Mestrado e a Montanha Russa de Sentimentos – COLUNA RECEITA DE ESCRITA, por Cláudia Moreira

 em Cláudia Moreira, Colunistas, Cultura

Apesar de sempre ter gostado de estudar, nunca pensei em fazer mestrado. Até que um dia, ele, o mestrado, bateu à porta, na forma de um telefonema. Meu amigo Victor, uma semana antes de fechar as inscrições do curso, avisou-me da oportunidade. Mesmo com MEDO de não passar, arrisquei.

Não passei. FRUSTRAÇÃO. Meus brios de aluna nota 10 gritaram. Como assim? Tentei um mês depois e, mesmo sem grandes louros no projeto apresentado, consegui entrar para o seleto grupo de mestrandos em Escrita Criativa. FELICIDADE!

As leituras me inspiram e as aulas têm me proporcionado um conhecimento fantástico da literatura. Quanto mais leio, mais vejo que nada sei – olha o Sócrates, filósofo, aí –, e a lista dos novos e desconhecidos livros só aumenta. Posso afirmar categoricamente que as leituras são o que mais amo na faculdade. 46 livros lidos até agora. Estou computando o feito.

O DESESPERO é pelo desenvolvimento de artigos. Não sou boa na linguagem acadêmica. É um ESFORÇO supremo. Choro, descabelo-me e algo “mais ou menos” sai para alívio meu.

A SUPERAÇÃO a cada disciplina é um combustível para eu seguir em frente. Já pensei em desistir. Não gosto do on-line porque, além de não conseguir me focar nas aulas, me dá enxaqueca, sono, olhos ardidos… Fora que essa coisa de colegas dentro do computador não faz a minha cabeça! Já pensei em desistir, mas não me identifico com a palavra DESISTÊNCIA.

Sigo estudando e, ano que vem, deverei apresentar a dissertação. VITÓRIA ou FRACASSO? São os dois caminhos que eu poderei/terei de enfrentar. Mas a vida não é cheia dessas palavrinhas maiúsculas? MEDO, FRUSTRAÇÃO, FELICIDADE, DESESPERO, ESFORÇO, SUPERAÇÃO, DESISTÊNCIA, VITÓRIA, FRACASSO?

A montanha russa de sentimentos é um sinal claro de que estamos vivos. Você está vivo? E o carrinho sobe e desce, às vezes, quebra lá em cima, vira, estraga ou, simplesmente, cumpre o percurso que imaginamos. Tudo é desconhecido, uma surpresa atrás da outra. E isso não é bom? Nós gostaríamos de estar no controle, mas há um cara comandando lá da cabine. O jeito é aproveitarmos o brinquedo e aprendermos que a montanha russa é uma metáfora bem apropriada para tudo o que fazemos. É ou não é?

 

Ilustração: @igor.baldez

 

Cláudia Moreira é mestranda em Escrita Criativa (Uniandrade/PR), formada em Letras e Jornalismo (Uniceub- DF), com especializações em Revisão e Produção Textual (FAE-PR), Desenvolvimento Sustentável (UNB-DF) e Master em Jornalismo (IICS-SP). Tem vários livros publicados, entre eles, Receita de Escrita. É sócia-proprietária da Editora Ponto Vital (PR) e professora de Escrita do Solar do Rosário em Curitiba.

Postagens Recomendadas
Comentários
  • Victor Truccolo
    Responder

    Foi um prazer ter feito parte dessa história! Você é uma escritora necessária principalmente nos dias de hoje!

Deixe um Comentário