Sobre os 10 mil passos por dia

 em Na cidade

Certamente você já ouviu alguém falar que todo mundo deve dar 10 mil passos por dia para manter a saúde em dia e evitar doenças ou complicações no futuro. Mas será mesmo que essa marca tem amparo na ciência e de fato faz ajuda no bem-estar?

Segundo a professora do curso de Educação Física da Unopar, Walquiria Andrade, não há um consenso da ciência sobre o número ideal de passos por dia, já que, para a execução desta atividade é necessário considerar variáveis como a atual condição de saúde do indivíduo, seu propósito e seus componentes da aptidão física relacionada à saúde. No entanto, a professora defende que a atividade física regular aliada a boa alimentação entre outros componentes é essencial para a longevidade e a qualidade de vida.

Mito dos 10 mil passos
Registros mostram que o mito dos 10 mil passos (cerca de oito quilômetros) surgiu no ano de 1965, após a realização dos primeiros Jogos Olímpicos em Tóquio, no Japão. Na época, uma empresa japonesa lançou um dispositivo similar aos relógios fitness que são encontrados atualmente no mercado, e a campanha de marketing deu tão certo que até hoje existe uma variada gama de aplicativos e gadgets com a função de medir os passos do proprietário, avisando até quando é hora de se levantar para dar uma caminhada.

Porém, existem diversos estudos realizados pelo mundo que contestam os 10 mil passos. Alguns pesquisadores afirmam que 4 mil passos já são suficientes. Outros, apontam que entre 4 e 6 mil passos garantem mais alguns anos de vida em comparação com quem não caminha. Há inclusive alguns estudiosos que dizem que ao passar de 8 mil metros diários, não há mais benefícios adicionais, independente de quanto mais o indivíduo caminhar.

Importante é estar em movimento
Independente dos 10 mil passos por dia, a Organização Mundial da Saúde recomenda que os adultos, por semana, devem realizar pelo menos 150 minutos de atividade física moderada, ou 75 minutos de atividade física intensa.

“A prática de atividade física é fundamental para o bem-estar do indivíduo, ela impacta diretamente no bem-estar físico, mental e social e produtividade no trabalho. Independente do tempo que se tem durante o dia, é necessário organizar a rotina para incluir a atividade física”, diz a professora.

O exercício físico, seja caminhada moderada, intensa, natação, musculação ou outra modalidade esportiva, contribuem para uma boa saúde e um envelhecimento mais saudável e ativo.

“É essencial estar sempre em movimento. Existem muitas opções de atividade física, encontre uma que mais se adeque ao seu perfil e comece a treinar. É importante destacar que se deve começar com as atividades aos poucos, com práticas que variam de 3 a 4 vezes por semana, até que essa nova atividade física se torne um hábito. Se você não gosta de praticar atividade física sozinho, uma boa opção são grupos que ofereçam atividade em grupo, como corrida, pilates e hidroginástica”, finaliza a professora.

Crédito da foto: Hermann Traub/Pixabay

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário