Destaques

ads slot

Curitiba aumenta produção de cerveja artesanal com venda de growlers

Cervejarias da cidade apostam em garrafas de 1 litro para facilitar consumo em larga escala nas residências ou festas.

Há pouco menos de uma década, falar sobre cerveja artesanal exigia um certo conhecimento e vivência especializada para estabelecer diálogo com alguém. Afinal, era uma cultura ainda incipiente: os rótulos importados ainda eram pouco democratizados e as cervejarias nacionais sofriam por conta da distribuição ou capacidade de produção mais limitada.

Em pouco tempo, porém, isso mudou: desde 2011, conforme levantamento do Ministério da Agricultura, o Paraná cresce cerca de 20% ao ano sua produção de cervejas artesanais. Estima-se que, só em Curitiba e região metropolitana, sejam produzidos 400 mil litros/mês, distribuídos entre 33 cervejarias.

Protagonistas deste novo nicho de consumo cervejeiro, a cervejaria Maniacs – localizada no bairro Cabral, em Curitiba – tem se adaptado a uma nova realidade que pede mais: a dos growlers, as garrafas geralmente utilizadas como receptáculo para chopes artesanais, extraídos diretamente das torneiras.

“Estamos observando um crescimento da cultura da cerveja; logo, novas possibilidades no Brasil surgem a cada dia”, observa Iron Mendes, CEO da marca. “Os growlers são uma nova forma que utilizamos para entregar chopp fresco aos nossos clientes. Nossos growlers de 1 litro permitem isso de uma forma muito prática”.

Levando o bar para casa
Assim, com os growlers, é muito mais fácil ter o frescor daquele chope de bar – mantido em temperaturas baixas e com espuma cremosa – em um churrasco ou uma festa, por exemplo. Atualmente, a Maniacs oferece essa possibilidade nos rótulos Maniacs IPA, Belgian Wit, Craft Lager e Mad Maniacs Juicy IPA, todos estrategicamente desenvolvidos para um público exigente.

“O legal dessa história toda é a possibilidade de você ‘levar o bar para casa’: alguns dos chopes oferecidos são os encontrados nas 20 torneiras do Bar da Maniacs, aqui no Cabral”, detalha Mendes. “Eles são envasados por contrapressão, com a ideia de proporcionar a mesma qualidade em pontos de venda mais próximos dos clientes, como as padarias de bairro, casas de carne ou praças de alimentação em shoppings”.

Por se tratar de um produto fresco e não pasteurizado, ele precisa estar sempre refrigerado para não ter sua qualidade comprometida. Preservando o chope em condições ideais, sua validade é de 30 dias antes de aberto. O que garante sempre um produto de qualidade e fresco nos pontos de venda.

Um sabor para cada perfil e estilo
Escolhidos como rótulos principais da marca, o quarteto Belgian Wit, Craft Lager, Maniacs IPA e Mad Maniacs Juicy IPA é a essência desse novo projeto. “São a melhor maneira de despertar o interesse de novos amantes por cerveja: agradam em cheio o público cervejeiro mais exigente, mas também convidam os iniciantes”.

A Maniacs IPA é o cartão de visita da marca e tem um perfil cítrico e arrojado no aroma e amargor; já a Belgian Wit é uma clássica cerveja de trigo belga, mas com a personalidade dos cervejeiros da Maniacs – fresca, leve e refrescante – perfeita para o clima brasileiro; a Craft Lager é leve e com um suave aroma floral, a tradicional “puro malte”

A mais “ousada” é a Mad Maniacs: uma Juicy IPA que surgiu a partir de um desafio proposto aos cervejeiros da marca de criar um chope que personificasse tudo que eles amam em uma IPA. O resultado é extremamente equilibrado: uma cerveja dourada que abusa dos aromas frutados, tropicais e cítricos no paladar. “É uma experiência levar um litro desse para apresentar a convidados”, aconselha Mendes.

Instagram @curitibaemdestaque

Novidades


Curitiba em Destaque


Menu