As ideias e a criatividade – COLUNA RECEITA DE ESCRITA, por Cláudia Moreira

 em Cláudia Moreira, Colunistas

Como nascem as ideias? O Stephen Spielberg, por exemplo, tinha suas ideias quando dirigia pela autoestrada. Eu rendo bastante quando caminho pela natureza e a observo. E você? O que funciona para destravar suas ideias? A escritora Elizabeth Gilbert acredita no fato “de que as ideias são entes vivos, de que estão sempre em busca do colaborador humano mais disponível, de que têm vontade consciente, de que se movem de uma alma para outra, e de que sempre tentarão encontrar o canal mais rápido e eficiente para chegar à terra (assim como fazem os raios)”. Será?

Já sabemos que está fora de cogitação essa história de que toda criação é pura sorte ou um dom. A criatividade exige trabalho mental, persistência, determinação e foco no que se quer. Não conheço ninguém que passe 24 horas do dia inspirado. Desta maneira, você só poderia escrever quando tivesse insights. Mantenha o foco na sua vontade de escrever e ponto-final.

Aliás, o foco é a tese dos autores Gary Keller e Jay Papasan. No livro The One Thing, eles defendem que o sucesso depende de se focar em apenas uma coisa. Quando sua mente se estreita para uma direção, evita-se a distração e, com isso, é possível criar mais ideias para um objetivo único. É como se toda a energia estivesse drenada para a sua vontade de realizar algo. Além disso, o escritor Malcolm Gladwell, no livro Outliers – Fora de Série, afirma que, para se alcançar o nível de excelência em qualquer atividade e se tornar alguém bem-sucedido, são necessárias 10 mil horas de prática – algo em torno de três horas por dia durante 10 anos. Porém, há controvérsias. O certo é que se você destinar pelo menos uma hora do seu dia para escrever, com certeza, o produto do esforço será um livro.

Pensemos juntos: quantas ideias você está colocando diariamente no PROJETO MEU LIVRO? Você está focado nele de fato? Tem repetido seus escritos à exaustão? Pelo que entendi, qualquer um de nós pode ser um gênio da criatividade. Ela é inerente ao ser humano. Sigamos estes passos: ideias, foco, persistência, tentativa, erro e voilà. E seja o que Deus quiser!

Obs: Texto retirado do livro Receita de Escrita, da Editora Ponto Vital. À venda no link: https://pag.ae/7XcqSZSnH

 

Ilustração: @igor.baldez

 

Cláudia Moreira é mestranda em Escrita Criativa (Uniandrade/PR), formada em Letras e Jornalismo (Uniceub- DF), com especializações em Revisão e Produção Textual (FAE-PR), Desenvolvimento Sustentável (UNB-DF) e Master em Jornalismo (IICS-SP). Tem vários livros publicados, entre eles, Receita de Escrita. É sócia-proprietária da Editora Ponto Vital (PR) e professora de Escrita do Solar do Rosário em Curitiba.

Postagens Recomendadas
Comentários
  • Priscila
    Responder

    Não é atoa que é mestranda em escrita criativa! Parabéns

Deixe um Comentário