Destaques

ads slot

Karim Aïnouz destaca o melodrama em A Vida Invisível


Carol Duarte e Julia Stockler são as protagonistas do filme brasileiro selecionado para tentar vaga no Oscar 2020.
Crédito da foto: Divulgação/Vitrine Filmes

Selecionado pelo Brasil para tentar uma vaga na lista final de indicados ao Oscar de melhor filme internacional, A Vida Invisível, do diretor cearense Karim Aïnouz (O Céu de Suely), está sendo lançado oficialmente neste fim de semana, depois de um período de pré-estreias.

A produção foi a grande vencedora da mostra Um Certo Olhar, a segunda mais importante do Festival de Cannes, e, juntamente com Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, vencedor do prêmio do júri do mesmo evento, comprova mais um bom momento do cinema nacional, apesar das dificuldades atuais de realização no país.

Baseado no livro A Vida Invisível de Eurídice Gusmão (nome original do filme, que foi reduzido para o lançamento), de Martha Batalha, o novo trabalho de Aïnouz, com roteiro do curitibano Murilo Hauser (ao lado próprio diretor e Inés Bortagaray,) apresenta a história das irmãs Guida (Julia Stockler) e Eurídice (Carol Duarte), que vivem com os pais no Rio de Janeiro, na década de 1950. Ainda jovens, elas acabam separadas por acontecimentos da vida e também por figuras masculinas próximas – o pai Manoel (António Fonseca) e Antenor (Gregório Duvivier), futuro marido de Eurídice.

Aïnouz apresenta um melodrama na essência – ecoando filmes de diretores como Douglas Sirk (Imitação da Vida) e Pedro Almodóvar (Volver) –, destacando a sofrida trajetórias das protagonistas, um retrato da vida de muitas mulheres até os dias de hoje no Brasil e em várias partes do mundo, marcadas ainda por uma sociedade machista, sempre a determinar o destino das mulheres.

Guida, em uma marcante atuação de Julia Stockler, tem uma posição mais determinada em comparação a Eurídice, uma passageira passiva da própria vida – em um registo também de destaque de Carol Duarte. Fernanda Montenegro faz uma participação especial apenas no final da produção, mas com forte presença, para emocionar.

Aïnouz destaca uma cenografia carregada de tons escuros, e retrata um Rio escaldante nos corpos suados. O sexo aparece de forma crua, e violento em vários momentos. O ritmo é lento, como em outros filmes do diretor, e retrata a agonia silenciosa das protagonistas, que têm grandes sonhos não realizados, principalmente Eurídice, que acorda apenas por um momento da letargia, em uma cena catártica.

A Vida Invisível é mais um trabalho de grande qualidade na carreira do cineasta, confirmando seu talento como um dos melhores de sua geração. Cotação: Ótimo.

Trailer de A Vida Invisível:



Dia chuvoso em NY

Uma tradição de 35 anos foi quebrada em 2018. Naquele ano, o diretor Woody Allen não conseguiu lançar seu tradicional filme anual –  que seria Um Dia de Chuva em Nova York –, envolvido em um imbróglio com a Amazon, responsável por bancar a produção. A causa da recusa do estúdio no lançamento foi o retorno das acusações de que o cineasta teria abusado de uma filha adotiva quando ela tinha 7 anos, um caso de 1992.

Qualquer ligação com Allen se tornou tóxica então, assim como com o produtor Harvey Weinstein e o ator Kevin Spacey, outros nomes conhecidos de Hollywood a passarem pelo mesmo tipo de acusação. O diretor conseguiu distribuição para lançar Um Dia de Chuva em Nova York em 2019, e ainda entrou com um processo contra a Amazon por quebra de contrato (no total, havia a programação de lançamento quatro filmes de Allen), caso que foi encerrado este mês com um acordo sigiloso.

Após toda a confusão, o importante é foca no que realmente interessa, as qualidades artísticas do novo trabalho de Allen. A história já foi vista em vários de seus filmes. Gatsby (Timothée Chalamet, de Me Chame pelo seu Nome) é um rapaz nova-iorquino de família rica que cursa uma universidade menor no interior dos Estados Unidos. Lá, ele conhece a namorada Ashleigh (Elle Fanning, de Demônio de Neon), uma estudante de jornalismo que consegue uma entrevista com um importante diretor de cinema em Nova York. O rapaz aproveita a oportunidade de viagem para ter um fim de semana romântico com a moça na Big Apple, mas as coisas não saem como o imaginado.

Gatsby, que narra a trama, é inseguro, ainda não definiu o que quer da vida, e a jornada de algumas horas do dia vai complicar ainda mais seus pensamentos e sentimentos – como acontece com os vários personagens que são alter ego do cineasta. Para complicar, ele reencontra uma garota interessante, Chan (a cantora Selena Gomez), irmã mais nova de uma antiga namorada.

Também como em outras produções do cineasta, Ashleigh é mais uma menina indecisa, quase ingênua, e deslumbrada pela atenção de três homens maduros – o diretor Roland Pollard (Liev Schreiber, da série Ray Donovan), o roteirista Ted Davidoff (Jude Law, de Closer – Perto Demais) e o ator Francisco Veja (Diego Luna, de Rogue One).

Enfim, um Allen menos inspirado, como geralmente acontece com quem filma constantemente (não é possível acertar sempre), mas, mesmo assim, com suas qualidades –  uma ótima trilha sonora, boas atuações de Chalamet e Fanning e uma grande cena com Cherry Jones (da série 24 Horas), que vive a mãe de Gatsby.  O filme tem sessões no Cineplex Batel, Espaço Itaú e Cinépolis Pátio Batel. Cotação: Bom.

