Destaques






ads slot

Robert Downey Jr. tenta nova franquia com Dolittle


Rami Malek dubla o gorila Chee-Chee, um dos diversos animais que se comunicam com o Dr. Dolitte de Downey Jr.
Crédito da foto: Divulgação/Universal Pictures

Após mais de uma década como o Homem de Ferro da Marvel, Robert Downey Jr. busca novos rumos na carreira em Dolittle, nova adaptação para as telas do personagem criado pelo escritor Hugh Lofting e estreia de maior destaque na semana nos cinemas do país.

O doutor Dolittle é um médico que consegue falar com animais. Ele já havia aparecido no cinema em 1967, em O Fantástico Doutor Dolittle, com Rex Harrison, além de Dr. Dolittle 1 (1998) e 2 (2002), com Eddie Murphy vivendo o papel.

O filme recente é dirigido Stephen Gaghan (Syriana – A Indústria do Petróleo) e, assim como as obras de Lofting, é ambientado no século 19, na Inglaterra. A produção apresenta o médico em crise, após perder a companheira Lily (Kasia Smutniak). Dolittle vive isolado em sua mansão na companhia de um grupo de animais liderados pela arara Poly (Emma Thompson, de Mais Estranho Que a Ficção), narradora da história.

Tudo muda com a chegada de Tommy (Harry Collett), garoto que traz um esquilo para o médico curar, e da jovem Lady Rose (Carmel Laniado), que pede que Dolittle ajude a salvar a Rainha Vitória (Jessie Buckley, de Judy – Muito Além do Arco-Íris), à beira da morte. Ele aceita a contragosto o desafio, e logo descobre que Sua Majestade foi envenenada. Ao lado dos amigos animais e de Tommy, Dolittle parte em busca da cura, uma planta especial encontrada em uma ilha secreta, para a qual sua esposa descobriu o caminho. Os vilões Dr. Blair (Michael Sheen, de A Rainha) e Lord Thomas (Jim Broadbent, de Moulin Rouge) tentarão evitar seu sucesso.           

Dolittle deveria ser uma aventura mágica, uma diversão para todas as idades. Mas quase nada funciona na produção. Há graves problemas de ritmo, comprovando as refilmagens e retoques no filme já finalizado – o diretor Jonathan Liebesman (As Tartarugas Ninja) foi chamado para a função, mas não conseguiu melhorar o trabalho confuso de Gaghan.

Os personagens, principalmente o Dolittle de Downey Jr. – que entrega um estranho sotaque baixo e sibilado –, não despertam muita empatia, nem mesmo com a constelação de astros na dublagem dos bichos no original: Emma Thompson, Rami Malek, John Cena, Kumail Nanjiani, Octavia Spencer, Tom Holland, Craig Robinson, Ralph Fiennes, Selena Gomez e Marion Cotillard. A animação computadorizada dos animais pelo menos é de boa qualidade, mas com avanço da tecnologia atual, isso não é mais destaque em um filme.

Dolittle fracassou nas bilheterias nos Estados Unidos, não arrecadando em um mês de projeção nem metade do gigantesco investimento (US$ 175 milhões). Ou seja, uma continuação dificilmente será realizada. Downey Jr. deve seguir apenas com a franquia Sherlock Holmes, que já tem um terceiro longa programado para estrear em 2021. Cotação: Regular.

Trailer de Dolittle:



Luta por inocentes

Com elenco de destaque, formado por Michael B. Jordan (franquia Creed) e os oscarizados Jamie Foxx (Ray) e Brie Larson (O Quarto de Jack), Luta por Justiça, uma das principais estreias da semana nas salas do Brasil, traz uma forte crítica ao sistema judicial norte-americano e ao racismo ainda presente nos Estados Unidos.

O filme dirigido por Destin Daniel Cretton (O Castelo de Vidro) é baseado em histórias descritas em livro pelo advogado Bryan Stevenson (Jordan), que logo após se formar em direito na prestigiada Harvard, em meados dos anos 1980, decide defender pessoas sem condições econômicas ao invés de tentar um emprego bem remunerado em um grande escritório do país.

Com apoio de um fundo econômico, Stevenson monta um escritório no Alabama, um dos estados americanos mais racistas, e tenta rever os processos de negros no corredor morte. O principal caso é de Walter McMillian (Foxx), condenado pelo assassinato de uma jovem branca, alguns anos antes. Sem provas concretas e apoiado em apenas um depoimento de um outro criminoso, que o apontou como o autor do crime, ele é sentenciado à morte na cadeira elétrica.

O advogado logo levanta todos os erros do processo, mas para livrar McMillian da condenação precisará enfrentar todo um sistema que oprime minorias, principalmente negros e pobres.

