Destaques

ads slot

Homem-Aranha – Longe de Casa encerra fase 3 do Universo Marvel nos cinemas. FILMES, por Rudney Flores

Em nova aventura, Homem-Aranha (Tom Holland) ganha a companhia de Mysterio (Jake Gyllenhaal), que diz ser de um universo paralelo.
Crédito da foto: Divulgação/Sony


Após o grande evento de Vingadores – Ultimato, o universo Marvel tem sequência nos cinemas com o lançamento de Homem-Aranha – Longe de Casa, principal estreia da semana nos cinemas do Brasil. A produção tem o comando de Jon Watts, também responsável por Homem-Aranha – De Volta ao Lar (2017), filme solo anterior do herói aracnídeo protagonizado por Tom Holland, que a cada produção comprova ser o melhor ator a viver o personagem.

Fechando a fase 3 dos filmes da Casa das Ideias, Longe de Casa mostra inicialmente as consequências dos eventos de Ultimato e nomeia como “blimp” o período em que metade da população do universo sumiu para retornar depois de cinco anos. Peter Parker/Homem-Aranha está com viagem de férias com a turma da escola marcada para a Europa e só pensa numa forma de conquistar MJ (Zendaya).

Mas seus planos são frustados quando Nick Fury (Samuel L. Jackson) o convoca para enfrentar poderosas forças denominadas Elementais (formadas por fogo, terra, água e ar), que ameaçam o planeta. Ele irá apoiar as ações de Quentin Beck (Jake Gyllenhaal), um homem que surge dizendo ser um herói de uma Terra de um universo paralelo, já dizimada pelos novos vilões. Ele ganha a alcunha de Mysterio e quem conhece o personagem dos quadrinhos já antecipará a virada que ocorrerá na trama.

Do seu lado, Peter quer ter uma vida mais tranquila como herói, mas sente-se cada vez mais pressionado a seguir o legado do Homem de Ferro, seu mentor. Ele cometerá erros e verá que dificilmente poderá escapar desse destino, e a ação do filme se concentra nessa jornada – essa caracterização se afasta do material original do herói nas HQs, podendo irritar os mais fanáticos e tradicionalistas, mas se mostra um bom caminho para atualizar o personagem.

Em vários momentos, Longe de Casa também se apresenta como uma verdadeira comédia adolescente, com as tradicionais dificuldades de o casal central – Peter e MJ – se acertar, e os personagens periféricos com tiradas bem-humoradas – todos tem momentos engraçados: Tia May (Marisa Tomei), Happy Hogan (Jon Favreau), Ned (Jacob Batalon), Flash (Tony Revolori), os professores (Martin Starr e J.B. Smoove). Há ainda algumas boas sequências visuais, mas não há muitas novidades narrativas na história e tudo acontece de forma muito previsível.

Diverte o público, mas fica aquém de combinações de humor e ação mais inspiradas e elaboradas da Marvel, com nos dois Guardiões da Galáxia e em Thor – Ragnarok, e também em De Volta ao Lar, primeira parceria Sony/Marvel. As surpresas ficam mesmo para as sempre esperadas cenas pós-créditos (são duas), que dão pistas de como será a quarta e nova fase do Universo Compartilhado Marvel no cinema. Cotação: Bom.

Trailer de Homem-Aranha – Longe de Casa:


Aridez turca

O turco Nuri Bilge Ceylan é um dos mais premiados cineastas do Festival de Cannes. Os últimos cinco filmes do diretor foram selecionados para mostra principal da prestigiada mostra francesa, recebendo prêmios importantes: a Palma de Ouro (Sono de Inverno, 2014), o Grande Prêmio do Júri (Era uma Vez na Anatólia, 2011), a Palma de melhor diretor (3 Macacos, 2008) e o prêmio Fipresci, da crítica (Climas, 2006).

A única produção de Ceylan a não receber qualquer laureação no evento francês foi o recente A Árvore dos Frutos Selvagens, participante do festival este ano e que estreia esta semana em Curitiba, com uma sessão diária única no Espaço Itaú. O filme traz as principais características do trabalho do cineasta, mas seu roteiro é mais árido e um tanto disperso nos objetivos, que não ficam muito claros.