Trailer de Um Dia de Chuva em Nova York:



Outras estreias

Veteranos atores ingleses estrelam A Grande Mentira, novo filme do diretor Bill Condon (Deuses e Monstros), baseado no romance homônimo do escritor Nicholas Searle. A vencedora do Oscar Helen Mirren (A Rainha) interpreta a milionária viúva Betty McLeish, que entra na mira do conquistador e vigarista Roy Courtnay, personagem vivido por Ian McKellen (o Gandalf das sagas O Senhor dos Anéis e O Hobbit).

A intenção de Roy é tirar todo o dinheiro da mulher, mas à medida em que se envolvem, ele vai se afeiçoando a ela, ficando em dúvida se deve seguir com seu plano ou não. O filme tem sessões no Cinemark Mueller, Cinepólis Pátio Batel e Espaço Itaú.

Trailer de A Grande Mentira:



Ao lado de Michael Bay (Transformers), o diretor Roland Emmerich (Independence Day) é o principal nome dos filmes de ação barulhentos em Hollywood. Não é diferente em seu novo trabalho, Midway – Batalha em Alto Mar, ambientado na Segunda Guerra Mundial.

O ano é 1942 e os americanos tentam se recuperar do ataque a Pearl Harbor. O país entre uma nova disputa com os japoneses no Oceano Pacífico, uma batalha área que pode definir os destinos da guerra. O elenco da produção conta com rostos conhecidos como Patrick Wilson (da franquia Invocação do Mal), Woody Harrelson (Zumbilândia – Atire Duas Vezes), Dennis Quaid (O Dia Depois de Amanhã) e Aaron Eckhart (Obirgado por Fumar).

Trailer de Midway – Batalha em Alto Mar:



Tubarões brancos voltam a ameaçar jovens mulheres em Medo Profundo – O Segundo Ataque, de Johannes Roberts. Na sequência do filme de suspense lançado em 2017 pelo mesmo diretor, um grupo de amigas decide explorar um local arqueológico submerso. Mas a diversão acaba quando elas se deparam com temíveis tubarões e precisam escapar pelo labirinto subaquático, ao mesmo tempo em que ficam sem alimento e oxigênio.

Trailer de Medo Profundo – O Segundo Ataque:



A franquia de animação russa O Reino Gelado, do diretor Aleksey Tsitsilin, tem mais um capítulo com A Terra dos Espelhos. Desta vez, o rei da história decide afastar do reino todas as pessoas que tem poderes mágicos. Elas são exiladas na Terra dos Espelhos e, para salvá-las, a menina Gerta precisará contar com o apoio de uma antiga inimiga, a Rainha da Neve. A dublagem brasileira tem as vozes de Larissa Manoela e João Côrtes.

Trailer de O Reino Gelado – A Terra dos Espelhos:



Especialista em filme edificantes, o diretor Alex Kendrick apresenta Mais Que Vencedores, nova trama que tem como tema a superação. Boa parte da população de uma pequena cidade dos Estados Unidos perde o emprego na maior fábrica local. As Muitas famílias vão embora da cidade, deixando o técnico de basquete John Harrison (o próprio Kendrick) sem equipe para treinar na escola onde trabalha.

Ele é obrigado a mudar de esporte e passa a treinar o time de cross country da escola, mas apenas uma menina asmática aparece para participar da equipe. Apesar das dificuldades, a atleta improvável vai inspirar Harrison a encarar novos desafios.

Trailer de Mais Que Vencedores:



Documentários

O Espaço Itaú destaca, em sua programação da semana, o lançamento de três documentários brasileiros. Coprodução do Brasil e da Índia, UMA – Luz dos Himalaias, da diretora Ananda Jyothi, retrata a viagem dela própria e de diversas pessoas, de todas as partes do mundo, para o país asiático. A maioria vai em busca de experiências espirituais, de autoconhecimento. Além de rituais e personagens locais, a produção também destaca o Rio Ganges, um dos principais locais de visitação na Índia.

Trailer de UMA – Luz dos Himalaias:



A trajetória da cantora Linn da Quebrada é tema Bixa Travesty, documentário dos diretores Claudia Priscilla (A Destruição de Bernardet) e Kiko Goifman (Filmefobia). Transexual e negra, Linn é uma figura combativa no meio artístico, procurando descontruir os estereótipos de gênero, raça e classe.

Trailer de Bixa Travesty:



Os jovens diretores Igor Angelkorte, Julia Ariani e Paula Vilela aliam ficção e realidade no documentário Fernando, seu longa-metragem de estreia. No filme, o professor e artista de Fernando Bohrer recebe como proposta encenar a própria vida, o que realiza inclusive quando passa por problemas de saúde. Em meio a processos de montagens teatrais, Bohrer e os realizadores destacam o valor da educação e da arte.

Trailer de Fernando:


De Volta pro Futuro

Um dos maiores filmes de aventura da história do cinema, De Volta para o Futuro, de Robert Zemeckis é atração do mês da sessão Clássicos Cinemark. A história, que encanta várias gerações há mais de três décadas, apresenta Marty McFly (Michael J. Fox), um adolescente que viaja em uma máquina do tempo, um DeLorean preparado pelo cientista Doc Brown (Christopher Lloyd). Marty regressa de 1985 para 1955, e precisa fazer seus pais se apaixonarem para que, no futuro, ele possa nascer. O filme tem sessões no Cinemark Mueller, nos dias 26 de novembro, às 20 horas, e no 30, às 23 horas.

Marty McFly (Michael J. Fox) e Doc Brown (Christopher Lloyd) são personagens clássicos do cinema de aventura.
Crédito da foto: Universal Studios


Instagram @curitibaemdestaque

Novidades


Curitiba em Destaque


Menu