Pesquisadores da PUCPR desenvolvem produto para auxiliar lactantes

 em Na cidade

Uma das principais dificuldades enfrentadas por lactantes é o ingurgitamento mamário, popularmente conhecido como “leite empedrado”. A condição é caracterizada pelo acúmulo do líquido nas mamas, dificultando a saída do leite, que fica mais viscoso, e causando dor a quem amamenta. Um produto desenvolvido por pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), contudo, busca ajudar profissionais da saúde que atuam no tratamento do ingurgitamento mamário e proporcionar conforto e alívio às pacientes.

A Ordenhadeira Massageadora para o Manejo Clínico do Ingurgitamento Mamário na Lactação foi patenteada em outubro de 2021 pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Em termos de tecnologia, está parcialmente desenvolvida e, com um investimento financeiro razoável, pode ser levada ao mercado em breve. É possível utilizar o item como sutiã, massageador ou ordenhadeira, separadamente, ou de modo integrado e simultâneo.

Percy Nohama e Marcelo do Carmo Camargo Gaiotto, professores da Escola Politécnica da PUCPR, estão entre os desenvolvedores do produto, ao lado das pesquisadoras Anita Batista dos Santos Heberle, egressa da graduação e mestrado da instituição, Mariana Pereira Margato e Cristina do Carmo Lucio, da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

“O ingurgitamento mamário é relativamente comum, mas pode evoluir para uma condição mais grave se não for tratado corretamente, além de ser bastante dolorido em muitos casos. Com a ordenhadeira, queremos auxiliar as lactantes nesse momento tão especial que é a amamentação, além de facilitar a atuação dos profissionais que trabalham junto às pacientes”, explica o professor Percy Nohama.

Como principais diferenciais da invenção, podem ser citados: a tecnologia adicional ao tratamento do ingurgitamento mamário puerperal; o fato de integrar massagem e ordenha eletromecânicas; a ergonomia que ajuda as lactantes e profissionais envolvidos; o formato anatômico, composto por alças largas com ombreira; e sua fabricação em neoprene, que facilita a higienização e se ajusta melhor ao corpo.

Tratamento
O ingurgitamento mamário pode ocorrer em qualquer fase da amamentação, apesar de ser mais frequente nos primeiros dias após o parto. Se não for tratado, há possibilidade de evoluir para uma mastite, que consiste em uma infecção aguda provocada pelo leite estagnado no interior da glândula mamária. Dentre as causas para a condição, estão o manejo inadequado da amamentação, o atraso no início da amamentação, o uso de suplementos e a sucção ineficaz pelo bebê.

Assim que surgirem os primeiros sintomas – inchaço das mamas, dor e desconforto –, devem ser iniciadas as massagens suaves e a ordenha manual ou com bomba eletromecânica. Para prevenir o problema, a principal dica é deixar o bebê mamar em livre demanda.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário