Olhar para Dentro – COLUNA RECEITA DE ESCRITA, por Cláudia Moreira

 em Cláudia Moreira, Colunistas

A observação externa é um instrumento precioso; a interna é autoconhecimento na veia. Olhar para dentro de nós é descortinar sentimentos e emoções escondidos e que nem imaginávamos ter. Acredito que o autoconhecimento nasça desta “paquera” interna. Nasce também a escrita terapia, a que cura. Quando conseguimos colocar para fora algo que nos incomoda, até dando nome ao incômodo, começamos a pôr o remédio na ferida, em doses homeopáticas. Isso porque iniciamos um processo de perceber, de acolher tudo e de transformar em letrinhas.

Escrever é observação em ação. Ao voltar nosso olhar para dentro, encontramos um mundo a ser desbravado, consertado, ressignificado, transformado, acarinhado. É um mundo! E à medida que o exteriorizamos, passamos a conhecê-lo melhor. Ele deixa de nos amedrontar e se torna um grande aliado para reescrevermos nossa história.

Perfeccionismo, vergonha, medo, julgamento, solidão, raiva. Todos nós já sentimos isso. Uns com mais peso; outros, com menos. Interessante narrar histórias sobre eles. Maravilhoso ver que conseguimos vomitá-los de uma forma lúdica, gostosa. As letrinhas e as palavrinhas vão se tornando poderosas ferramentas que, aos poucos, reconstroem uma vida. É a terapia da escrita.

Mas para que a terapia funcione, é necessário disciplina. Não adianta escrever hoje e só na semana que vem, retomar a prática. Escrever todo dia. Observar-se todo dia. Refletir sobre você todo dia. Isso faz toda a diferença. Por isso, os diários são companheiros nesta viagem para dentro de você. A escritora Julia Cameron, no livro O Caminho do Artista, criou a técnica das morning pages (páginas matinais). Por 8 semanas, a pessoa precisa escrever 3 páginas assim que acordar. Ela garante que o exercício leva ao autoconhecimento e à criatividade. É uma boa sugestão. Você topa?

Ilustração: @igor.baldez

 

Cláudia Moreira é mestranda em Escrita Criativa (Uniandrade/PR), formada em Letras e Jornalismo (Uniceub- DF), com especializações em Revisão e Produção Textual (FAE-PR), Desenvolvimento Sustentável (UNB-DF) e Master em Jornalismo (IICS-SP). Tem vários livros publicados, entre eles, Receita de Escrita. É sócia-proprietária da Editora Ponto Vital (PR) e professora de Escrita do Solar do Rosário em Curitiba.

Postagens Recomendadas
Mostrando 8 comentários
  • Marlete Wildemberg
    Responder

    Autoconhecimento é o reencontro do eu comigo, aquele que ninguém pode fazê-lo por mim, é a descoberta da minha verdadeira história, de minha vergonha e ressentimentos, de minha timidez e potenciais, é me ver nua por dentro, sem os adereços ou revestimentos sociais, pois nenhum deles cabem dentro de mim, lá só existe eu e meus moinhos de vento.
    Autoconhecimento, entender-me é assim organizar minha morada e a escrita é um grandioso meio para enxergar e curar os ferimentos que sangram depois de muitos anos!
    E você Claudia com a Escrita Terapêutica faz um imenso diferencial na minha e nas nossas vidas!
    Você é ótima!🦋

  • Conceição
    Responder

    Esse olhar diario para dentro, nos liberta das correntes invisiveis que carregamos. Muito boa reflexão, tem tudo haver com o momento que vivemos
    hoje.

  • taina
    Responder

    uau! vou retomar as páginas matinais hoje!!!

  • Madie Beck
    Responder

    Tá aí uma ferramenta que tem funcionado imensamente. Sou grata a você Claudinha pelo baita empurrão que você me deu rumo à escrita como forma de auto-regulação emocional. Ao colocarmos aquilo que mais nos amedronta no papel, o sentimento começa a tomar forma e se torna mais palpável. Daí em diante o tom da relação começa a mudar e o caminho da cura se inicia! ⚘

  • Julio Sampaio
    Responder

    Muito bom, Claudinha. Minha dúvida é: precisa ser todo dia mesmo? Não vale de vez em quando?

  • Igor
    Responder

    Adorei o texto! Só sustenta mais ainda o meu conceito de que a arte é um ótimo meio para o autoconhecimento.
    Obs: o artista mandou muito bem na ilustração.

  • Igor
    Responder

    Adorei o texto! Só sustenta mais ainda o meu conceito de que a arte é um ótimo meio para o autoconhecimento.
    Obs: o artista mandou muito bem na ilustração.

  • Priscila
    Responder

    Uma super inspiração! Parabéns pelo incentivo belo texto.

Deixe um Comentário