Cretton comanda atuações seguras de Jordan e Foxx, cientes da importância da produção para a comunidade negra nos Estados Unidos. Mas não traz novidades para o gênero filmes de tribunal. Não há muitas nuances na história, que enaltece muito a determinação e heroísmo de Stevenson e tem vilões certeiros (o promotor, o xerife e a polícia local).

Mas a importância do tema acaba se sobrepondo e os fatos narrados emocionam e também causam indignação no espectador, principalmente por mostrar uma situação que segue ocorrendo na América – no final, revela-se que uma em cada nove pessoas do corredor da morte no país não cometeu o crime do qual é acusada; um outro personagem retratado rapidamente na história levou quase 30 anos para ter sua inocência aceita. Cotação: Bom.

Trailer de Luta por Justiça:



Outras estreias

Lenda do cinema por personagens icônicos como Han Solo (Star Wars), Rick Deckard (Blade Runner) e Indiana Jones, Harrisson Ford é o nome principal do elenco de O Chamado da Floresta, filme de Chris Sanders, diretor de animações (Como Treinar Seu Dragão, Lilo & Stitch e Os Croods) estreando em live-action.

Na verdade, a produção, baseada no clássico homônimo do escritor Jack London, é um híbrido, pois os animais em cena são todos criados por computação gráfica. A história se passa no final do século 19 e destaca Buck, um cão da Califórnia que é roubado e levado para o Alaska, para comandar trenós durante a Corrida do Ouro. Ele passa por muitas provações até ser adotado por John Thornton, personagem de Ford.

Trailer de O Chamado da Floresta:



Clássico dos contos de fadas, a história dos irmãos João e Maria (Hansel e Gretel, no original) ganha mais uma adaptação nas telas, desta vez bem sombria, pelas mãos do diretor Oz Perkins (A Enviada do Mal) em Maria e João – O Conto das Bruxas.

Há um tempo vivendo em condições ruins, os irmãos vão buscar comida em uma floresta aterrorizante e escura. Eles encontram uma mulher misteriosa, que os acolhe e os alimenta, mas situações assustadoras começam a acontecer.

Trailer de Maria e João – O Conto das Bruxas:



Estrela do cinema francês, Isabelle Hupert (Elle) vive a protagonista de Frankie, coprodução franco-portuguesa dirigida por Ira Sachs (O Amor É Estranho) e que esteve na seleção principal do Festival de Cannes 2019.

Frankie é uma famosa atriz que descobre que tem poucos meses de vida. Para enfrentar melhor a situação, ela decide reunir amigos e familiares na cidade portuguesa de Sintra, onde todos aos poucos vão descobrindo sobre sua saúde e aprendendo a lidar com a futura perda. O elenco também destaca Marisa Tomei (da nova franquia Homem-Aranha), Jérémie Renier (A Criança) e Brendan Gleeson (Na Mira do Chefe).

Trailer de Frankie:



O Espaço Itaú destaca esta semana a segunda parte do longa-metragem italiano A Melhor Juventude, filme do cineasta Marco Tullio Giordana (Pasolini, Um Crime Italiano) que retrata quatro décadas da história da Itália, dos anos 1960 até os anos 1990.

Lançada em 2003, a produção acompanha a trajetória dos irmãos Nicola (Luigi Lo Cascio) e Matteo (Alessio Boni), que se envolvem em várias histórias que destacam questões sociais e culturais do país da bota. A primeira parte do filme segue em cartaz no mesmo cinema.

Trailer de A Melhor Juventude:



A comédia francesa As Invisíveis, do diretor Louis-Julien Petit, conta a história de um grupo de mulheres que são despejadas de um abrigo do governo. Com a ajuda de dedicadas assistentes sociais, elas lutam para conseguir um emprego para seu sustento, mesmo que para isso tenham que esconder seu passado de confusões e inventar algumas histórias para melhorar a imagem. O filme tem sessões no Espaço Itaú e no Cine Passeio.

Trailer de As Invisíveis:



Coprodução do Azerbaijão com a Alemanha, a comédia dramática De Quem É o Sutiã?, do diretor Veit Helmer, traz a inusitada história de Nurlan (Miki Manojlović, de Underground – Mentiras de Guerra), um maquinista que, no último dia de trabalho, vê seu trem derrubar um varal.

No acidente, um sutiã azul cai em seu colo e ele decide descobrir a dona da peça de roupa. Nurlan visita diversas cidades e pede que várias mulheres vistam o sutiã, irritando seus parceiros. O filme, que estreia no Cine Passeio, também destaca no elenco a espanhola Paz Veja (Espanglês).

Trailer de De Quem É o Sutiã?:



Instagram@curitibaemdestaque

Novidades


Curitiba em Destaque


Menu