Custa Ser Gentil? – COLUNA RECEITA DE ESCRITA, por Cláudia Moreira

 em Cláudia Moreira, Colunistas, Cultura

Andar em meio à natureza é algo que traz um verdadeiro prazer para mim. Parar um minuto na vida atribulada e caminhar no verde, em trilhas ou pertinho das árvores e flores me reconecta comigo mesma. Não sei se acontece assim com você. Talvez seja meu lado indígena que grita e bate tambor de alegria quando se vê livre e fora de quatro paredes. Não tem aquela frase: “Tá” estressada? Vai pescar. Pois é. No meu caso é: “Tá” estressada? Vai para o mato.

E lá estava eu perdida por aí, em um parque qualquer. Vi um senhor idoso da limpeza urbana varrendo flores. Dei um bom dia verdadeiro e continuei no meu trajeto. Sempre observo que quase ninguém fala com os trabalhadores das ruas e isso ocorreu, neste dia, bem na minha frente. Uma senhora passou e não viu ninguém. Ao contrário de mim que, normalmente, cumprimento todo mundo. Não obtenho resposta na maioria das vezes. Mas tudo bem!

Na volta, o mesmo carinha estava aspirando folhas velhas, levantando poeira adoidado. Quando me viu, parou e sorriu. Adorei o carinho e segui, agradecendo o meu mais novo amigo. De repente, ouço o barulho do aspirador e uma reclamação em alto e bom som. Era a mulher que julgara o trabalhador invisível. Desta vez, ele que fingiu não a ver. A poeira subiu no cabelo da senhora e ela teve que olhar e enxergar quem estava ali ao lado. E fez isso furiosa.

Fiquei com a cena na cabeça. Custava cumprimentar o senhorzinho? Custava ser educada? Custava desejar o bem? Os invisíveis são tantos, não é? Atropelamos essas pessoas como se elas não existissem. Não faz parte da minha filosofia de vida não observar, não falar, não sorrir. Fui gentil e tive a gentileza retribuída. E sabe que toda vez que olho e enxergo os invisíveis, eles me sorriem de volta? É a alma que fala de uma pra outra, é o momento em que todos nós somos gente, somos humanos e somos iguais.

 

Ilustração: @igor.baldez

 

Cláudia Moreira é mestranda em Escrita Criativa (Uniandrade/PR), formada em Letras e Jornalismo (Uniceub- DF), com especializações em Revisão e Produção Textual (FAE-PR), Desenvolvimento Sustentável (UNB-DF) e Master em Jornalismo (IICS-SP). Tem vários livros publicados, entre eles, Receita de Escrita. É sócia-proprietária da Editora Ponto Vital (PR) e professora de Escrita do Solar do Rosário em Curitiba.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário