Destaques

ads slot

PALAVRAMUNDO – INCURSÕES DE LEITURA

Projeto promove leituras compartilhadas nas escolas públicas municipais de Curitiba e aposta no livro para contrapor o predomínio das imagens virtuais.

“Cada palavra descortina um horizonte, cada frase anuncia outra estação. E os olhos, tomando das rédeas, abrem caminhos, entre linhas, para as viagens do pensamento. O livro é passaporte, é bilhete de partida. (...)há trabalho mais definitivo, há ação mais absoluta do que essa de aproximar o homem do livro? ”
Bartolomeu Campos de Queirós

A escuta e a leitura de obras literárias de qualidade podem nutrir, despertar e valorizar o imaginário, abrindo possibilidades para que as crianças acessem suas histórias mais preciosas. Por acreditarem nisso, Adriane Havro e Luis Teixeira, mediadores de leitura, estão promovendo incursões literárias em escolas públicas municipais de Curitiba. A proposta do projeto “Palavramundo – Incursões de Leitura” é realizar intervenções literárias, por meio de leituras coletivas compartilhadas, voltadas para alunos do ensino fundamental (2º a 5º ano). No decorrer deste primeiro semestre o objetivo é realizar 150 incursões de leitura, incluindo, além de alunos, educadores e também a comunidade escolar, ou seja, as famílias dos alunos e os funcionários da escola. Beneficiando com este projeto 25 escolas e cerca de 4.500 alunos.
Os encontros acontecem nas escolas e são permeados de interações lúdicas que criam um clima intimista para as leituras. Trata-se de uma forma de introdução à leitura que visa valorizar a troca e a escuta. “Nossa função como mediadores é levar as “palavras do mundo”, recolhidas em tantos percursos literários, e compartilhar nossas histórias e descobertas. Partimos da ideia de que todo e qualquer espaço comporta a leitura e de que a leitura pode transbordar os espaços, tantas vezes confinados, multiplicando imagens, percepções e sentimentos”, conta Luis. Provocamos um reencantamento destes espaços, estimulando novas leituras e olhares”, complementa.
A ideia do projeto é criar oportunidades em que a comunidade escolar seja chamada a participar dessas interações de forma espontânea e coletiva. No repertório, obras de reconhecidos autores da literatura infantil como: Ricardo Azevedo, Bartolomeu Campos de Queirós, Ana Maria Machado, Michael Ende, Ruth Rocha, Rogério Andrade Barbosa, Ângela Lago e outros. A escolha se adequa a cada faixa etária predominante nos encontros, incluindo autores e obras que têm a propriedade de encantar diferentes idades, até mesmo o público adulto. As obras selecionadas são histórias que, em suas linhas de escrita, trazem o percurso - muitas vezes inusitado - de todos nós. Narrativas surpreendentes, engraçadas, assustadoras. Histórias repletas de encontros, encantos, descobertas e superações.
Acreditamos que o prazer inesperado da leitura em grupo possa dissolver resistências, desmanchar couraças e ser uma semente para novas experiências. Temos plena consciência de que esse é um trabalho delicado e sensível a ser tecido como uma teia que une diversos olhares e sentimentos. O mediador tem o ofício de semear a palavra viva e cultivá-la em busca da palavra vivida do leitor”, declara Adriane Havro.  
Na opinião dos mediadores os contos possibilitam um contato com constelações de imagens que revelam, para quem escuta ou lê, a infinita variedade de imagens internas que temos dentro de nós. “Do ponto de vista da experiência literária, no trabalho com as crianças, e mesmo com jovens e adultos, o importante é entender que, para cada uma delas, aquela história traz a oportunidade de organizar suas imagens internas em uma forma que faz sentido para ela naquele momento. E esse passeio pode ensinar sobre a aventura humana no domínio do imaginário”, acrescenta Adriane.
A vivência literária, de acordo com Adriane e Luis, pode manter viva essa chama de familiaridade com o desconhecido porque lá as experiências inexplicáveis fazem sentido. “Mais do que nunca, as crianças do mundo de hoje necessitam dessa experiência, por viverem constantemente em contato com uma grande quantidade de imagens, na maioria das vezes estereotipadas. Acreditamos que a experiência pessoal de valores humanos fundamentais pode ser exercitada no contato com os livros, e isso nos motiva”, conclui Luis.
“Leitura não é dever de ninguém. É um direito, isso sim, de todo cidadão, e por ele temos de lutar – isso sim é um dever. ” (Ana Maria Machado)

Sobre os Mediadores
Os mediadores e idealizadores do projeto, Adriane Havro e Luis Teixeira, atuam há mais de 15 anos em projetos culturais levados a escolas e entidades de atendimento a crianças e jovens, em uma trajetória que já beneficiou centenas de instituições e milhares de alunos. São criadores de diversos projetos de incentivo à leitura, ambos integraram a equipe de mediadores de leitura e de contadores de histórias dos Editais do Programa Curitiba Lê, da Prefeitura de Curitiba.
Este projeto é uma realização da Malasartes - Educação Sensível e foi incentivado pelo Positivo por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.



Produção
Luis Teixeira
41 99988 9589


Instagram @curitibaemdestaque

Novidades

Visualizações do portal no mês passado


Curitiba em Destaque


Menu