Hellboy reboot

Outra figura dos quadrinhos que retorna às telas é Hellboy. Já adaptado em duas produções pelo oscarizado Guillermo Del Toro (A Forma da Água), o personagem criado pelo artista Mike Mignola ganha nova versão sob o comando do diretor Neil Marshall e com novo elenco.

A trama reúne diversas histórias das HQs do ser de aparência demoníaca, mas de bom coração (vivido por David Harbour, de Esquadrão Suicida), que atua no Bureau de Pesquisas e Defesa Paranormal, órgão secreto que enfrenta monstros e poderosos seres especiais como a feiticeira Nimue (Milla Jovovich, da franquia Resident Evil). Conhecida como a Rainha Sangrenta, ela, como todo grande vilão, quer dominar o mundo.

Trailer de Hellboy:


Nacionais

O terror tem recebido maior representação no cinema brasileiro nos últimos anos. O novo título do gênero é Histórias Estranhas, uma coletânea filmada por oito diretores, entre eles o curitibano Paulo Biscaia Filho (Morgue Story – Sangue, Baiacu e Quadrinhos), que apresenta o segmento “No Trovão, na Chuva ou na Tempestade”.

Também participam Rodrigo Brandão (conto “Ninguém”), Marcos DeBrito (“Apóstolos”), Claudio Ellovitch (“Os Enamorados”), Taísa Ennes (“Mulher LTDA”), Filipe Ferreira (“Invisível”), Kapel Furman (“A Mão”) e Ricardo Ghiorzi (“Sete Minutos para a Meia-Noite”). O filme entre em cartaz no Cinemark Mueller, dentro da programação do Projeta às 7, que incentiva e dá visibilidade à produção nacional.

Trailer de Histórias Estranhas:


O diretor Rafael Gomes estreia em longas-metragens com 45 Dias sem Você, drama dobre um rapaz chamado Rafael (Rafael de Bona), que decide viajar pelo mundo após sofrer uma desilusão amorosa. Ele visita amigos que deixaram tudo para trás na vida e foram morar em cidades como Lisboa, Coimbra, Londres, Paris e Buenos Aires. A produção tem sessões na Cinemateca de Curitiba.

Trailer de 45 Dias sem Você:


Selecionado e premiado em festivais nacionais e internacionais, Inferninho, dos diretores Guto Parente e Pedro Diógenes (Estrada para Ythaca), apresenta personagens que orbitam em torno de um bar. Deusimar (Yuri Yamamoto), dona do local conhecido como Inferninho, quer abandonar tudo, mas a chegada do sonhador marinheiro Jarbas (Demick Lopes) muda seus planos e afeta a diretamente a vida dos funcionários do estabelecimento. O filme estreia no Cine Passeio.

Trailer de Inferninho:


Outras estreias

A produção italiana O Caravaggio Roubado, do diretor Roberto Andò (As Confissões), revela uma trama de suspense envolvendo a máfia. Escritora-fantasma de roteiros que fazem sucesso no cinema, Valéria (Micaela Ramazzotti) decide criar um novo texto a partir de um caso que ouviu de um policial, sobre o roubo de uma famosa obra do pintor italiano Caravaggio.

Enquanto cria a história, ela acaba envolvida em uma grande conspiração e percebe que sua vida corre perigo se continuar investigando mais informações do crime. O filme está sendo lançado no Espaço Itaú e no Cineplex Batel.

Trailer de O Caravaggio Roubado:


O drama A Costureira de Sonhos apresenta um romance que acontece em Mumbai, na Índia. Após perder o marido, Ratna (Tillotama Shome) vai trabalhar como empregada doméstica do rico Ashwin (Vivek Gomber), homem que procura por um sentido na vida. Ela deseja se tornar costureira, saindo durante o dia para realizar seus cursos, sempre com a permissão do patrão. Com o tempo, os dois acabam se envolvendo. A produção, que marca a estreia da diretora e roteirista indiana Rohena Gera em longas de ficção, tem sessões no Espaço Itaú.

Trailer de A Costureira dos Sonhos:


O jovem diretor Julien Landais estreia em longas-metragens com Os Papéis de Aspern, filme ambientado em Veneza, no fim do século 19. A trama fala de Morton Vint (Jonathan Rhys Meyers, de Match Point), escritor obcecado pelo poeta Jeffrey Aspern.

Para conhecer melhor sua arte, o rapaz decide ir atrás da musa do artista já falecido, a senhora Juliana Bordereau (Vanessa Redgrave, de Desejo e Reparação), que guarda textos inéditos de Aspern. Para se aproximar dela, Vint tenta conquistar sua sobrinha Tina (Joely Richardson, de Operação Red Sparrow). O filme tem lançamento no Cineplex Batel e Espaço Itaú.

Trailer de Os Papéis de Aspern:


Alien, o Oitavo Passageiro

Um dos mais cultuados filmes de ficção científica e terror do cinema, Alien, o Oitavo Passageiro completa 40 anos em 2019 e ganha sessões especiais dentro do projeto Clássicos Cinemark. Marcado pela mítica cena em que um alien sai de maneira explosiva da barriga de um astronauta, a produção comandada por Ridley Scott (responsável por Blade Runner – O Caçador de Androides, outro clássico da ficção científica) apresenta os tripulantes de uma nave da Terra enfrentando um ser espacial capturado em um longíquo planeta.

A criatura se desenvolve rapidamente e causa pânico ao tentar eliminar todos que estão na nave. O filme revelou a atriz Sigourney Weaver, que estrelaria depois diversas sequências da história. Alien, o Oitavo Passageiro estará em cartaz no Cinemark Mueller na terça-feira (dia 28), às 20h, e no próximo sábado (dia 1º/06), às 23h30.

Cena mais marcante de Alien, o Oitavo Passageiro, quando o alien explode a barriga do astronauta vivido por John Hurt.
Crédito da foto: Divulgação/Paramount

__

Instagram @curitibaemdestaque

Novidades

Visualizações do portal no mês passado


Curitiba em Destaque


Menu