A história tem como personagem central Sinan (Doğu Demirkol), jovem que volta à sua cidade depois de se formar em um grande centro turco. Ele sonha em se tornar escritor e tem um livro já pronto (de mesmo título do filme), para o qual busca apoio para publicação. Ao mesmo tempo, ele vê os problemas aumentarem em casa com o pai endividado, que perde em apostas todo o dinheiro que recebe como professor, e a mãe submissa e sem reação quanto à difícil situação da família.

Um tanto arrogante, Sinan se mostra em guerra contra o mundo, e acha que merece mais que uma vida na pequena vila natal. Sua revolta, sem muito foco, está presente nas conversas que mantém om o pai, a mãe, uma antiga namorada, o prefeito, um empresário e um imã, líder religioso local.

São tensos e extensos diálogos, que levantam diversas questões morais e filosóficas, já tradicionais no cinema de Ceylan, mas que desta vez se mostram um pouco estéreis, tornando a narrativa apenas arrastada em boa parte da produção (são 3h08 de duração), sem um desenvolvimento maior – ao contrário, por exemplo, de Sono de Inverno, seu melhor trabalho. Há, ainda, ecos da situação atual do país, com as dificuldades econômicas da quase ditadura de Recep Erdogan, que comanda a Turquia desde 2003 (inicialmente, como primeiro-ministro, depois, como presidente), e também a forte influência da religião na sociedade turca atual.

O filme tem como destaque maior a atuação de Murat Cemcir como Idris, pai de Sinan, personagem mais interessante da história, com muitas nuances bem marcadas pelo ator, além do final mais instigante, quando Sinan finalmente encontra um caminho e algum foco na vida. Cotação: Bom.

Trailer de A Árvore dos Frutos Selvagens:


Outras estreias

Alguns dos destaques deste ano do Festival Varilux ganham mais sessões esta semana em Curitiba. A comédia romântica Um Homem Fiel é segundo trabalho na direção do ator Louis Garrel (Os Sonhadores), um dos principais nomes do cinema francês dos anos 2000. O próprio artista corroteiriza a produção e interpreta o protagonista Abel, homem disputado por duas mulheres.

Marianne (Laetitia Casta) é uma antiga namorada que Abel perdeu para o melhor amigo Paul. Quando este morre, os antigos amantes reatam, mas Ève (Lily-Rose Depp), irmã de Paul, se revela apaixonada por Abel e diz que vai lutar por seu amor. O filme tem sessões no Espaço Itaú, Cineplex

Trailer de Um Homem Fiel:


Outra produção já revelada na mostra de cinema francesa é Boas Intenções, do diretor Gilles Legrand e estrelada pela atriz e também diretora Agnès Jaoui (O Gosto dos Outros). Ela vive Isabelle, professora que dedica boa parte do seu tempo ao trabalho voluntário de ensinar francês para imigrantes no país.

Mas Isabelle acaba entrando em diversos atritos com seus alunos e também com seus filhos, que reclamam que dá pouca atenção recebida da mãe. O filme tem lançamento no Cineplex Batel e Espaço Itaú.

Trailer de Boas Intenções:


Um dos principais cineastas brasileiros nos anos 1970 e 1980, Neville d'Almeida é homenageado no documentário Cronista da Beleza e do Caos, que marca a estreia do crítico de cinema carioca Mario Abadde atrás das câmeras.

Responsável por grandes sucesso do cinema nacional, como A Dama do LotaçãoAs Sete Gatinhas e Rio Babilônia, Almeida fala dos problemas com a censura na época da ditadura militar (1964-1985) e também de suas dificuldades para conseguir recursos e filmar nos dias de hoje. O filme estreia apenas no Cine Passeio.

Trailer de Neville D'Almeida – Cronista da Beleza e do Caos:

_

Instagram @curitibaemdestaque

Novidades

Visualizações do portal no mês passado


Curitiba em Destaque


Menu