Destaques

ads slot

Dinamarquês Rainha de Copas destaca intrincadas questões morais. FILMES, por Rudney Flores


A advogada Anne (Trine Dyrholm) se envolve com o enteado no drama da diretora dinamarquesa May el-Toukhy.
Crédito da foto: Rolf Konow.


A semana tem muitas estreias na programação de Curitiba, com várias produções europeias e brasileiras. No lado das obras do velho continente, o destaque é Rainha de Copas, filme dinamarquês que apresenta questões de cunho moral.

Dirigido pela novata May el-Toukhy, a produção tem como personagem central a advogada Anne (Trine Dyrholm, de Em um Mundo Melhor), que defende crianças e adolescentes em casos de abuso. Em casa, ela tem uma vida aparentemente feliz e tranquila com o marido Peter (Magnus Krepper) e as filhas gêmeas. Esta dinâmica se altera com a chegada de Gustav (Gustav Lindh), filho do primeiro casamento de Peter, rapaz com histórico de delinquência que vai morar com a família.

As relações são distantes e Anne tenta ser o ponto de equilíbrio entre pai e filho, que não se entendem. A advogada é dura mas compreensiva com Gustav, assim como na atuação com seus clientes. Toukhy, também coautora do roteiro, destaca inicialmente uma aura positiva para a protagonista. Mas a história toma outros rumos quando, em um aparente momento de tédio de sua vida de sonhos, ela decide se envolver sexualmente com o enteado, uma relação que trará graves consequências para todos na família.

Anne tem atitudes intempestivas (como o personagem Rainha de Copas, uma referência a Alice no País das Maravilhas, obra lida em vários momentos da trama para as gêmeas) e toma posições questionáveis, mas sem juízo de valor por parte da diretora, que deixa para o espectador decidir se concorda ou não com o que vê na tela, de acordo com seus sentimentos e valores.

Toukhy constrói um envolvente clima de tensão e insere seu trabalho na boa tradição de obras dinamarquesas que tratam da desestruturação familiar, com destaque para os ótimos Festa de Família (1998) e A Caça (2012), ambos do diretor Thomas Vinterberg – no primeiro, filme que marca o início do movimento Dogma 95, uma família é corroída quando o filho mais velho revela numa festa que ele e a irmã sofreram abuso sexual do pai quando crianças; no segundo, um professor de escola infantil é acusado de abusar de uma aluna e vê sua família ser hostilizada por toda a comunidade. Cotação: Bom.

Trailer de Rainha de Copas:


Mais europeus

Em Adeus à Noite, mais recente filme do diretor André Téchiné (Rendez-Vous), Catherine Deneuve (A Bela da Tarde) vive Muriel, mulher que cuida de sua fazenda no interior na França. Ela recebe a visita do neto Ariel (Kacey Mottet Klein), que a procura há muitos anos. O rapaz converteu-se ao islamismo e também está envolvido em diversos problemas, dos quais a avó tenta protegê-lo. O filme tem estreia no Espaço Itaú, Cineplex Batel, Cinépolis Pátio Batel.

Trailer de Adeus à Noite:


Um dos diretores ingleses mais consagrados, Mike Leigh (Segredos e Mentiras) adapta para as telas uma das passagens mais violentas da história do Reino Unido. Peterloo destaca um massacre ocorrido na cidade de Manchester, em 1819, durante uma manifestação de dezenas de milhares de pessoas que queriam reformas no sistema político vigente, levante liderado pelo ativista Henry Hunt (Rory Kinnear, da série Penny Dreadful).

As forças britânicas avançaram contra os manifestantes, matando 15 e deixando centenas de feridos, o que causou grande revolta em toda a população do país. A produção tem lançamento apenas no Espaço Itaú.

Trailer de Peterloo:


Não é só em produções do gênero terror que o cinema russo está investindo atualmente no mercado externo. A aventura também entra no cardápio da produção do maior país europeu com o lançamento de Abigail e a Cidade Proibida, do diretor Aleksandr Boguslavskiy, filme recheado de efeitos especiais que chega esta semana nos cinemas brasileiros.

A trama de época apresenta uma cidade que tem as fronteiras fechadas por conta de uma aparente epidemia. Moradora local, Abigail (Tinatin Dalakishvili) aos poucos percebe que tudo pode ser uma farsa do governo local para controlar a população. A moça também descobre que tanto ela quanto a cidade possuem poderes mágicos, e parte para enfrentar os poderosos. O filme é falado em inglês e o elenco russo conta com a participação especial de Eddie Marsan, ótimo ator coadjuvante de filmes (ViceAtômica) e séries (Ray Donovan).

