Dicas para não cair em golpes virtuais durante a Black Friday

 em Na cidade

A Black Friday se aproxima e, com ela, muitos aproveitadores virtuais usam toda sua criatividade para levarem vantagem sobre os consumidores desavisados. Com o crescimento do comércio eletrônico ocorrido em decorrência da pandemia, a tendência é que, em 2021, os golpes pela internet sejam ainda mais frequentes.

Segundo a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), 14% das pessoas compraram on-line pela primeira vez na quarentena e 35% mudaram a forma de pagamento nas compras do dia a dia, deixando o dinheiro de lado. “São mudanças culturais intensas, repletas de novidades e que trazem consigo a necessidade de informar o consumidor sobre as vulnerabilidades deste novo sistema”, afirma Marcelo Dantas, CEO da Estrela10, loja virtual de departamentos.

Dantas preparou uma lista com oito instruções para orientar as pessoas sobre as melhores práticas na hora de comprar on-line. A primeira delas é sempre desconfiar. “Pessoas que não costumam interagir na internet tendem a acreditar em mensagens falsas ou ignorar a navegação segura. Infelizmente, falta educação neste sentido”, afirma.

Desconfie sempre de promoções mirabolantes
Sabe aquela história sobre a esmola ser demais e o santo ficar com a pulga atrás da orelha? Na internet, é assim mesmo que acontece. Quando um determinado produto está com o preço tão baixo que é quase impossível não parar de pensar em comprá-lo, as chances de ser golpe são muito grandes. Portanto, não compre.

Só compre a partir de dispositivos seguros
Nunca faça compras virtuais por meio de computadores de outras pessoas ou usando redes públicas de wi-fi, pois isso facilita a ação de pessoas mal-intencionadas. O ideal é comprar a partir do seu computador ou smartphone e também utilizar sua própria rede de internet.

Caso esteja no computador, confira se o site é verdadeiro, verificando se o endereço mostrado na barra do navegador é realmente o site oficial da loja. “Há muitos casos de ofertas falsas, inclusive entre as publicações patrocinadas de redes sociais”, alerta Dantas.

Nunca baixe aplicativos não oficiais
Jamais use um iPhone com jailbreak – processo que permite a execução de aplicativos não-autorizados pela fabricante Apple -–, nem baixe aplicativos fora da Play Store em celulares com Android. Isso pode ser um prato cheio para os fraudadores. “As compras pelo celular costumam ser mais seguras justamente porque podem ser realizadas dentro dos aplicativos oficiais das lojas”, ensina o executivo.

Observe a certificação digital do site
As lojas virtuais que se preocupam com a segurança de seus clientes buscam obter selos de segurança e certificações digitais que protegem os dados fornecidos pelos clientes. Por isso, antes de efetuar uma compra, confira se a página inicial apresenta essa informação. Além disso, os endereços de sites de comércio eletrônico devem começar com “https” e não “http”. Fique atento.

Dê preferência ao cartão de crédito
Ele possui recursos de segurança para que se tenha alguma chance de reaver o dinheiro no caso de problemas de fraudes ou quando o produto não é entregue, é diferente do combinado, veio com defeito e a loja se recusa a trocar.

Além disso, pode-se utilizar um cartão virtual. “Muitos bancos e emissoras de cartões de crédito oferecem este recurso, no qual recebe-se um número de cartão específico para compras on-line”, diz Dantas. O recurso normalmente é habilitado por meio de um aplicativo oferecido pela instituição e pode ser facilmente cancelado e reemitido sem comprometer o cartão físico – em alguns casos, ele funciona apenas para uma única compra. Seja como for, ele protege de sites falsos, cobranças abusivas e vazamentos de dados.

Cuidado com boletos
Definitivamente, eles não são a melhor opção de pagamento. É extremamente difícil de reaver o dinheiro de pagamentos realizados por boleto, logo, sites falsos se aproveitam disso para oferecer descontos imensos para pagamentos por boleto – mas nunca entregam o produto. Caso decida comprar por boleto, pague o documento com o aplicativo do seu banco no celular, no qual poderá ser consultado o beneficiário ou fazer o pagamento pela opção de boletos registrados, que é mais segura. “De maneira geral, só se deve pagar por boleto em lojas confiáveis, com as quais já se tem experiência”, avisa o especialista.

Antes de comprar, veja se a loja oferece formas de contato
Quanto mais fácil for localizar telefones, endereços e e-mail para entrar em contato com o comércio eletrônico, tirar dúvidas ou encaminhar problemas, mais confiável o site é. Portanto, prefira sempre sites que, inclusive, ofereçam chat on-line pelo qual seja possível conversar com um atendente em tempo real.

Guarde os comprovantes
Imprima ou salve no computador as telas que indicam que a compra foi realizada, anote códigos de confirmação e guarde e-mails que chegam à sua caixa com dados da transação. Eles podem ser úteis no futuro e evitar ainda mais dificuldades em reaver seu dinheiro em caso de fraudes.

Crédito da foto: Pixabay

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário