Destaques

ads slot

Greta Gerwig comanda nova adaptação de Adoráveis Mulheres


Emma Watson, Florence Pugh, Saoirse Ronan e Eliza Scanlen vivem as irmãs March, personagens criadas por Louisa May Alcott.
Crédito da foto: Wilson Webb/CTMG, Inc

Uma das obras clássicas da literatura americana, publicada pela primeira vez em 1868, Mulherzinhas (Little Women, no original), da escritora Louisa May Alcott, ganha mais uma adaptação para as telas em Adoráveis Mulheres, novo filme da diretora Greta Gerwig.

Incensada por Lady Bird – A Hora de Voar, produção apenas razoável indicado a cinco Oscars no ano passado (todos em categorias principais – filme, direção, atriz, atriz coadjuvante e roteiro original), Gerwig atinge a maturidade como cineasta nessa nova versão da história de amadurecimento das irmãs March durante a Guerra Civil Americana (1861-1865), da qual também é roteirista.

A personagem principal é Jo (Saoirse Ronan, de Lady Bird), segunda em idade das quatro irmãs, que deseja ser escritora e consegue sustento através de textos curtos que vende para revistas e jornais. A mais velha Meg (Emma Watson, a Hermione da franquia Harry Potter) deixou de lado o sonho de ser cantora para casar com um homem simples e cuidar dos pequenos filhos.

Já Amy (Florence Pugh, de Midsommar – O Mal Não Espera a Noite) vive na Europa com a tia rica e solteirona (Mery Streep) e está prestes a aceitar um pedido de casamento que poderá ser a salvação financeira da família. E a talentosa e delicada Beth (Eliza Scanlen, da série Sharp Objects), está muito doente, preocupando a todas as outras.

Um ponto positivo do novo filme é o maior destaque na história para Amy, incrementando o triângulo amoroso entre ela, Jo o jovem e rico vizinho Laurie (Timothée Chalamet, de Um Dia de Chuva em Nova York), o que abre espaço para as atuações de destaque do talentoso trio de atores – Chalamet, indicado ao Oscar por Me Chame pelo Seu  Nome, repete um pouco os trejeitos de personagens de filmes anteriores; Pugh está em plena ascensão e já é uma das principais apostas para os próximos anos; e Ronan, com carreira já consolidada, deve conseguir pelo papel sua quarta indicação ao Oscar com apenas 24 anos.

Mas o grande acerto de Gerwig foi apresentar a história de forma não linear, acrescentando diversos flashbacks muito bem costurados, dando ótima fluência à narrativa, tornando-a mais viva e nem um pouco cansativa, como muitos filmes de época. A roteirista também descreve as cobranças e dificuldades para as mulheres no trabalho e na sociedade do século 18, muitas das quais ainda próximas da atualidade, criando identificação. Cotação: Ótimo.

Trailer de Adoráveis Mulheres:



Belo e delicado

Vencedor do prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes 2019, Retrato de uma Jovem em Chamas, da diretora Céline Sciamma (Tomboy), apresenta um romance proibido entre duas mulheres na França do fim do século 18.

A pintora Marianne (Noémie Merlant, de O Retorno do Herói) é contratada para fazer o retrato de Héloise (Adèle Haenel, de A Garota Desconhecida), recém-saída de um convento. A moça está envolvida em um casamento acertado por sua mãe (Valeria Golino, de Emma e as Cores da Vida), depois que sua irmã se suicidou. Seu retrato será apresentado ao possível noivo para a confirmação do matrimônio.

Héloise não concorda em se casar e se recusa a ser pintada. Por isso, Marianne é apresentada como sua nova dama de companhia, que a acompanhará em caminhadas durante o dia. À noite, com os detalhes que percebe e anota da jovem ex-freira, a pintora produz o quadro pedido.

A delicadeza dá o tom da produção, do tempo para a história se desenvolver tranquilamente, sem pressa ou sobressaltos, ao belo trabalho das protagonistas, que demonstram uma grande química em cena. Também autora do roteiro, Sciamma destaca um trabalho que cresce ainda mais nos silêncios, nos olhares, na pura observação, o que remete muito à apreciação da arte – homenageada na tela através da pintura, da música e do teatro.

Produção de rara beleza, quase estranha ao cinema dominante dos atuais, dos barulhentos filmes de ação, Retrato de uma Jovem em Chamas foi indicada ao Globo de Ouro e também ao Bafta de melhor filme estrangeiro, e tem sessões no Espaço Itaú, Cine Passeio, Cineplex Batel e Cinépolis Pátio Batel. Cotação: Ótimo.

Trailer de Retrato de uma Jovem em Chamas:



Outras estreias

Um dos fundadores do movimento Dogma 95, o diretor dinamarquês Thomas Vinterberg (Festa de Família, A Caça) comanda a ação de Kursk – A Última Missão, produção baseada em fatos reais. Em 2000, uma explosão deixa à deriva um submarino russo no Mar de Barents, no Polo Norte.

Vários países se oferecem para ajudar os tripulantes em perigo, mas discussões políticas atrasam o resgate, causando comoção e revolta dos familiares envolvidos na questão. O elenco destaca Colin Firth (Oscar de melhor ator por O Discurso do Rei) e Léa Seydoux (Azul É a Cor Mais Quente).

Trailer de Kusrk – A Última Missão:



A produção de ação e terror Ameaça Profunda, do diretor William Eubank, destaca em sua trama uma equipe de pesquisadores que trabalha em um laboratório localizado no mar, a incríveis 11 mil metros de profundidade.

Um terremoto abala as estruturas da base e obriga seus os tripulantes a sair, caminhado pelo fundo do mar. Mas fenômeno geológico também libertou uma criatura que aterrorizará a todos. Kristen Stewart (Café Society), T.J. Miller (Deadpool) e Vincent Cassel (À Deriva) são os principais nomes do elenco.

Trailer de Ameaça Profunda:


Instagram @curitibaemdestaque

Novidades


Curitiba em Destaque


Menu