Trailer de Abigail e a Cidade Proibida:


Nacionais

Das produções nacionais que estreia na semana em Curitiba, a que tem mais potencial de público é a comédia Vai Que Cola 2 – O Começo, novo filme baseado no humorístico de sucesso do canal fechado Multishow, dirigido por César Rodrigues (que também comanda a série na tevê e vários filmes do gênero).

A produção não conta com o ator Paulo Gustavo (Minha Mãe É uma Peça), antiga estrela principal da trupe e que não está mais no seriado, deixando espaço para os demais humoristas do elenco. A história revela como Dona Jô (Catarina Abdala), Jéssica (Samantha Schmütz), Ferdinando (Marcus Majella), Máicol (Emiliano D'Ávila), Terezinha (Cacau Protásio) e Velna (Fiorella Mattheis) se conheceram, antes de todos orbitarem em torno da famosa pensão do bairro Méier, na zona norte do Rio de Janeiro.

Trailer de Vai que Cola 2 – O Começo:


Campeã de público nos cinemas brasileiros, a temática espírita retorna às telas em Divaldo – O Mensageiro da Paz, cinebiografia do médium baiano Divaldo Pereira Franco. O filme dirigido por Clovis Mello (Ninguém Ama Ninguém por Mais de Dois Anos) apresenta a trajetória do personagem da infância em Feira de Santana à chegada e à realização de trabalhos sociais na capital Salvador.

Divaldo é vivido pelos atores Ghilherme Lobo (Hoje Eu Quero Voltar Sozinho) e Bruno Garcia (Saneamento Básico, o Filme). O elenco destaca ainda Regiane Alves (Zuzu Angel), Marcos Veras (O Filho Eterno) e Laira Garin (Chacrinha – O Velho Guerreiro).

Trailer de Divaldo – O Mensageiro da Paz:


Importante momento político da história brasileira, a campanha para a manutenção do vice-presidente João Goulart no poder após a renúncia do presidente Jânio Quadros, em 1961, é pano de fundo para um drama romântico no filme Legalidade, do diretor Zeca Brito (A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro).

Em meio ao conturbado período, quando o governador do Rio Grande do Sul Leonel Brizola (Leonardo Machado, ator gaúcho morto precocemente em 2018, em seu último trabalho nas telas) organizou a Campanha da Legalidade, a jornalista Cecília (Cleo, antes Cleo Pires, de Benjamim) e os irmãos Luis Carlos (Fernando Alves Pinto, de Terra Estrangeira) e Tonho (José Henrique Ligabue) vivem um triângulo amoroso. O filme tem sessões no Cine Passeio, Espaço Itaú e Cineplex Batel.

Trailer de Legalidade:


Realizado de forma independente na Universidade Federal Fluminense, o documentário A Música do Tempo – Do Sonho do Império ao Império do Sonho, de João Velho, faz o registro de um concerto musical que reúne músicas dos gêneros barroco e renascentista. O longa também traz depoimentos e imagens de encenações que resgatam cerimônias antigas. O filme estreia no Espaço Itaú.

Trailer de A Música do Tempo – Do Sonho do Império ao Império do Sonho:


A sessão Projeta às 7 da rede Cinemark programa para as próximas duas semanas Marés, do estreante João Paulo Procópio. A história é centrada em Valdo (Lourinelson Vladmir, do longa paranaense Para Minha Amada Morta), um talentoso fotógrafo que precisa lidar com o alcoolismo para poder compartilhar a guarda de sua filha após o término de seu casamento. A produção tem sessões de segunda a sexta-feira, sempre às 19 horas, no Cinemark Mueller.

Trailer de Marés:


Em sua estreia como diretor, Fabio Kow conta a história de sua avó no documentário Tsé. Polonesa de origem judia, Tsecha Szpigel chegou ao Brasil em 1949, após conseguir fugir da perseguição nazista na Segunda Guerra Mundial. Décadas depois, ela revela aos netos sua trajetória de vida em diversos depoimentos.

Trailer de Tsé:
_


Instagram @curitibaemdestaque

Novidades


Curitiba em Destaque


Menu